STF manda prender pastor que abusou de fiel em ritual de exorcismo


Marcos Pereira
é líder de igreja
em Meriti


por Pedro Alves
para Metrópoles

Em sessão no dia 27 de fevereiro de 2018, a 1ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) determinou a prisão do pastor Marcos Pereira da Silva.


Condenado a 15 anos de reclusão em regime inicialmente fechado pelo crime de atentado violento ao pudor contra uma fiel, o líder da Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias, em São José do Meriti (RJ) [mapa], estava solto desde dezembro de 2014, por força de liminar do ministro Marco Aurélio Mello.

Na sessão, a Turma julgou o mérito da liminar e a cassou.


O crime ocorreu em 2006. Segundo os autos, o réu afirmou que a vítima estava possuída por um espírito maligno e a estuprou nas dependências da igreja.

Os advogados do pastor pediram a anulação da sentença de primeira instância por cerceamento da defesa, e, caso o pedido não fosse concedido, a prescrição da denúncia.

Segundo os defensores, à época do estupro, crimes sexuais ainda partiam de iniciativa privada, ou seja, eram instaurados caso houvesse interesse da vítima. Em 2009, essa responsabilidade passou a ser do Ministério Público.

O argumento, no entanto, não convenceu o presidente da 1ª Turma, ministro Alexandre de Moraes, nem a ministra Rosa Weber, que votaram pela cassação da liminar.

O ministro Marco Aurélio Mello votou pela manutenção da medida. Os ministros Luís Roberto Barroso e Luiz Fux estavam ausentes e, portanto, a decisão foi tomada por 2 votos a 1.




Justiça condena pastor Marcos a 15 anos de prisão por estupro

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

-------- Busca neste site