Relatório aponta países onde houve assassinatos de ateus


Ira divina

Índia, Malásia, Maldivas, Mauritânia, Paquistão, Arábia Saudita e Sudão são os países onde, com a conivência das autoridades ou determinação delas, houve em 2017 assassinatos ou ameaça de morte a ateus.

Com exceção da Índia, esses países são islâmicos.

A informação é do Relatório da Liberdade de Pensamento 2017, da IHEU (União Humanista Internacional e Ética), que fez esse levantamento de dados pelo sexto ano consecutivo.

No período, a matança de ateus tem ocorrido basicamente nos mesmos países.


Para o relatório deste ano, a IHEU colheu os dados de 53 países.

Em muito deles os ateus são discriminados sistematicamente.

Um exemplo recente: na Malásia, em outubro, 20 jovens ateus passaram a sofrer ameaça de morte após o grupo ter publicado uma foto no Facebook.

Eles nem sequer pensaram em registrar queixa na polícia porque, se fizessem, correriam o risco de serem presos.

Na Malásia, é crime ser ateu.

No Brasil, não é proibido ser ateu. Ainda. Por aqui, o fanatismo cristão tem se fortalecido, com consequências imprevisíveis.

O relatório cita o Brasil como integrante da lista dos 10 países mais religiosos.

Informa que o país tem uma lei da blasfêmia. Trata-se do artigo 208 do Código Penal.




Igreja ameaça processar artista de versões divertidas de santa

Comentários

Busca neste site