Arabia Saudita condena jovem à decapitação por ser ateu


Notícia da prisão 
de Ahmad Al Shamri
em jornal da
Arábia Saudita

A Justiça da sharia da Arábia Saudita condenou Ahmad Al Shamri, 20, à decapitação por seu ateu e ter cometido blasfêmia.

Ele está preso desde fevereiro de 2015 sob a acusação de ter postado no ano anterior vídeos anti-islã em redes sociais.

Para evitar a sentença de morte, o advogado de Shamri alegou que ele sofre de transtorno mental e que estava drogado quando divulgou os vídeos.

A Justiça não aceitou o argumento da defesa.

Na lista da Anistia Internacional de 2016, a Arábia Saudita está em terceiro lugar em número de execuções, abaixo somente da China e do Irã.

A lei saudita considera os ateus como terroristas e também condena os dependentes químicos à morte.
Muçulmanos comemoram no Twitter a sentença da decapitação.

Um deles escreveu: “Eu gostaria que houvesse transmissão ao vivo do corte do pescoço dele”.



Arabia Saudita decapita mulher acusada de praticar bruxaria

Ateísmo crescente preocupa países do Oriente Médio




A responsabilidade dos comentários é de seus autores.


Comentários

Busca neste site