Primeiros cristãos promoviam sacrifício humano, diz livro


A própria Bíblia dá
indício dessa matança

Os primeiros cristãos, cuja maioria era constituída por judeus, promoviam rituais macabros, entre os quais o sacrifício de humanos, do qual há indício na Bíblia, em Gênesis 22, quando Deus pede a Abraão que matasse seu filho.

O livro “A História Secreta da Igreja”, de Michael Kerrigan, conta que no final do século 2º, o estudioso e cristão Minúcio Félix se opôs a esse tipo de barbaridade.


Félix escreveu: “Avidamente — que horror! — eles [os cristãos] lambem seu sangue [da vítima]; ansiosamente dividem seus membros”.

Naquele tempo, os cristãos eram tidos como pertencentes a uma seita maldita, e alguns rituais de iniciação reforçavam isso.

E um desses rituais, os sacerdotes cristãos escondiam uma criança em um saco de farinha e incentivavam o candidato a esfaqueá-lo, com força e rapidamente.

Trata-se de uma versão antiga da eucaristia — do pão e vinho se tornando o corpo e o sangue de Jesus Cristo.

Com informação do “A História Secreta da Igreja”, de Michael Kerrigan, Editora Europa.




Indiano mata filho de oito meses em sacrifício à deusa Kali

-------- Busca neste site