Pular para o conteúdo principal

Muçulmano brasileiro defende em vídeo morte às adúlteras



O brasileiro muçulmano Ariel Lanel (foto) postou no Youtube um vídeo justificando a morte por apedrejamento de mulheres adúlteras em países islâmicos. [Veja vídeo abaixo]

Ariel Lanel faz
apologia da violência
contra mulheres
Disse que o castigo é determinado pelo Corão.

Ele “desmentiu” a informação segundo a qual o homem adúltero não é punido, dizendo que, nesse caso, a pena é determinada por chicotadas.

Abdul Majeed (nome árabe adotado pelo brasileiro) só não falou que os adúlteros são punidos com bem menos frequência em relação às mulheres e que chicotadas nem sempre matam.

E mesmo que a punição atingisse igualmente os dois sexos, uma barbaridade não justifica a outra.

Disse ainda que há, no Brasil, pessoas que criticam os apedrejamentos, embora aqui haja muitas mortes de mulheres.

Mais uma vez há uma tentativa de relativizar o assassinato de mulheres sob a égide do Corão..

O Ministério Público precisa deter a apologia à violência de Majeed contra as mulheres.


Com informação do Youtube.
 


Bater na mulher faz parte do bom casamento, diz saudita



Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Marcha para Jesus se tornou palanque para candidatos da extrema direita