Só agora Dilma se manifesta sobre renúncia de Bento 16

Presidente respeita
 decisão da renúncia
A presidente Dilma Rousseff (na caricatura) divulgou nota hoje (28) desejando saúde e paz ao papa Bento 16, ressaltando que respeita a decisão pela renúncia. Hoje foi o último dia do pontificado dele.

Quando Bento 16 anunciou o seu afastamento, no dia 11 de fevereiro, Dilma se manteve em silêncio, diferentemente em relação aos presidentes de grandes países, como o americano Barak Obama, que fez elogio ao chefe da Igreja Católica.

Criou-se na ocasião um mal estar entre o governo brasileiro e a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos Brasileiros). Um bispo não quis comentar o silêncio presidencial e aconselhou um jornalista que procurasse saber o motivo da própria Dilma.

A Folha divulgou na época que a indiferença da presidente  foi um revide à intromissão de Bento 16 nas últimas eleições — ele teria orientado os bispos a fazerem campanha contra os candidatos que apoiam o aborto.

Na nota de hoje, divulgada pela Presidência no Blog do Planalto, Dilma afirma que considera como "marcos históricos no relacionamento entre a Santa Sé e o Brasil" a escolha do Rio para sediar em junho a Jornada Mundial da Juventude.

Destacou também como fatos importes a canonização do primeiro santo brasileiro, Santo Antônio de Sant'Anna Galvão de França, o Frei Galvão, e a visita de Joseph Ratzinger a Aparecida em 2007.

O “de França” não existe no nome do santo.





Com informação do Blog do Planalto.

Dilma se mantém em silêncio sobre a renúncia de Bento 16
fevereiro de 2013

Comentários

  1. Porque era esperado que ela falasse algo? Não tem nada a ver com o governo, deveria não ter dito nada mesmo. Um assunto que não interessa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se esperava que ela falasse algo porque o Vaticano, por estranho que pareça, é um país e o papa é seu "presidente".

      Excluir
    2. Na verdade, o papa é um ditador, de fato.

      Excluir
  2. Teria sido melhor ela ter se mantido calada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela cedeu a pressões. Tenho certeza. A Dilma é muito influenciável, não tem personalidade. Lamentável.

      Excluir
  3. E porque teria que se pronunciar, ela é chefe de estado e não tem nada haver com religião. As afirmações que escreveu são apenas suposições.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Vaticano é um estado...

      Excluir
    2. Não reconhecido pela ONU, e estabelecido mediante apoio da igreja ao nazismo (facismo de Mussolini).

      Excluir
    3. E o papa é o ditador deste estado do "Vaticano" (na verdade, é Santa Sé).

      Excluir
    4. Anônimo,o Vaticano não reconhecido pela ONU não sabia dessa acho
      vo consultar seu professor o unico ditador e você que esta sempre
      questinando a fé Católica.

      Excluir
    5. Consulte mesmo um professor, pois está precisando com urgência!

      Excluir
    6. paulo.silvafreire
      Quando vejo pessoas com comentários como o seu, fico preocupadíssimo, pois vocês não estão sendo sarcásticos ou trollando, estão simplesmente ignorando!
      Sem ofender, você é totalmente alienado ao que acontece ou é uma escolha ver por esse lado?

      Excluir
  4. Mas Ratzinger é chefe de estado do Vaticano!

    ResponderExcluir
  5. Dilminha, não se deixe pressionar pelos cristãos.
    Você não tinha que dizer nada: Igreja é uma coisa, e Estado é outra.
    O Estado não deve nenhuma explicação à Religião. A nenhuma delas.
    As religiões, sim, deveriam se submeter ao Estado. Todas.
    A começar pelo pagamento de impostos, para desonerar o cidadão comum.

    ResponderExcluir
  6. ela é evangélica direitista ultra conservadora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode até não ser ideologicamente, mas na prática age 100% como se fosse.

      Excluir
    2. Ela deve ser Deísta, agnóstica ou ateia fica estampado na cara dela que todo o relacionamento religioso dela é politico. Ela esta certa foi cardeal sem puxar o saco deste sujeito deplorável, mas influentes.

      Excluir
    3. Exatamente,foi uma ação meramente política,ela não vai querer queimar o filme com os cristãos.

      Excluir
    4. Exatamente,isso foi meramente uma ação política,ela não vai querer queimar o filme com os cristãos.

      Excluir
  7. E porque a presidente deveria se importar com um fato tão destituído de importância como a renúncia do Papa Chico Bento?

    Att.,

    Espancador de Pastores

    ResponderExcluir
  8. Isso tem ver apenas com políticagem e imagem perante aos cristãos.

    ResponderExcluir
  9. heheh ela só falou depois do papa ter caido fora!!!

    ResponderExcluir
  10. Puxa, quando é que vai aparecer um presidente neste país sem medo dessa corja de sanguessugas, oportunistas e impositores da moral maldita. Que não vai temer não ser reelelito por propor projetos de melhoria, tentar aprovar a reforma tributária, aprovar o aborto, impor a sociedade de uma vez por todas o estado Laico e garantir o direito das minorias tão castigadas?
    Esse país esta cada vez pior mesmo, tantas desgraças acontecendo e quando você menos espera outra pior vem e acontece, como esse Feliciano ser um dos possíveis indicados ao Conselho de Direitos Humanos.

    Quando votei nessa besta dentuça, pensei seriamente que ela poderia começar esse processo de mudança, por ter uma visão diferente dos demais e por ter um perfil mais gerencial do que popular. Mas depois desses anos me enganei profundamente, o que é uma pena, pois ela realmente parecia querer fazer, mas decidil trocar o progresso de sua nação pela sua manutenção no poder alcançada pelas alianças obscuras que fez.

    Estamos ficando sem saída mesmo. Ano que vem vou anular meu voto. Entre os principais possíveis canditos nenhum presta, e não vou deixar eles ganharem com uma boa margem de votos para não se gabarem e verem que ainda existem gente que pense e que não desiste tão fácil.

    Ao papa que se foi, dane-se e exploda-se e ao futuro o mesmo. Todos insignificantes, chega dessas pestes quererem dominar o mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho o mesmo pensamento e sentimento que você!

      Excluir
    2. Na urna eu sou prático: BRANCO + CONFIRMA, é pá-pum!

      Observação: Voto branco valia até 1996 como quociente eleitoral, mas a partir de 1997 (Lei Eleitoral – Lei nº 9.504, de 30 de setembro de 1997) os votos brancos têm exatamente o mesmo efeito que os votos nulos, portanto, votar em branco economiza os dedos, rsrsrsrs...

      http://noticias.band.uol.com.br/eleicoes2012/outras-cidades/noticia/?id=100000539364

      Excluir
  11. Se ela não falar nada, estes católicos hipócritas morrem...credo!
    Queria tanto, que a Dilma não se curvasse a esta politicagem do inferno, mas não tem jeito..tá pra nascer um/a Presidente assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema não está na Dilma. Infelizmente a mecânica da nossa política é assim. Os partidos precisam fazer alianças de gosto (e caráter) duvidoso para conseguirem governar, senão ficam engessados nas câmaras, assembleias e senado.

      Do mesmo modo, políticos se esquivam de bater de frente com setores conservadores fortes, como o Catolicismo.

      Mas eu acho que estamos em um processo positivo (com alguns passos para trás, naturalmente), onde o impacto das coisas lá fora - especialmente na Europa - vai gradativamente ir respingando aqui.

      Embora numa velocidade bem menor do que gostaríamos, é certo que a Igreja está perdendo poder no mundo inteiro.

      Precisamos também compreender esse processo, porque as raízes conservadoras da classe média brasileira fatalmente vãos garantir que o Brasil seja o último suspiro do Catolicismo no mundo.

      Eles não vão capitular em silêncio nem quando só restarem meia-dúzia de fanáticos: vão morrer gritando.

      Cabe a nós ampliarmos cada vez mais esse debate. E cada vez mais empurrá-los para as cordas. Até porque a evolução natural do planeta está do nosso lado, não do lado deles.

      Excluir

Postar um comentário

-------- Busca neste site