Pular para o conteúdo principal

Em SP, igreja impõe a pastores meta de votos para Russomanno

Celso Russomanno
Candidato prometeu tolerar os templos instalados irregularmente
Marcos Galdino, líder da Assembleia de Deus Ministério em Santo Amaro, na zona sul da cidade de São Paulo, comunicou aos pastores que cada um deles terá de obter no mínimo cem votos para o candidato a prefeito pelo PRB, Celso Russomanno (foto). O ministério tem 500 pastores e 82 mil fiéis. 

Renato Galdino, filho de Marcos, confirmou que, após o culto deste final de semana, os pastores vão orientar os fiéis a votarem no Russomanno, além de pedir que eles tentem convencer parentes e amigos a apoiar o candidato. Na TV online da denominação, os pastores vão fazer a mesma pregação.

O pastor Renato é filiado ao PSDB, do candidato José Serra, mas no culto de hoje anunciará a sua mudança para o PRB.

A Assembleia de Deus em Santo Amaro acusa o prefeito Gilberto Kassab (PSD), aliado de Serra, de perseguição, com emissão de multas, como a que ocorreu recentemente, de R$ 10 mil, por irregularidade no tamanho de um luminoso com o nome da congregação.

Russomanno já chegou a afirmar em mais de uma oportunidade que não vai importunar as igrejas que tenham templos instalados irregularmente. Ele disse que vai ajudá-las a cumprirem a legislação territorial.

O envolvimento da Assembleia de Deus na campanha de Russomanno transgride a legislação eleitoral, porque, de acordo com o Estado de S.Paulo, ela montou em sua sede um comitê informal eleitoral.

A igreja encomendou 25 mil adesivos para carro. Eles serão distribuídos aos fiéis na calçada, de modo a contornar a lei eleitoral. “Teremos uma equipe para fazer isso na porta das igrejas, ao final do culto”, disse Renato. “Não existe nenhuma lei que proíba propaganda na calçada.”

Também do lado de fora dos templos vão ficar 269 cavaletes com a foto de Russomanno ao lado de Marcos Galdino. No Jornal ADBrasil haverá propaganda do candidato. Os 50 mil exemplares da publicação serão distribuídos gratuitamente.

O partido de Russomanno está atrelado à Universal. Na coordenação da campanha do candidato, há pastores dessa igreja. Nas pesquisas de intenção de votos, Russomanno está em primeiro lugar, o que fez o padre Marcelo Rossi a se aproximar dele, embora tenha dado apoio ao Serra.

Comentários

Anônimo disse…
Quanto nojeira desses religiosos, está escorrendo até chorume de meu computador
@_snatos disse…
A tão nojenta política e não menos nojentos "líderes" religiosos estão agora entrando em pantomima?

Até o Marcelo Rossi? Que beleza, só que não.
Anônimo disse…
"A política e os destinos da humanidade são forjados por homens sem ideais nem grandeza. Aqueles que têm grandeza interior não se encaminham para a política"

É impossível unir a fé com a razão, pois para ter fé, é necessário suprir o saber e isso é ótimo para os políticos.
Anônimo disse…
Se o Russomano ganhar em SP, será o início do estabelecimento do Afeganistão evangélico no Brasil.

Anônimo disse…
Cristianismo é política e política é cristianismo foi assim no passado e agora que não iria ser diferente, e a força deste movimento é uma massa débil e de fácil manipulação. O povo religioso brasileiro me envergonha e estamos longe de ser um país de um alto padrão cultural.
Anônimo disse…
A pergunta que fica é: Por que tamanho interesse desses religiosos na política? Eles não deviam cuidar apenas das angústias espirituais de seus fiéis?
Isso tá parecendo uma máfia desgraçada...

Winston Smith
Anônimo disse…
Minha sugestão é que os moradores da região visitem as igrejas discretamente no dia e gravem os pastores. Denunciem no ministério público, caso a atuação dos pastores se enquadre nos crimes de propaganda eleitoral. No portal brasil tem uma excelente descrição de tais crimes!
Anônimo disse…
Se ele ganhar são paulo vai experimentar o fascismo direitista religioso..vai criar leis que diz o que as pessoas devem fazer com seus pênis vaginas e anus, ele vai fechar a rua augusta porque lá tem prostituição e bebedeira, espere e vocês vão ver ... Ou o povo vive como robô como os fascistas direitistas querem ou você estará ferrado...e enquanto isto os canalhas dos líderes religiosos nadam em dinheiro, este negócio de igreja já virou uma máfia a ser perseguida e desmantelada e jogar esses canalhas na cadeia o mais rápido possível..o cara veste um terno põe uma bíblia debaixo do braço e pronto já está legalizado para roubar e fazer o que quiser..Esses canalha chegam em outras cidades berram loucamente faz seus teatro escandalozos e saem felizes com a mala cheia de dinheiro dos trouxas que acreditam nestes vermes.
Plim! disse…
Quem vota num candidato, faz o que ele manda.
O candidato faz discursos, faz músicas.
nf disse…
Elevaram o conceito de "Voto de Cabresto" a um nível inacreditável.
Anônimo disse…
Esses pastores vão pro inferno?
Anônimo disse…
Cada povo tem o governo que merece!
Anônimo disse…
Russomano perdeu a vergonha. Virou político...
Anônimo disse…
A vítima não é culpada
Algum dia ele a teve?
Lia de Souza disse…
Quem confia nele entra literalmente pelo cano.
Já esqueceram da propaganda enganosa que ele fazia para um suposto economizador de água? Mero caninho com uma válvula?
Quando os enganados começaram a fazer perguntas no blog dele, RussodosManos sumiu do blog.
Luiz Fernando disse…
Paulo, que acha de uma campanha para o fim da isenção de impostos para igrejas que se envolvem politicamente? Afinal, estão desvirtuando a sua finalidade.
Anônimo disse…
No dia que essas quadrilhas tiverem sua contabilidade aberta e fiscalizada, faltarão vagas nas cadeias.
Vinicius disse…
Concordo completamente com quem falou em "Afeganistão evangélico" acima... Tenho a impressão de que ainda não estamos plenamente conscientes, enquanto grupo, do perigo que o crescimento exponencial do número de avangélicos, a maioria fundamentalista, significa para o futuro desse país. A Universal está acumulando um poder enorme, ela já tem o Crivella no Rio e agora está gestando esse Russomano em São Paulo. Sobre o Crivella, os bispos já declararam pra quem quiser ouvir que o que eles querem mesmo é a presidência da República... Um mais um igual a dois: o número de potenciais eleitores só cresce, a articulação política desses grupos religiosos está a cada dia mais afinada... Estou convencido de que uma nova república fundamentalista está nascendo bem diante dos nossos olhos.
W. R. disse…
Celso Russomano é um candidato escolhido por DEUS e por isso vai ganhar as eleições, pois os evangélicos e os verdadeiros católicos votarão em Russomano.
Que DEUS abençoe o candidato Celso Russomano em nome do senhor Jesus.
Dal Ponte, P. disse…
Não sabia que Deus era imoral, já que ele está respondendo um processo por peculato e outro por falsidade ideológica.
Serra Abaixo disse…
Ah, vão cuidar das almas e não encham o nosso saco.

IGREJA CATÓLICA ATACA UNIVERSAL E O CHEFE DA CAMPANHA DE RUSSOMANNO -> http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/tag/igreja-catolica/

Eu votaria até o "Macaco Tião" do Rio ou o "Bode Cheiroso" de Jaboatão pra prefeito de São Paulo, menos nesse tal "tucano José Serra".

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Evangélico, chefão do tráfico no Rio manda fechar igrejas católicas

Escola Estadual Igreja Evangélica muda de nome e deixa de afrontar o Estado laico

Milagrento Valdemiro Santiago radicaliza na exploração da fé

Lei anti-ciência de Ohio permite que alunos deem resposta com base na religião

Pai de vocalista dos Mamonas processa Feliciano por dizer que morte foi por ordem de Deus

Ministro do STF critica a frase ‘Deus seja louvado’ do real

Marco Aurélio lembrou  que somente no  império  a religião era obrigatória  O ministro Marco Aurélio (foto), 65, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que não consegue conceber “que nas notas de moedas do real nós tenhamos ‘Deus seja louvado’”, porque isso fere a laicidade do Estado. Em uma entrevista ao UOL, lembrou que na argumentação de seu voto favorável à descriminalização do aborto de fetos anencéfalos, em abril, ressaltou que o Brasil não está mais no império, “quando a religião católica era obrigatória e o imperador era obrigado a observá-la”. “ Como outro exemplo de incompatibilidade com o Estado laico ele citou o crucifixo do plenário do STF. “Devíamos ter só o brasão da República.” Aurélio elogiou a decisão do Tribunal de Justiça gaúcho pela retirada do crucifixo de todas as suas dependências, o que demonstra, segundo ele, que o Rio Grande do Sul é um Estado que “está sempre à frente em questões políticas”. Celso de Mello, outro ministro do Supremo, já

Intel deixa de ajudar escoteiros que discriminam gays e ateus

Estudante expulsa acusa escola adventista de homofobia

Arianne disse ter pedido outra com chance, mas a escola negou com atualização Arianne Pacheco Rodrigues (foto), 19, está acusando o Instituto Adventista Brasil Central — uma escola interna em Planalmira (GO) — de tê-la expulsada em novembro de 2010 por motivo homofóbico. Marilda Pacheco, a mãe da estudante, está processando a escola com o pedido de indenização de R$ 50 mil por danos morais. A primeira audiência na Justiça ocorreu na semana passada. A jovem contou que a punição foi decidida por uma comissão disciplinar que analisou a troca de cartas entre ela e outra garota, sua namorada na época. Na ata da reunião da comissão consta que a causa da expulsão das duas alunas foi “postura homossexual reincidente”. O pastor  Weslei Zukowski (na foto abaixo), diretor da escola, negou ter havido homofobia e disse que a expulsão ocorreu em consequência de “intimidade sexual” (contato físico), o que, disse, é expressamente proibido pelo regulamento do estabelecimento. Consel

PSC radicaliza ao dar apoio a Feliciano, afirma Wyllys

por Ivan Richard da Agência Brasil Deputado disse que resposta também será a radicalização O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), na foto, criticou a decisão do PSC de manter o pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorais da Câmara. Para Wyllys, o acirramento dos ânimos por parte do PSC pode provocar ainda mais confusão nas sessões da comissão. Feliciano é acusado por de ter feito afirmações homofóbicas, como a de que a "Aids é câncer gay", e racistas. “Não falo em nome do movimento [LGBT], mas, se um lado radicaliza, o outro tende a radicalizar. Se o PSC radicaliza e não ouve a voz dos movimentos socais, das redes sociais, o pedido para que esse homem saia da presidência, se a tendência é radicalizar e não dar ouvidos, é lógico que o movimento radicalize do outro. Isso não é bom para a Câmara, para o Legislativo, para o PSC, nem para o país”, disse Wyllys. Wyllys afirmou que as lideranças do PSC estão “confundindo” as criticas ao