Misturar qualquer deus com política é receita para o horror

Líbios carregam o embaixador Stevens
por Clóvis Rossi para Folha

Misturar Deus (qualquer Deus) ou seus profetas com política é receita certa para o horror. A evidência mais recente é o assassinato anteontem do embaixador norte-americano na Líbia, Christopher Stevens (foto), e três outros funcionários dos EUA, vítimas de fanáticos islamitas, açulados por fanáticos islamofóbicos.

Breve rememoração dos antecedentes: começou com vídeo claramente ofensivo ao profeta Maomé, produzido por Sam Bacile, supostamente judeu norte-americano que considera o islã "um câncer", segundo disse ao "Wall Street Journal".

Mas, atenção, não é o caso de aceitar candidamente que se trata de um fanático isolado. Ele próprio contou, também ao "WSJ", que levantou US$ 5 milhões entre cerca de cem judeus para custear a produção de seu filme.

Poderia ter sido um desses filmetes que passam despercebidos não fosse o fato de ter sido promovido por outro fanático, um certo Terry Jones, conhecido por pretender fazer de todo 11 de setembro um dia de queima do Corão.

Mesmo assim, pouca gente, nos Estados Unidos, prestou atenção ao vídeo, difundido pelo YouTube.

Mas os fanáticos do outro lado cuidaram de dar a ele a difusão que não havia tido na vida real, o que levou a protestos tanto no Egito como na Líbia (estenderam-se ontem à Palestina).

Relato de Ashraf Kalil, da Time.com: "Alguns dos manifestantes pareciam estar sob a impressão de que o vídeo estava sendo amplamente difundido em muitos canais americanos -quando a verdade é que a maioria dos americanos provavelmente nunca ouvira falar dele até que a embaixada fosse atacada.

"Trata-se essencialmente do caso de um grupo marginal de fundamentalistas cristãos provocando com sucesso e enraivecendo um grupo similar e marginal de fundamentalistas islâmicos".

Até aí, estamos contando uma história de piromaníacos.

O que assusta é que Mitt Romney, o candidato republicano, tenha entrado com mais gasolina no incêndio ao atacar a reação inicial da embaixada norte-americana no Egito, supostamente um pedido de desculpas pelo vídeo.

"A primeira resposta dos Estados Unidos teria que ser de indignação pela quebra da soberania de nossa nação. Pedir desculpas por valores americanos nunca é o caminho certo", disse Romney.

A posição do governo, na verdade, foi de puro bom senso: "Rejeitamos todos os esforços para denegrir as crenças religiosas de outros. Mas não há absolutamente nenhuma justificativa para essa violência sem sentido. Nenhuma", diria Obama.

Ao sobrepor incondicionalmente a liberdade de expressão à sensibilidade de outros, Romney definitivamente não contribui para dissolver as resistências que seu país encontra em muitas partes e em especial no Oriente Médio.

O ataque às embaixadas americanas não teve nada a ver com políticas de Washington.

Mas, como escreveu Blake Hounshell, supervisor do site da revista "Foreign Policy", "é uma sombria recordação não apenas da profunda raiva e da disfuncionalidade que aflige o grande Oriente Médio, mas também das enormes dificuldades dos EUA em lidar com essa parte do mundo".

Fanáticos protestam com matança contra filme do Maomé estuprador.
setembro de 2012 

Fanatismo islâmico.

Comentários

  1. Esse incidente diplomático é, internacionalmente, gravíssimo e terá muitos reflexos negativos no futuro da Líbia em futuros acordos, políticas e fuga de investimento externo. Nesse caso teve mais peso a nacionalidade, a religião ficou em segundo plano, se o país-origem do filme não fosse os EUA a história provavelmente seria diferente. Filmes que incitam o ódio gratuito e geram a discórdia deveriam ser proibidos, o melhor caminho é sempre o da tolerância: se quiser ser respeitado, respeite. De qualquer forma, realmente lamentável tudo isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discordo pensar q a religião esteja em segundo plano nesse caso. O incidente da Noruega q aconteceu pelo desenhos de Maomé é um exemplo q a coisa pega para qualquer um q mexa nesse cacho de abelha.

      Excluir
    2. Gostei do seu comentário. Só discordo do você quando diz que filmes assim deveriam ser proibidos. Quando era criança, nos anos 1980, alguns cristãos aqui no Brasil ameaçaram invadir os cinemas que exibissem o filme "A Última Tentação de Cristo", por considerá-lo blasfemo. Quase na mesma época, a Madonna lançou o polêmico vídeo "Like A Prayer", em que ela é acariciada e beijada por um santo negro. A Itália chegou a proibir a exibição do vídeo em seu território. Oras, e onde fica a liberdade de consciência e expressão? Por que algum diretor de cinema pode lançar um filme questionando a indústria farmacêutica, os banqueiros, os políticos, os capitalistas, os socialistas e qualquer outro grupo mas, quando se trata de religião, ela não deve merecer tratamento igual? Lembro de Bertrand Russel quando ele disse que a religião, assim como qualquer conduta humana, deve ser questionada, criticada e refutada.

      E sobre o filme em particular, arte vê quem quer; há muitas coisas que não gosto de ver, sentir e ouvir mas não fico por aí ameaçando quem gosta. Este é o preço da liberdade de consciência e expressão.

      Excluir
    3. uma coisa e liberdade de expressao a outra e incentivar o odio e a intolerancia! sao duas cosias diferentes e DVEM sempre serem muito bem consideradas porque as implicacoes sao serissimas.

      Excluir
    4. Tem que existir liberdade de expressão, poderia ser uma simples caricatura sem a menor intenção de ofender que o resultado seria o mesmo. Não foi o filme o responsável e sim os fundamentalista que não admitem criticas, os Aiatolás que destilam ódio todos os dias é que deveriam ser censurados por exaltar os ataques terroristas.

      Excluir
    5. @Ricardo Rodrigues, você assistiu ao filme para saber se ele incentiva o ódio e a intolerância? Eu não assisti mas vi o trailer e não vi nada demais. Está mais para um besteirol. É muito mimimi religioso por pouca coisa. Sem falar em sátiras religiosas já clássicas, como "A Última Tentação de Cristo", "Jesus Christ Superstar", "A Vida de Brian", "Saved!" e "Dogma". E por que não houve o mesmo estardalhaço? Como diria meu avô, esses religiosos precisam capinar uma horta.

      Excluir
    6. Recomendo a Vida de Brian é um filme genial.

      Excluir
    7. A liberdade de expressão é boa, principalmente para atacar religiões e religiosos.

      Só não pode magoar ateus e gays, pois aí é preconceito, intolerância, homofobia e ódio, e a gente chama o Ministério Público na hora pra censurar e punir o ofensor.

      Excluir
    8. Dois pesos,duas medidas14 de setembro de 2012 11:45

      Falcatruas religiosas e puro preconceito demonizante pode, so nao pode é criticar! Jesus é intocavel para os crentes, nao importa o que se faça em nome dele.

      Excluir
    9. Muito bom o texto, mas o titulo deixa a desejar por esquecer que regimes ateus como o da URSS, Camboja, Romênia, Bulgânia, Albânia, Ucrânia entre outros produziram milhôes de cadaveres horrorosos sem misturar Deus com politica.

      Excluir
  2. Sem dúvida que os filmes são ruins, mas a reação é totalmente desproporcional.

    ResponderExcluir
  3. O filme satirizava os árabes como intolerantes, irracionais e violentos, e como forma de "protesto" eles atacaram a embaixada estadunidense, provando-se serem realmente intolerantes, irracionais e violentos.
    Triste ver que um filme de cidadão estadunidense gerou tanto conflito, isso demonstra a fragilidade e a periculosidade de um pensamento religioso dogmático. Eles mataram a pessoa que em teoria evita guerras e conflitos armados, agora podemos esperar por elas.

    ResponderExcluir
  4. Um Deus que não tem face, um Profeta que não pode ser representado, uma doutrina que não pode ser questionada.

    Assim como Lúcifer, Alá manda que seus seguidores queimem, matem, explodam e comemorem o despedaçamento do Inimigo.

    Assim como os grandes símbolos do Satanismo, Maomé é uma peça de ocultismo.

    Assim como a Bíblia Satânica, o Corão apresenta grandes verdades.

    As pessoas precisam se questionar ou serem levadas a questionar: Quem é, realmente, o meu Deus?

    ResponderExcluir
  5. Excelentes os comentários. Acredito que seja possível a conclusão de que muçulmano (ou mesmo cristão) bom é aquele que "foi" para o paraíso. Mas, um dos grandes problemas é que geralmente não querem "partir" sozinhos. Talvez fosse o caso de os governos tomarem alguma medida "profiláctica" por prevenção. Só que falta coragem ou sucumbiram nas mãos dessa consciência primeva. Parece só nos restar a conformação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A medida "profilática" que tu propõe é igual àquela que Hitler pôs em prática??? Não acho que isso seja muito adequado quando se quer lidar com as diferenças, isso é uma outra forma de imposição de uma verdade. Se eles matam para garantir que estejam falando a verdade, nós não podemos fazer o mesmo.

      Excluir
    2. Não, necessariamente. Mas, como eles parecem gostar tanto do paraíso, talvez pudessem receber um pequeno auxílio, um passaporte, para poderem desfrutar o mais rápido possível das benesses de seu deus, nos deixando em paz, por consequência. Pelo que me recordo das velhas lições, Hitler queria impor a sua visão de mundo sobre o outros. No caso, minha sugestão é entregá-los definitivamente ao que de fato querem: o eterno sossego. Desde que não tenhamos que acompanhá-los nesta viagem, podemos padecer por aqui, sem maiores problemas. É o que eles no fundo querem, é o que também queremos. E todos vivem - ou não - felizes para todo o sempre.

      Excluir
  6. Entre todas as grandes tragédias entre todas as grandes guerras aonde estava deus. Que deus é este que nunca se faz presente e só vive nas entrelinhas do pensamento humano?

    ResponderExcluir
  7. Mataram um homem inocente em seu trabalho cometeram um crime bárbaro. Religiosos tratam a vida com desprezo porque eles acreditam que sempre há um deus para fazer justiça e que em algum momento tudo ira ficar bem.. A religiao criou no ser humano uma insensibilidade pela vida, o deus mesmo que eles acreditam manda matar.. Um deus que esta afim de sacrifícios sangrentos ,o deus cristao manda comer e beber de quem seria seu próprio filho em sacrifício a ele, que deus é este que quer como homenagem a morte e além da morte que pessoas se sirvam da carne fria e do sangue coagulado de um morto..

    O deus islamitas é o mesmo deus odioso que manda sangrar animais por sua honra.

    ResponderExcluir
  8. Só Existe um DEUS, a saber, JESUS CRISTO, o YESHUA, e esse vc pode misturar em qualquer área da tua vida, que ira te fazer bem. Pois Ele é fundamentado no AMOR e em sua essência encontramos GRAÇA e MISERICÓRDIA. Qualquer "deus-religião" que está fora dessa realidade, não EXISTE. É ilusão ou consequência dos erros da humanidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem te disse que Deus e bom? Talvez ele seja mal ou completamente indiferente a condição humana. Talvez ele nem exista.

      Excluir
    2. Só existe um deus então Sr Victor, o senhor é ateu em relação ao deus dos outros. Que vem a ser apenas uma distribuição geografica de crenças estupidas.
      Voce olha dos dois lados da rua para atravessar não é mesmo ? Sera que um crente nunca atropelou alguem?
      A natureza é completamente indiferente a nós, e a venda da ideia de um mundo justo é burrice.

      Excluir
    3. Ele é só amor, mas vc questiona-lo vai arder pra sempre no inferno...

      Faz sentido!

      Excluir
    4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
    5. Errado, Victor Machado. O ÚNICO e VERDADEIRO deus é o MONSTO DO ESPAGUETE VOADOR, todos sabem disso, inclusive você, mas, como diria Roberto Carlos, "a sua estupidez não te deixa ver". Arrependa-se e creia nele. Atire o seu messias indeciso na latrina e abra seu espírito para o grande molho refogado que permeia todo o Universo, seu infiel.

      Excluir
  9. Não ter religião, é ter um problema a menos.
    Evidente que foi provocação. Evidente que o protesto mostrou ao mundo a face verdadeira da religião. As duas partes usaram da sua fé para mostrar a miseravel condição humana.
    Todos alegam que suas crenças são amorosas, todos são mentirosos. Lamento muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amorosas é que não são mesmo.

      Excluir
  10. "Trata-se essencialmente do caso de um grupo marginal de fundamentalistas cristãos provocando com sucesso e enraivecendo um grupo similar e marginal de fundamentalistas islâmicos".

    Quer dizer que fazer um vídeo é "similar" a assassinato? Então tá...

    "Ao sobrepor incondicionalmente a liberdade de expressão à sensibilidade de outros, Romney definitivamente não contribui para dissolver as resistências que seu país encontra em muitas partes e em especial no Oriente Médio."

    A liberdade de expressão deve, sim, ser incondicionalmente sobreposta às sensibilidades alheias! Se assim não o fosse, não haveria mais comunicação entre os seres humanos, afinal, sempre vai haver um ofendidinho...

    Mas, pelo que eu entendo, a ideia é ter um "patrulhamento ideológico" para se definir o que pode e o que não pode ser dito... Puro totalitarismo.

    E, se você discorda de mim, saiba que sua discordância me ofende e então, pela sua lógica, você não pode expressá-la, pois ao fazê-lo iria "ferir minhas sensibilidades"...

    ResponderExcluir
  11. Fundamentalista é uma maldição mesmo. Não tem nem a capacidade de resolver direto com quem o provocou. Atira pra todo lado e ainda ve lógica nisto.

    ResponderExcluir
  12. A melhor liberdade que um homem possa ter é ficar livre de religiões assassinas e segregadoras como são as principais religiões monoteistas, judaismo , islamismo e cristianismo, pois estes querem ter o domínio do mundo.

    ResponderExcluir
  13. O Brasil está quase chegando neste nível de fanatismo religioso (só que cristão). Triste.

    ResponderExcluir
  14. "Misturar qualquer deus com política é receita certa para o horror" ...mas o Tibet era uma teocracia que parecia ir muito bem antes do controle chinês. O mesmo vale para o Butão, uma monarquia de viés teocrático, em que a população parece estar bastante satisfeita com o sistema.

    Um dos maiores erros que vejo por parte dos céticos e ateus é colocar todas as religiões no mesmo balaio, quando é óbvio que existem enormes diferenças, principalmente no quesito "maluquice".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não existem. Pelo menos não entre as religiões monoteistas, abraâmicas, ditas "do livro".

      Sociedades teocráticas que "parecem" ir muito bem, apenas parecem. Devido a natureza das religiões, suas certezas e verdades absolutas, sociedades assim são incompatíveis com democracias, direitos, tolerância, etc.

      Sua obediência a seres sobrenaturais onipotentes as torna perigosas e daninhas. Se o deus imaginário ordena ajudar pobres, ótimo, isso é bom. Mas se ordena, se se acredita que ordena, explodir ônibus de crianças infiéis, nade se pode fazer a não ser obedecer.

      Como Abraão, só se pode cumprir o desejo de deus, e matar o próprio filho (importa pouco que deus tenha "se arrependido" um pouco antes).

      Parecer estar, e estar realmente, são coisas distintas, bem distintas.

      E chamar a superstição dos outros de "maluquice" é ilógico. Acreditar que uma mulher sob aos céus de corpo e tudo, que biscoitos de farinha se transmutam em carne e sangue de um deus, entre outras coisas, não é menos maluco que qualquer outra superstição.

      Pastores em toda parte alegam que seu deus imaginário deseja que persigam e tornem insuportável a vida de gays. Pastores da KKK defendem que deus deseja a separação de raças.

      Mórmons, embora tenham mudada de modo um tanto envergonhado, baseiam sua fé em um livro que determinava claramente a inferioridade de negros. Um livro que foi "traduzido" por um profeta que encontrou duas pedras e um chapéu mágico, que colocadas em sua cabeça permitiam que deus ditasse a tradução para ele.

      Cobras que falam, pessoas que andam sobre a água, tudo maluquice. Falta pouco, se alguém acredita em qualquer dessas coisas, para acreditar em outras mais perigosas e daninhas.

      Como atacar embaixadas por ofenderem seus amigos imaginários.

      Cogita Tibi

      Excluir
  15. Enquanto isso, o novo senador do Brasil diz que vai seguir a Igreja Católica Apostólica Romana.

    Medo!

    ResponderExcluir
  16. É impressionante o esforço do totalitarismo midiático em tentar desviar o foco sobre a morte de quatro funcionários do consulado dos Estados Unidos em Benghazi, Líbia, entre os quais o próprio embaixador.

    Informam que “o ataque foi um protesto contra o filme "Innocence of Muslims", realizado pelo americano-israelense Sam Bacile, que considera o islamismo um "câncer".

    Essa mídia deve considerar seus leitores idiotas.

    O filme pode até ter irritado alguns muçulmanos, mas essa mídia esquece que a Líbia é uma nação ocupada e portanto qualquer empresa ou governo que ajudou a esquartejar o país é alvo de qualquer nacionalista líbio.

    Quanto ao filme e ao islamismo, basta dizer que a Arábia Saudita, que se considera guardiã dos locais sagrados, não se manifestou.

    Porque seus teocráticos governantes ( que de idiotas eles não têm nada) sabem perfeitamente que o atentado contra a embaixada dos Estados Unidos não teve nada a ver com religião.

    Pior do que a mídia totalitária, foi a manifestação do genocida Obama:
    "Os Estados Unidos condenam nos termos mais fortes este ataque ultrajante e chocante (..) Não há justificativa para essa violência”.

    Para a morte de 4 estadunidenses “não há justificativa”, o que dizer então para os mais de um milhão de iraquianos brutalmente assassinados?

    E os afegãos?

    E os libaneses e sírios?

    Para esses há justificativa?

    Diariamente os Estados Unidos estão assassinando resistentes iraquianos.

    Diariamente os Estados Unidos estão assassinando resistentes afegãos.

    Diariamente os Estados Unidos estão assassinando resistentes sírios.

    E para não ficarem à margem, diariamente seus aliados turcos assassinam resistentes curdos e seus serviçais israelenses assassinam resistentes palestinos.

    Até onde isso vai levar?

    A resposta cabe aos invasores e ocupantes.

    Do Blog do Bourdoukan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Glauco, o autor deste texto colocou o dedo na ferida, é bem isso.

      Excluir
  17. Sobrea a foto.

    "Civis líbios ajudam um homem que, segundo testemunhas, seria o diplomata americano J. Christopher Stevens, logo após o ataque em Benghazi; Stevens acabou morrendo (Foto: AFP)"

    http://g1.globo.com/revolta-arabe/noticia/2012/09/embaixador-americano-assassinado-na-libia-apoiou-revolta-contra-kadhafi.html

    ResponderExcluir
  18. Desabrocham as flores da Primavera Árabe...

    ResponderExcluir
  19. Fato lamentável que se se dá em função de mentes sem entendimento.

    ResponderExcluir

  20. Esse Clovis Rossi é, como tantas outras figurinhas da imprensa, um exemplo de capachismo politicamente correto pseudo-laico (anti-cristão).

    O energúmeno acha que a culpa principal é do pastor Terry Jones, e não do grupo de judeus que produziu o filme que ataca o Islamismo ou dos próprios fanáticos islâmicos que sairam matando os outros.

    Os cristãos, como sempre, são os bodes expiatórios ideais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente,, todos sabemos que os cristaos sao pessoas boas,centradas e justas, incapazes de fazer besteiras, sem exceçoes! Criticar um cristao? Que absurdo!

      Excluir
    2. A culpa dos cristãos é de terem se apropriado da crença e do deus judaico sem a autorização deles, judeus; ainda fizeram uma continuação não autorizada do best seller e deram o nome de Novo Textamento.Todo mundo(todos malucos) sabe que os judeus são o "povo escolhido", cristão são tolos...a culpa é de ser burro!

      Excluir
    3. ops...testamento!

      Excluir
  21. Nem parece um site ateu, criticam o Papa, pastores, dizem o que querem de Jesus e não consegue simplesmente criticar somente os muçulmanos assassinos?
    morrem milhares de cristão todos anos vitimas de muçulmanos.
    Enquanto o protesto contra o Islam é atraves de filmes, lá no islam, mulher apanha, anda coberta da cabeça aos pes, usam a sharia para matar cristãos, vcs não entenderam ainda que o islm é assim mesmo? vcs n entendem que nos todos somos infieis e como tal ou se converte ou morre? veja o que aconteceu com o o ateu da indonesia.
    A materia foi simplesmente assim : outras religiões podem meter o pau e fazer escarno, mas com o islam nunca!
    o errado sao cristaõs fundamentalistas ,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc parece um novato aqui vou lhe mostrar artigos que criticam os mulçumanos fanáticos, pode todos artigos crentelho,
      http://www.paulopes.com.br/search/label/mu%C3%A7ulmanos link no comentário

      Excluir
    2. Existe ainda um outro motivo para não condená-los, em especial, quando erradicam cristãos: estão purificando o planeta. Ao concluírem sua missão, em vez de termos que nos entender com dois parasitas, só precisaremos focar em um.

      Excluir
  22. Três colocações: Esse fanático imbecil do Terry Jones deveria ser preso por ter criado uma crise diplomática que custou a vida de um embaixador americano e tres cidadãos dos EUA. Podendo ter mais mortes.

    Este tipo de situação me faz repensar se deve ou não haver um limite para a "liberdade de expressão" que mais comummente é usada apenas para agredir e atacar. Tipo como fazem o Malafaias da vida.

    Mitt Romney é um idiota. E se for eleito será muito pior do que Bush foi. Sua reação nesta crise prova isso.

    ResponderExcluir
  23. Quando é que esses malditos muçulmanos vão aprender a ser gente? Então os macacos de alá saem por aí matando inocentes por causa de uma bobagem dessas? Ê, falta de pica!

    http://www.youtube.com/watch?v=_25-vAfwlUM

    ResponderExcluir
  24. Eu acho o seguinte, independente do filme ser ofensivo ou não, ele ofende idéias e idéias não merecem respeito, e sim devem ser confrontadas, só assim há a evolução do ser humano.
    Mas caso a reação seja a balas, então que paguem com a mesma moeda, comecem a matar uma meia dúzia desses fundamentalistas islâmicos para mostrar pra eles, que não iremos tolerar suas imaturidades.

    ResponderExcluir
  25. os muçulmanos deveriam pedir seu deus que viesse pessoalmente resolver essa questão não matar assim só porque eles acreditam tanto neste ser maomé vergonhoso ser!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário