Evangélicos tiram filhos da escola para ensinar valores morais em casa

Hugleslei Vagner Mendonça Filho
Mendonça quer para filhas ensino
de acordo com princípios bíblicos
"Somos evangélicos e seguimos princípios bíblicos contrários ao que se ensina na escola, como o homossexualismo.” É o que disse o metalúrgico Hugleslei Vagner Mendonça Filho (foto), 35, ao explicar por que ele e sua mulher Fabrícia, 32, tiraram este ano suas duas filhas — uma de 10 anos e outra de 7 — da escola e adotaram o ensino em casa.

O casal mora em Timóteo (MG), cidade de 81 mil habitantes que fica a 216 km de Belo Horizonte. A cidade tem 200 famílias que substituíram a escola por homeschooling, o ensino em casa. A maioria delas é evangélica, informou Cláudia Collucci, da Folha de S.Paulo.

Em todo o Brasil, houve um rápido crescimento do homeschooling, abrangendo cerca de mil famílias, contra as 200 registradas em 2009, de acordo com levantamento da Aned (Associação Nacional de Ensino Domiciliar).

Além das questões morais, o que tem levado as famílias a tirar seus filhos da escola é o baixo nível de ensino.

“Em casa, eles [filhos] puderam receber uma educação que os preparou para o mercado de trabalho e para a vida adulta”, disse o empresário Cléber Nunes, 48, coordenador da Anplia (Aliança Nacional para Proteção à Liberdade de Instruir e Aprender). Em 2005, ele e sua mulher, Bernadeth, 44, tiram seus filhos da escola, Davi, hoje com 19, e Jônatas, 18.

O homeschooling é no Brasil uma prática polêmica por dois motivos. Primeiro: é ilegal porque o Estatuto da Criança e dos Adolescentes e a Lei de Diretrizes e Bases obrigam os pais a matricularem os filhos em uma escola. Segundo: educadores afirmam que as crianças têm de conviver com outras de sua idade e com professores, em um processo de assimilação das diferenças e pluralidade.

Nunes foi condenado a pagar R$ 9.000 de multa por tirar seus filhos da escola. Outras famílias estão tendo de responder à Justiça pelo mesmo motivo. Em Timóteo, 21 famílias se preparam para pleitear no Ministério Público o direito de educar os filhos.

Fabrícia afirmou que, para suas filhas, não há problema de socialização porque elas “têm amiguinhas de igreja”, além de frequentar aula de natação fora de casa duas vezes por semana.

Mariana Silva
Para Mariana, há perigo
na socialização escolar
O administrador de empresas Glayson Fick Silva, 41, e sua mulher Mariana (foto), 31, afirmaram que querem manter longe de sua filha Emilly o tipo de socialização oferecido pela escola.

Mariana disse que no período de um ano em que sua filha esteve matriculada em um estabelecimento de ensino houve um caso menina grávida e outro de sexo oral entre alunos no banheiro, além de um aluno pego com uma arma de fogo.

Encontra-se em tramitação no Congresso um projeto de lei do deputado Lincoln Portela (PR-MG) que, se aprovado, regulamentará o homeschooling, a exemplo do que ocorre em países como México, Canadá e Inglaterra.





Com informação e imagens da Folha de S.Paulo. (só para assinantes)

Comentários no Facebook.

Evangélicos adotam noivado sem sexo e nem sequer beijo na boca
junho de 2012

Pai-nosso na escola formará ‘cidadãos melhores’, diz vereador
janeiro de 2012

Comentários

  1. Vejam também:

    Jesus Camp
    http://www.youtube.com/watch?v=XAc1aeQrxUI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os evangélicos descobriram, porem não podem divulgar, que não existe o livre arbítrio. É na educação desde criança que colocamos as correntes que nossos filhos podem levar para a vida inteira...E ainda falam que Deus fez o certo ao dar ao homem o livre arbítrio porem ele querem pessoas cada vez mais acorrentadas, que contradição!

      Excluir
  2. Sou super favorável, já que eles não estão na escola para aprender mesmo, e ainda diminui o preconceito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só pode ter sido mesmo!

      Excluir
    2. Eu também sou favorável pessoal. É muito triste, na minha visão, mas é necessário respeitar a liberdade individual deles. Eles tem todo o direito de não colocarem o filho na escola se não quiserem, afinal de contas, a responsabilidade pela educação dos filhos é dos pais.
      O que o governo tem de fazer se quiser reverter a situação não é OBRIGAR esses pais a colocarem seus filhos na escola e sim se preocupar em melhorar a qualidade da educação. No lugar desse pai, eu não sei se eu faria diferente, pois de um lado de a igreja, mas do outro lado, ao invés de educação científica, vemos drogas, alunos batendo em professores, apanhando dos colegas e conhecendo o crime.

      Excluir
    3. Eu também sou favorável, pois não acho lícito ir contra a liberdade individual da pessoa e dizer que ela é obrigada a colocar o filho na escola, até porque a responsabilidade de dar educação para o filho é dos pais.

      Além disso, será que se estivessemos no lugar dessa pessoa, não fariamos o mesmo? De um lado, você vê religião. Do outro, você seu filho ficando sujeito ao crime, a drogas, alunos batendo em professores, crianças totalmente desinteressadas, etc.

      Ao invés de multar o senhor por tirar seu filho da escola, o governo deveria dar uma escola de mais qualidade. Ou então, deveriamos nós, voluntários, oferecer isso no âmbito privado, obtendo recursos de alguma forma.

      Sou ateu, odeio o Feliciano, mas defendo a liberdade desse senhor tirar seu filho da escola.

      Excluir
  3. As crianças poderiam conviver com as outras para mostrar o que aprenderam estudando em casa com os pais.

    ResponderExcluir
  4. Se numa turma de colégio tem 40 alunos e o professor não consegue ensinar os 40, então é melhor os filhos estudarem em casa com os pais, isso se os pais tiverem tempo para dar aula em casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá, "gênio". Todo pai, vai ver, é formado em Letras, Matemática, Pedagogia, Biologia, História, Geografia... todos "aptos" ao ensino, né? Já vejo essas crianças crescendo e falando que evolução é ficção e a verdade é mundo criado em 6 dias, luz antes das estrelas, cobra falante e por aí vai... Isso, imbecilizemos o Brasil ainda mais!

      Excluir
  5. Sou católico e sou à favor do homeschooling.

    homeschooling não é uma criação de católicos ou protestantes. Isso já faz parte até mesmo da criação familiar.

    É burrice achar que um Estado falido tem capacidade de dar instrução para todas as crianças.

    ResponderExcluir
  6. Estudo em casa. Já prevejo um bando de sub-empregado, que teremos que sustentar com programas sociais do governo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não basta estudar em casa, é necessário também passar nos testes, nas avaliações fora de casa.

      Excluir
    2. Pois é, mas o importante é que eles terão deus no coração, isso com certeza vai alimentá-los

      Excluir
    3. Deus no coração?!! Até parece que evangélicos e católicos mais fanáticos tem isso que chamam deus no coração... Eles tem é ódio, muito mais do que amor, o que tem mais a ver com o que se chama de deus.

      Excluir
    4. Religião não joga pão na mesa.

      Excluir
  7. Tem que separar as coisas, uma coisa é querer tirar da escola para ensinar religiosidade para aluno, e nao mostrar o ponto de vista cientifico de um assunto.

    Outra coisa é querer tirar da escola por causa da putaria e o medo de alunos armados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem um nem outro é justificável. Violência existe em qualquer lugar, até em casa. É burrice querer fechar os olhos pra isso, como se o mundo fosse colorido e brilhante como os campos verdejantes dos Teletubbies.

      Doutrinar crianças deveria ser crime.

      Excluir
    2. Doutrinar deveria ser crime.
      ALIÁS, religião deveria ser crime.

      Excluir
    3. Vamos fazer assim, primeiro você cresce luan, vira um homem de verdade, depois de que tiver pelinho no saco, e ter responsabilidade de homem e finalmente ter uma filha uma família para cuidar, você leva ela essa sua filha para essa escola aonde tem alunos armados. Crianças...

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Vou fazer de conta que esse ad hominem patético foi feita por um menino de 14 anos virgem, bobinho e que só finge que sabe alguma coisa da vida. Anônimos trolls pra mim é o mesmo que nada, então vou pegar leve com você.

      E só pra constar, tenho 19 anos e sou gay, então não corro este risco. Mas se por um acaso eu quiser um dia adotar uma criança, não será em escola pública de favela, muito menos religiosa que ela estudará. Você fala como se em todas as escolas tivessem alunos armados e todas não prestassem. Isso é paranoia.

      Violência existe em qualquer lugar, bebêzinho, não só na escola. Retirar a criança de um convívio social na escola e privá-la de uma educação adequada é querer tapar os olhos com a peneira, não resolve nada.

      Excluir
  8. Pobres crianças. Esse fundamentalismo religioso todo não seria uma espécie de psicopatia, sociopatia, ou qualquer coisa assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se fosse, o Estado não diria que é crime atrapalhar um culto religioso.

      Excluir
    2. Isso tem haver com a liberdade de expressão seu imbecil fundamentalista. Bando de hipócritas.

      Excluir
    3. O aluno tem a liberdade de se expressar para o professor e o professor tem a liberdade de dizer se o aluno está certo ou está errado.

      Excluir
  9. É mais facil não ter filhos do que criar enjaulados por causa de psicose dos país.

    ResponderExcluir
  10. É improvável que o homeschooling colabore com o crescimento educacional que o Brasil precisará para sair da valeta econômica que encontrará no futuro, onde economias (e empregos) que invistam em alta tecnologia com sustentabilidade serão o sucesso evolutivo daqui 40, 50 anos.

    É mais provável que o homeschooling produza mais pastores e televangelistas do que engenheiros.

    ResponderExcluir
  11. o brasil, esta alinhado com os paises comunistas, por isso proibe que os pais eduquem os filhos em casa.

    ResponderExcluir
  12. Por um Brasil (ainda) mais idiota.

    O quer vai ter de pai desenhando arca de Noé...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dizer que algo aconteceu é fácil, difícil é fazer acontecer de novo, portanto um critério de verificação da veracidade dos fatos é verificar se o fato acontece de novo.

      Excluir
    2. boa,régis!!!!!!!!!!!!!!!!! aí eu te pergunto: esses pais imbecis terão autonomia para expedir diplomas de conclusão de nível? como? é só retardado que apoia uma ideia dessa!!!

      Excluir
    3. Se os filhos forem bem preparados eles estarão aptos a resolverem os testes das escolas, aí as escolas em vez de dar aulas, fariam apenas os testes, as avaliações.

      Excluir
  13. Isolamento, ensino de conceitos puramente religiosos, aumento de preconceito e segregação.

    Eu começo a achar que o inferno na Terra são essas religiões neo-pentecostais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tenha dúvida. O neopentecostalismo é a escória da escória ! O pior do meio evangélico. E sempre q nos expomos ao ambiente, a tendência é nossas opiniões ficarem menos extremas, pq somos influenciados pelo ambiente.
      A religião sobrevive exatamente com o contrário, tentando isolar as pessoas da diversidade, pra elas nao poderem pensar em nenhuma outra forma de ver o mundo, pq só assim a religião consegue sobreviver, num meio de burrice e alienação, quase sempre.
      Eles são tao inseguros q nao podem nem ouvir música nao-religiosa, nao pode conviver com alunos ateus, nao podem conviver com gays. Tudo isso pq ( no caso dessa família ) eles tem medo da influência externa.
      No fundo eles sabem, que , sem dúvida, a religião floresce num meio sem dialética.
      A partir do momento q temos o hábito de questionar as coisas, a religião desce por água abaixo.
      O elemento chave para o desenvolvimento e perpetuação da religião é produzir a ALIENAÇÃO na sociedade.
      Filosofia deveria ser matéria de peso na escola, o pensamento e questionamento, estes sim, produzem verdadeiros "milagres", tirando as pessoas da Caverna Platônica da qual muitos vivem...

      Excluir
  14. Como ateu, penso que tem que ter um tipo de tipo de regularização, assim como a educação à distância. Verdade seja dita: a escola (quer pública, quer particular) perdeu sua função de transmitir conhecimentos essenciais e valores éticos para tornar-se hoje um lugar onde crianças e adolescentes terão contato drogas, violência, sexo precoce e bullying. A filha da minha prima, por exemplo, teve sua imagem usando o banheiro da escola divulgada na internet por causa de duas meninas que não gostavam dela (tiraram fotografias dela com o celular). A menina sentiu-se tão envergonhada que saiu da escola.
    Isso não é coisa de evangélico, católico, judeu e ateu. Se eu tivesse filhos e grana, arrumaria professores particulares para educá-los em casa, sem culpa. Os alunos que estudam na modalidade "homeschooling" costumam sair melhores que os alunos da escola pública. Fonte: Homeschool Statistics.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só completando: é preciso diferenciar esses fundamentalistas que utilizam a educação domiciliar para pregar suas teorias malucas das famílias sérias e responsáveis. Pessoas como Julian Assange, Charlie Chaplin, Agatha Christie, Albert Einstein e a atriz teen Selena Gomez estudaram na modalidade de educação domiciliar. Veja a lista completa aqui.

      Excluir
    2. Concordo Washington, desde que haja uma espécie de regulamentação e uma forte fiscalização. E, também, uma espécie de avaliação, feita pelo governo, observando o desenvolvimento educacional de cada criança. Porém do jeito que as coisas andam, creio que será muito difícil, o governo já possui grandes dificuldades em administrar o ensino público, quem dirá um homeschooling. Por isso acho essa ideia meio ruim aqui no Brasil.

      Excluir
  15. >>"Evangélicos tiram filhos da escola para ensinar valores morais em casa"

    -Brainwashing Lvl: It's Over 9000.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resta saber se esses valores morais vão servir para passar nos testes que podem aparecer fora de casa. Exemplo: Saber onde ficam os lugares da cidade, requer conhecimento de geografia.

      Excluir
  16. Se o pai ou a mãe assinarem um termo se comprometendo a exibir vídeos do Kit Gay todo dia para os meninos e a fornecer camisinhas para seus filhos de 8 anos de idade (como é feito nas escolas públicas), o MEC e o governo podem até permitir o ensino em casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seus conceitos são deprimentes e doentios, sabia? PS: posso afirmar isso sem medo de ser injusto, mesmo pelo pouco que escreveu.
      .
      Primeiro: se refere a vídeos do "Kit Gay" serem mostrados para MENINOS. Não podem ser mostrados a meninas também? Ah não, claro, é feio e pecaminoso apenas a homossexualidade masculina, já a feminina é liberada né (afinal, quem não curte ver duas "minas gostosas" de pegando?).
      .
      Segundo: qual o problema em fornecer camisinhas? É inegável que as pessoas estão iniciando a vida sexual cada vez mais cedo. Que façam, então, pelo menos com segurança (evitando DSTs e gravidez indesejada). Ou você é hipócrita o suficiente de pensar que as pessoas deixarão de fazer sexo só porque é "feio"?

      Excluir
    2. Ih, surgiu um maluco homossexualista que não sabe que o termo "meninos" é como "crianças": se refere tanto a meninos do sexo masculino quanto os do sexo feminino.

      E que acha que dar preservativos pra criancinhas é uma medida necessária e saudável, sob as mais criativas desculpas.

      Deve trabalhar no MEC ou na parada gay (desculpe a redundância).

      Excluir
    3. Opa, trabalho no MEC e na parada gay! É só rindo mesmo desses crentelhos. hahahhahaha
      .
      Não, "menino" é uma criança do sexo masculino e "menina" é uma criança do sexo feminino. Criança é o gênero, ok? Então não me venha com essas desculpas agora, por favor.
      .
      Faz tempo que me formei, mas minha mãe é professora do 1º ano do ensino fundamental (ela é bem religiosa) e nunca veio falando que estão distribuindo camisinhas na escola em que ela trabalha. Sendo assim, quais as provas de suas alegações?
      .
      Outra coisa, e que realmente deve acontecer Brasil afora, é a distribuição em escolas do ensino médio, mas não nas do ensino fundamental (onde estão as crianças de 8 anos).

      Excluir
    4. Significado de "menino", pro crentelho desinformado: http://www.dicionarioweb.com.br/menino.html

      Excluir
    5. Pro encrenquinha preocupado com as questões de "gênero":

      Onde se lê "meninos", leia-se "crianças" (sexo masculino e feminino). Ok?

      Pode agora continuar reclamando de outras coisas e discutindo o sexo das crianças e dos anjos.

      E continuar fazendo sua propaganda gay pegagógica, claro.

      Excluir
    6. Ai, ai, crentenho. Humildade passa longe de pessoas como você né? Já a hipocrisia...

      Excluir
    7. E só pra finalizar: não é propaganda "pró gay". É apenas propaganda "pró cada um cuidar da sua própria vida".
      .
      Quem não é gay, não tem o direito de decidir sobre o que os gays podem ou não (no sentido de direitos/benefícios, e não no sentido de obrigações). E a recíproca é verdadeira.

      Excluir
    8. Isto é mais um plano para dominar o mundo, promovido pela alta cúpula ateogaysista iluminati.

      Excluir
    9. Puta merda, sério, fica insuportável e ver todo dia, todo post esse anônimo IMBECIL puxar pro lado da homossexualidade, com seus delirios conspiracionistas!

      Que tara, pelo amor!

      Excluir
    10. A existência de livros permite que os alunos estudem em casa, faltando depois a escola avaliar se os alunos aprenderam a matéria.

      Excluir
    11. Boa parte dos transtornos mentais graves tem como pano de fundo no discurso do doente a sexualidade, a política ou a religiosidade. Deve ser por isso que tem tanto imbecil com delírio conspiracionista espalhando suas ideias paranoides por aí como o Luan disse... Ou no mínimo a pessoa tem questões BEM mal resolvidas ligadas a esses elementos.

      Excluir
    12. A polêmica em cima do kit anti-homofobia é ridícula. Isso existe em trocentos países desenvolvidos e outra : É pro ensino médio, e não pro ensino fundamental ! Mas obviamente a crentaiada e os paga-pau de Bolsonaro e turma gostam de deturpar os fatos para oq lhes convém.
      Outra, homossexualidade já é praticamente consenso q não é comportamental e sim uma característica de cada pessoa. Provavelmente ligada a genética ou a questão hormonal. E pra isso tem q se estudar biologia e psicologia. Crente nao pode achar q pode dar opiniao sobre gays se ele nao sabe oq é isso.

      Opinião sem conhecimento não é conceito, é preconceito, e ponto final crentaiada !
      O mesmo vale pro aborto ! Vai estudar, depois vem dar opinião.

      E pra finalizar, conspiracionistas nao merecem atenção. Pseudo-ciência é deplorável. Esses termos de gayzismo, illuminati, e sei la q merda nao passam de linguagem vitmista e reacionária de setores da sociedade q nao querem aceitar a evolução da civilização.

      Ai ai.. como essa retórica me lembra os conservadores americanos dos anos 60 dizendo q os negros queriam dominar o mundo.
      Senta lá, ignorantes.

      Excluir
    13. "Educação" ideológica pró-homossexualismo é que é boa e científica, garantem os sábios defensores da causa gay.
      O resto, claro, é "preconceito" e "homofobia".

      Excluir
    14. "Educação" ideológica pró-homossexualismo é que é boa e científica, garantem os sábios defensores da causa gay.
      O resto, claro, é "preconceito" e "homofobia".

      o certo seria homossexualidade, deixe estes delírios biblicistas de lado

      Excluir
    15. O certo certamente não é ensinar que cobra fala e nem aprender a apedrejar pessoas consideradas "impuras".

      Excluir
    16. Esse troll pseudo-homofóbico deveria se assumir.O cara só sabe atacar os gays para desviar o foco dos absurdos da turminha crentista e neocrentista dele.

      Excluir
  17. Se os pais ou tutores da criança tiverem valores éticos verdadeiros (não uma moralidade circunstancial e segregadora) e tiverem um grau elevado de conhecimentos linguístico, matemático e científico, não vejo problema no homeschooling; o que infelizmente cabe a muito poucos pais/tutores. Infelizmente o bullying escolar entre crianças e adolescentes é extremante alto, e acontece com mais frequência entre os que destoam do grupo, seja pelo aspecto físico, por fobia social ou por motivo de crença (como o blog costuma mostrar). Isso sempre aconteceu; apenas agora é que há um rótulo para isso e uma maior consciência do problema. Há escolas exclusivas para superdotados intelectualmente? Ou para deficientes? É importante o contato com outras pessoas, mas muitas vezes há mais danos que ganhos. O ser humano é complicado.

    ResponderExcluir
  18. ao que se ensina na escola, como o homossexualismo.” É o que disse o metalúrgico

    ResponderExcluir
  19. A escola ensina a tolerancia entre maioria e minoria, na escolas têm pessoas inteligentes e educadas assim como têm valentões e barraqueiras, os país tem a obrigação de ensinar o bom caminho, eu por exemplo nunca estudei isoladamente, na escola eu via alunos educados e mal-educados, eu seguia o conselho dos meus paìs, se eu seguiçe alunos que só se envolvem em brigas, discusões ia acabar me metendo em furada, por isso acabava respeitando a todos mas só era amigo de quem ficava livre de encrencas, o comvivio na escola foi importante para eu perceber que gente má tem de todo o tipo, e para toda maldade existe consequencia, aprendi que devemos pensar antes de falar e de fazer escolhas, no que diz respeito a homossexualidade aprendi que eles não melhores e nem piores que ninguem e merecem igualdade e respeito assim como qualquer um de nos, um ensino educacional onde a criança é criada em uma bolha de perfeição e fantasia só prejudicara a vida dela, pois ela não tera a malicia de perceber as maldades que acomtece no mundo lá fora, provavelmente não passara em um concurso publico, em fim crescera ignorante e com tabu em diversos tipos de assunto, além de que dependendo doque os pais ensinarem a criança podera se tornar um adulto mal educado, preconceituoso, egocentrico e mimado, é preciso conhecer e conviver com o mundo para saber onde é seguro e onde é duvidoso e trancar os filhos em casa não dara esse tipo de conhecimento.

    ResponderExcluir
  20. "um ensino educacional onde a criança é criada em uma bolha de perfeição e fantasia só prejudicara a vida dela, pois ela não terá a malícia de perceber as maldades que acontece no mundo lá fora"

    Muitas vezes a maldade se encontra dentro de casa, entre os próprios consanguíneos. E "malícia" talvez não seja o termo exato: talvez "sagacidade" ou "consciência-do-mundo".

    ResponderExcluir
  21. Um pai sem cultura ensinando o filho em casa usando a Bíblia, o menino vai ser um gênio!!!

    ResponderExcluir
  22. eu sou a contra,se eles tem a opção de matricular os filhos em uma escola particular

    ResponderExcluir
  23. A escola é um espelho da sociedade. Não é uma bolha intocável e está sujeita aos mesmos problemas que encontramos todos os dias.
    Estudar em casa é uma boa ideia se a pessoa dispõe de recursos para tal, o que no caso em questão parece-me improvável.
    Parece ser mais uma ideia tosca; algo do tipo: vou proteger meus filhos ensinando os caminhos de gzuis. A vida não é assim e, por melhor que seja a proteção da família, as crianças tem que aprender a viver em sociedade e ver a vida com seus próprios olhos.

    ResponderExcluir
  24. Tenho pena dessa criança, imagine crescer só ouvindo esses bitolados fanáticos! Argh

    ResponderExcluir
  25. "Papai, pq 1+1=2?"
    "É pq deus te ama filho, agora acredite que veio do barro ou vai queimar por toda a eternidade!"

    Isso só gera mais gente intolerante, sofrendo lavagem cerebral por outros bitolados.

    ResponderExcluir
  26. Paulo Lopez, pq vc não coloca o link direto para a matéria da Folha de Sp??
    Eu gosto de ver os comentários no site da Folha, e é um saco ter que ficar catando a matéria.
    Se puder colocar o link nas próximas matérias, agradeço.
    Rodrigo*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloquei o link, cujo acesso é só para assinantes do jornal. Comentários de leitores você só vai encontrar na versão da reportagem para a Folha.com, de livre acesso.

      Excluir
  27. Eu acho isso complicado. Se professores com formação não conseguem realizar seu trabalho com eficiência, como podemos esperar que pais que não terminaram o ensino médio, por exemplo, sejam capazes de passar conhecimento de forma adequada? Imagine como seria um pai metalúrgico tentando ensinar ao filho como calcular probabailidades de nascimento com determinada característica em genética. Ou tentando fazer uma avaliação histórica do período colonial do Brasil.

    Eu não sou a favor de homeschooling. Sou a favor de escolas melhores e acompanhamento dos pais. Porque esse modelo de educação em casa não vai formar jovens preparados. O evangélico quer educar os filhos em casa porque sabe que numa escola de verdade não vão ensinar sobre o dilúvio ou outras besteiras. A criança vai crescer achando que morcegos são pássaros e que existem insetos de 4 patas.

    Existem lugares onde a educação funciona e se não está funcionando aqui, a saída não é abandoná-la, mas consertá-la. Observando os exemplos de onde funciona, pode-se adaptar os métodos pra nossa realidade.

    Acho que se o homeschooling for adotado aqui, teremos uma situação devastadora. Filhos de pais ricos terão as melhores oportunidades (porque seus pais contratarão professores particulares), enquanto filhos de pais pobres, que não terão capacidade de educá-los corretamente, serão massa de trabalho desqualificada. Vai ser um desastre.

    ResponderExcluir
  28. Bom, sou favorável à legalização do homeschooling, desde que o conteúdo programático seja compatível com o da escola e que se respeita a fase de desenvolvimento da criança/adolescente. No caso de crianças que tem a cpacidade de aprender mais rápido e avançar as séries, acho que é até melhor, não?
    Agora, tirar da escola por conta da religião, sei não...

    ResponderExcluir
  29. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  30. Vamos tocar no assunto, preferenciando a não citação da religião:

    Na minha opinião, passou da hora de melhorar a qualidade do ensino no Brasil, mudando essa visão estigmatizada q escola = reformatório. O homeschooling seria um "reforço" p/ o ensino (mais ou menos o q ocorre com cursos on-line ou particulares de aulas q não tem na escola, como constituição).
    O problema é depender apenas do homschooling, onde foi citado, a falta do processo de assimilação das diferenças e pluralidade.
    Sobre a tal Mariana,para "os perigos da socialização", existe os conselhos dos pais, não é??? ¬¬

    Agora citando a religião, alguém duvida q estão querendo viver numa bolha??? Acho q religião sempre será contra a inclusão social, pelo visto.......

    ResponderExcluir
  31. Se o professor do colégio não quiser que os alunos conversem entre si, não haverá socialização entre os alunos.
    O professor, que fala em voz alta e quer todo mundo preste atenção, costuma proibir os alunos de conversarem entre si.

    ResponderExcluir
  32. creio que a maioria erra num pequeno detalhe, oque a escola tem que ensinar é a educação academica e não moral, a moral é sempre foi de obrigação dos pais, então essa de "a escola do meu filho(a) não o esta ensinando" pois ela não estaria passando ensinamento moral, pra mim é uma prova de que os pais dessa criança são nefrigentes e acham que o estado tem obrigação de educar os filhos deles por eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando o professor proíbe um aluno de copiar as respostas de outro aluno, na hora da avaliação, não seria um ensinamento moral do professor da escola?

      Excluir
  33. Como futuro professor, não vejo o homeschooling com bons olhos.

    A questão aqui não é a qualidade do ensino no país. Existe escolas boas e escolas ruins, vai dos pai sescolher o melhor pro seu filho. Violência também não é justificativa, já que existe em qualquer lugar, até dentro de casa, não só na escola. Seria mais fácil tentar programas de conscientização contra o bullying, a violência e afins. Tapar o sol com a peneira não resolve nada. Se tem problemas, vamos tentar consertar.

    Não sou favorável a isso por diversos motivos. O pai não tem a capacidade e a formação que um professor tem para dá aula. Misturando isso com religião, teremos o que aconteceu no episódio da aula de biologia no colégio adventista. Vai dá confusão.

    "Ah, mas ele pode contratar professores particulares", alguns me dizem. Sim, mas se você calcular bem, o que os pais gastam com professores particulares de qualidade daria pra pagar uma mensalidade numa das melhores escolas particulares do país. Não estou exagerando, professor particular ultimamente custa caro, e isso serve geralmente mais pra aula de reforço do que pra uma aula numa escola em si. Não substitui.

    Mas a questão principal de que sou contra é por pura questão social. A criança tem que crescer convivendo com outras crianças, de todos os tipos. Com "amiguinhos da igreja" ela não vai aprender o que é respeito com quem é diferente de você. Escola e ensino não é só aula, prova e nota. É aprender a trabalhar em equipe, é aprender a respeitar as diferenças e fazer amizades, aprender sim valores sociais que levará pra sua vida inteira.

    Além do homeschooling ser contra o estatuto da criança, é claro. Você privar uma criança de um ensino de qualidade, tentar praticamente escondê-la da sociedade apenas para doutriná-la com base na sua religião é, ao meu ver, um crime. Pais que fazem isso deveriam perder a guarda dos seus filhos, pois o estão prejudicando socialmente.

    O que eu estou vendo é muito paranoico pensando que o filho é como uma "propriedade" e que o mundo vai devorar eles vivos. Tá na cara que homoschooling está virando "modinha" entre os evangélicos com medo que seus filhos sejam "mal influenciados" com coisas que considerem "malignas", vide Julio Severo. Paranoia pura.

    Agora, que valores são esses que eles querem ensinar pro seus filhos? Pode ser qualquer coisa, pode ser o valor de querer assassinar homossexuais, por exemplo. Isso é um valor, pelo menos para alguns.

    Se o homeschooling for realmente legalizado no Brasil, terá que ter forte fiscalização do governo, com professores cedidos eplo próprio governo, além da criança ter sim que frequentar programas de socialização e cidadania junto com outras crianças, também do próprio governo. Mas isso pra mim não substitui a importância da escola.

    O ensino no Brasil pode não ser o melhor do mundo, mas desmerecê-la não é o caminho. Escola, querendo ou não, é uma parte importante na formação da criança, e privá-la disso por pura paranoia é um crime contra ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assino embaixo. A escola é o maior envolvimento e contato social da criança. Tirar isso na maior parte dos casos é criá-la paralela a sociedade. Aí quando ela tiver q lidar com a sociedade, nao vai saber. Nao será um bom profissional e MENOS ainda um bom cidadão.

      Excluir
  34. Nossa, daqui à pouco teremos que aturar evangélicos bombas? Pois os fanáticos estão cada vez mais descerebrados. Uma parcela da humanidade tá perdida mesmo, alienação total. Mas do que adianta falar alguma coisa para esse tipo de pessoa, eles não tem intelecto para acompanhar uma conversa civilizada. Então continuem "emburrecendo" seus filhos em casa mesmo.

    ResponderExcluir
  35. A intenção por trás de mais essa patacoada crentóide? Manter as crianças longe das aulas de Ciência e sua "satânica" Teoria da Evolução. Corto um braço fora se esses pais não estiverem fazendo isso por influência da pastorzada. A religião está, cada vez mais, perdendo os argumentos e os fiéis. Então, apelam pra tudo quanto é artifício - mesmo que envolva o futuro de crianças.

    ResponderExcluir
  36. Não tenho outra palavra pra dizer que: "Se danem os filhos desses evangélicos ... "

    Coitadinhos, apesar de não terem culpa da anta de família que nasceram, mas de certa forma tiram no futuro a possibilidade dessas antinhas virem a ter sucesso em suas vidas profissionais... e vou rir a culpa de seus pais...

    ResponderExcluir
  37. Novos estudos feitos por renomados psicólogos e sociólogos comprovam que cerca de 84% dos evangélicos são gays sem coragem de se assumir. Pra mim faz sentido! Por isso se afastam e condenam os homossexuais além de evitar beijo e sexo antes do casamento. Quanto menos cotato com o sexo oposto, melhor pra eles.

    ResponderExcluir

Postar um comentário