Fé não pode influenciar decisões de Estado, afirma Mello

Mello: "Deuses e césares
têm espaços apartados"
Antes de anunciar o seu voto favorável ao fim da criminalização do aborto de fetos anencéfalos, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello (foto) fez hoje (11) uma enfática defesa do Estado laico.

“Os dogmas de fé não podem determinar o conteúdo dos atos estatais”, disse, em uma referência à campanha de religiosos pela manutenção da criminalização desse tipo de aborto. Mello é o relator do processo sobre essa questão que tramita no STF há quatro anos.

Ele afirmou que as concepções morais religiosas — unânimes, majoritárias ou minoritárias — não podem guiar as decisões de Estado, devendo, portanto, se limitar às esferas privadas.

“Paixões religiosas de toda ordem hão de ser colocadas à parte da condução do Estado”, disse. Ele fez uma menção à Bíblia: "Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. [...] Deuses e césares tem espaços apartados”.

Ao ressaltar que o preâmbulo “sob a proteção de Deus” da Constituição não tem força normativa, Mello disse que a expressão “Deus seja louvado” que consta em cédulas do real é incompatível com a laicidade do Estado brasileiro. Lembrou que o MPF (Ministério Público Federal) pediu a retirada dessa expressão do dinheiro, sem que obtivesse até agora uma resposta do CMN (Conselho Monetário Nacional).

O ministro disse que não se pode confundir laicidade, que é uma atitude de neutralidade, com laicismo, que pressupõe hostilidade. “O Estado não é religioso, tampouco é ateu”, afirmou. “O Estado é neutro.”

Com informação da TV Justiça.

Voto no STF pró-Estado laico sumiu do noticiário, afirma Dines.
abril de 2012

Mendes critica o que entende ser 'faniquitos' antirreligiosos no STF.
abril de 2012

Religião no Estado laico.

Comentários

Éder Baum disse…
Estava assistindo agora pela manhã. Brilhante discurso do ministro. Alguém sabe onde encontro ele no Youtube ou algo assim?
Roberto Castro disse…
Um homem muito sábio !
VOZ DO BRASIL disse…
sábia decisão, sábio pronunciamento...
Israel Chaves disse…
Ah se todos em posição de poder no governo tivessem bom-senso... Não há muito a acrescentar, o ministro disse tudo o que precisava ser dito.

Como se faz para elogiar a atitude do ministro? Um e-mail oficial ou algo assim que possa ser usado? Tenho certeza de que ele vai receber centenas de críticas e ameaças de cristãos cheios de amor e compaixão, seria legal poder dar algum apoio pelo trabalho bem-feito.
Saturnine disse…
Concordo Israel, temos que mostrar que existem pessoas que apoiam a sua decisão e que ele está no caminho certo.

Paz pra todos,
Bruna
Rodrigo Dias disse…
Por carta para o end: Praça dos Três Poderes - Supremo Tribunal Federal – Central do Cidadão e Atendimento – Anexo II-A – Térreo – Brasília/DF
CEP: 70.175-900

ou então enviar mensagem eletronica com e-mail para respostas aqui http://www.stf.jus.br/portal/atendimentoStf/enviarDadoPessoal.asp
Israel Chaves disse…
Valeu pelo link, Rodrigo Dias, já mandei minha mensagem.
Analista Man disse…
"Estado não é religioso, tampouco é ateu"
Então o Estado é uma estátua.
Rodrigo Dias disse…
Não.... Estado é pessoa jurídica de direito público que exerce competência própria.

Uma estátua é uma obra de escultura criada para representar uma entidade real... ;)

Maiores informaçoes Manual de Direito Administrativo e Dicionario Aurelio
WillPapp disse…
É um assunto polêmico. Irei ver a reprise dos votos dos ministros quando eu chegar em casa. Quero ver como foi a argumentação de cada um. Será muito interessante.

Sou ateu e tenho dúvidas a respeito desse tema. A princípio estou inclinado a não concordar com esse fim da criminalização para esse tipo de aborto. Mas, enfim, quero ver os argumentos para poder fazer a minha própria análise.
Rodrigo Dias disse…
Não sou religioso e também não sou Ateu. Será que eu seria uma estatua também? Estive refletindo sobre isso porque se eu for uma eu quero que os pombos não caguem em mim....
Abbadon disse…
O lixo do Feliciano, entrou com pedido de exoneracao e impeachment contra o Marco Aurelio.

Esses evangelicos nao sabem conviver numa democracia !!
Rodrigo Dias disse…
exoneracao e impeachment com qual fundamento?
Israel Chaves disse…
Então corra daqui antes que seja tarde, os pombos enxadristas costumam fazer visitas regulares!
Analista Man disse…
"O Estado é neutro."
As estátuas são neutras.

Qual a terceira opção além de religioso e ateu?
Estátuas.
Anônimo disse…
Alguém aí viu os comentários do Médico Nutricionista Dr. Ives Gandra, n'O Globo (na seção opiniões)?
Algo mais ou menos assim: não importa se nascer sem braço nem perna, basta que nasca e viva tempo o suficiente para ser batizado, depois joga no rio que afunda.
Rodrigo Dias disse…
Agnosticos são estatuas também?
Anônimo disse…
Bolachas são feitas de agua e sal, o mar pe feito de agua e sal, logo o mar e um bolachão...

O racicionio é identico né?
Israel Chaves disse…
Isso me lembra uma vez que vi a seguinte interpretação da frase "Penso, logo existo". Segundo o gênio que a analisou, "batatas não pensam, logo não existem".
É cada uma...
Analista Man disse…
Se agnóstico não acredita que Deus existe, o agnóstico é ateu, caso contrário o agnóstico é religioso.
Rodrigo Dias disse…
Eu comi batatas hoje, então eu não comi nada.... Esta conversa deu fome... Alias, estatuas não comem e como sou uma a fome passou.
Rodrigo Dias disse…
Mas e se o conceito de Deus for um conceito de Deus não pessoal, totalmente diferente da versão judaico cristã? Para os crentes eu sou Ateu por acreditar em um Deus não Pessoal e para os Ateus eu sou um religioso por acreditar em um Deus não pessoal, afinal é um Deus...
Analista Man disse…
Você pode testar esta hipótese na prática. Se a prática confirmar a hipótese, a hipótese se transforma em teoria.
Nomad disse…
Analista Man
Realmente é difícil ver o uso correto da palavra agnóstico. Quase todo mundo liga o agnosticismo ao não acreditar em deus... =/

[]´s

LHDias
Nomad disse…
Estou vendo agora o voto do Ministro Luiz Fux. Muito bem fundamentado. Como normalmente é mesmo... rs

Tudo indica que será o quarto voto no mesmo sentido (Marco Aurélio Mello - Relator, Rosa Weber e Joaquim Barbosa votaram a favor da descriminalização do aborto nesse caso específico).

[]´s

LHDias
Analista Man disse…
Se o conceito de Deus for diferente da versão judaico cristã, aí passa-se a ter uma outra religião, que é baseada em um outro Deus.
Para acreditar que Deus existe e não ser uma religião, só se indivíduo não quiser se religar a esse Deus, pois religião vem do latim religare, que é religar.
Izaque Bastos disse…
toma ateuzada, que gostam do laicismo, apesar de nao gostar de Melo, que ficou contra o CNJ, mas concordo com ele, mesmo sendo cristao, sou a favor do aborto de anencefalos.ate porque acredito na biblia, e a biblia diz que o que for concordado entre os homens sera concordado com ele no ceu.e tambem toda autoridade é constituida na permissao de Deus, sendo que, com o livre arbitrio o homem pode fazer o que quiser da vida , que Deus nao intervirá, a nao ser no juizo eterno. pois assim como existe a justiça humana, esta mesma imita a justiça de Deus, tendo grande diferenças em suas aplicaçoes, a justiça de Deus, vira no pós vida.enquanto a justiça do homem esta nessa vida, sou contra o aborto por pura vaidade, de uma mae que nao quer ter um filho pois ficou gravida sem querer, mas quando se trata de salvar a vida da mesma, ou anencefalos, sou a favor, pois criança nao tem pecado, entao nao tem porque temer a morte de uma criança, desde que nao seja por vaidade.
WillPapp disse…
O Ives Gandra Martins é membro da Opus Dei.

Tirando o bla, bla, bla religioso, até que eu consigo ver alguma razão no texto dele.

Não sei não. Aborto de anencéfalos... não sei.
Analista Man disse…
"Estado não é religioso, tampouco é ateu"
Então o Estado não quer se religar a Deus.
Anônimo disse…
O Crente acredita em tudo;
O Descrente não acredita em nada;
O Agnóstico não acredita em tudo.
WillPapp disse…
Veja só como você é incoerente. Cristão tem que ser a favor da vida, não importa por quanto tempo dure essa vida.

Eu sou ateu e poderia engrossar o coro dos pró-aborto de anencéfalos mas tenho dúvidas em relação a esse assunto.

Cristãos não podem ter dúvida em relação ao direito do ser humano à vida.
Nomad disse…
Izaque
Só por curiosidade, de todo o texto, a parte mais importante para vc é o significado da palavra "laicismo"? rs

Mas achei interessante a sua visão da bíblia. Não é a visão mais comum nos religiosos cristãos.

[]´s

LHDias
AlyneS2 disse…
Ajudou muito Rodrigo^^
Espero que ele continue assim.
Felipe... disse…
Toma crentes, 5 votos a favor no momento
Warner disse…
Bem se a igreja bancasse todas as despesas da mae inclusive terapias psicologicas.Tudo bem.
Que ela se intrometa , mas pague as contas, agora so encher o saco nao vale.
Fabiano disse…
Toma ateuzada? Mas ele defendeu o estado laico. Não entendi. Você tem problemas de cognição básica?
Anônimo disse…
Eu ainda tenho minhas duvidas sobre o aborto completamente legalizado (não importando o caso) mesmo eu sendo favorável a um aborto em certos casos (e um deles é a anencefalia), eu achei interessante o que ele falou sobre o estado ser neutro... Ah se a maioria dos políticos pensasse assim.
Nosce te ipsum disse…
Só para registro:
Será que um feto com problemas na espinha, surdo ou cego ou com síndrome de down não terão o mesmo fim no futuro?

Na Inglaterra o sexo do feto (feminino) já é motivo de aborto.
Anônimo disse…
Entendi nada...
paulo de tarso disse…
izaque bastos com todo respeito a sua pessoa,voce é o primeiro cristão que eu vejo afavor do aborto.
Wickedman disse…
Marco Feliciano. Esse sim, deveria ser exonerado, pois legisla em causa própria. Se houver algum abaixo assinado ou algum movimento para pedir o impeachement desse sujeito, me avisem; quero ser o primeiro a assinar.

O ministro foi muito lúcido em sua colocação. Espero que os políticos ouçam e reflitam sobre o que ele disse.
Eddie disse…
o que for concordado entre os homens sera concordado com ele no ceu(...)

Sério?

toda autoridade é constituida na permissao de Deus

Conversa fiada.

com o livre arbitrio o homem pode fazer o que quiser da vida , que Deus nao intervirá, a nao ser no juizo eterno

Incoerência. Você está afirmando que existe livre arbítrio, mas não existe livre arbítrio. E livre arbítrio pressupõe que você pode tomar sua decisão e não ser penalizado com o inferno com isso.

criança nao tem pecado

Se não tem, porque batizá-la e incluí-la numa sistema porco que a fará se sentir culpada por algo que ela não fez?

Seu comentário é de uma imbecilidade tremenda.
Anônimo disse…
O que querem é usar o grave caso dos bebês anencéfalos para iniciar a descriminalização do aborto no Brasil. Depois eles vão aumentando os casos em que o aborto é permitido.
Aí ! Como diz o leitor acima será como na Inglaterra ,feto de sexo feminino já é motivo de aborto.



È assim que essa "gente ?" age ,vão aos poucos pondo sua agenda de valores deturpados em ação. Como aceitação do homosexualismo,aborto,liberação de drogas,Eutanásia, libertinagem sexual,ateismo,materialismo,comunismo,ditadura,etc,etc.

Vendo homens como este Marco Aurélio Mello, e este STF , nossa Justiça ou injustiça não é de admirar que o Brasil tenha tanta criminalidade, tanta violência, tantos crimes e assassinatos. Muitissimo mais crimes acontece hoje, do que em qualquer outro periodo da história do Brasil.
Este Senhor fica aí defendendo as maravilhas do Estado Laico. Sendo que o Estado não cumpre o DEVER de dar SEGURANÇA á população.
Se eles cumprisse com o DEVER de dar SEGURANÇA ao povo, não teriamos dezenas de milhares de brasileiros mortos por assassinato todos os anos.

Estes senhores imaginão que defendendo aborto,casamento gay,etc ,estão fazendo um SERVIÇÂO.

Não estão ! Por isto o povo padece com tanta criminalidade,violência,drogas,sofrimentos,corrupção.

È dever de todo evangélico denunciar este governo socialista que está acabando com o Brasil.

ATEUZADA. Fica feliz ! Qualquer dia deparão com um bandido . Aí ! Vocês vão acreditar que Inferno existe.

Vivão distraiados se se preocupar com os verdadeiros problemas do país, só pensando nos seus interresses ruíns.


Durval Almeida
Luan Cunha disse…
Será que um feto com problemas na espinha, surdo ou cego ou com síndrome de down não terão o mesmo fim no futuro?

- Não, sabe por quê? Porque esses problemas só são diagnosticados depois da gestação, ou seja, depois do nascimento.

Vai estudar, templário.
Luan Cunha disse…
Não sei nem como te responder racionalmente, porque é tanta merda atrás da outra que não sei como você conseguiu.

Coloca uma frauda na sua boca, pelo amor de Darwin.
Wickedman disse…
Durval, os evangélicos não farão deste país um lugar melhor. Farão dele um lugar mais chato e sem cultura. Não acabariam com a corrupção, visto que metade dos canhalhas da bancada evangélica respondem a processo na justiça. Veja só, os caras que, em tese, seriam moralistas, são também patifes. Como muitos pastores, aliás.
Anônimo disse…
E o que tem a ver bandido com união homossexual e discriminilização do aborto em caso de serem anencefalos?..Deixa de ser retrográdo ,acreditar no fim da violência é pura utopia..E não devemos analisar as consequências que faz o bandido mais sim combate-los com toda força sem esta de que eles são vítimas da sociedade pobres coitadinhas etc blá blá blá..Já vi na tv um homem que matou sua mulher no dia do aniversário dela ,ele fugiu do flagrante se entregou dias depois e saiu pela porta da frente da delegacia mesmo tendo matado sua mulher com muita brutalidade a facadas. Não entendi muito seu comentário..
Luan Cunha disse…
"e a biblia diz que o que for concordado entre os homens sera concordado com ele no ceu"

- Isso também vale pro casamento entre pessoas do mesmo sexo e adoção de crian''cas por casais homossexuais?

Eu sei que isso não tem nada a ver com o papo, mas fiquei curioso com essa "lógica" do Izaque. Quer dizer que seu deus é tão passivo assim?
Anônimo disse…
Trolling: Serious business
Volte para as profundezas de Utumno (Udûn) onde a sua raça nefasta foi criada pelas mãos do Primeiro Senhor do Escuro.
Israel Chaves disse…
Alguém aí anunciou uma competição de troll do mês com direito a prêmio em barras de ouro que valem mais do que dinheiro ou algo assim? Porque parece que eles estão se esforçando para superar uns aos outros em uma espécie de competição doentia para decidir quem é o mais babaca.
Anônimo disse…
Hohoho. Eu sabia que algum troll mencionaria os gays mesmo eles não tendo nada haver com isso.

Qual o nível de obsessão que os fanáticos religiosos têm com os gays?

No nível no Gollum pelo o Um Anel.

Quando o fanático vê um homossexual ele começa a falar: “ my... preciousssss.”
paulo de tarso disse…
luan voce é uma pessoa que precisa se tratar.
Luan Cunha disse…
Vamos lá.

Sou à favor da legalização do aborto. A mulher tem que ter o direito de escolher se quer continuar com a gestação ou não (se for casada, tem que ter consentimento do marido também). Mas sou apenas favorável de acordo desde que siga pelo menos um desses requisitos:

* Casos de estupro;
* Casos em que há risco de vida para a mãe;
* Casos de anencefalia;
* Antes dos 3 mêses de gestação.

Veja bem, ser favorável não quer dizer que concordo com a prática. Considero o aborto uma prática muito dolorosa e extrema, e no meu mundo ideial, não existiria aborto. Eu só acho que se uma mulher quiser fazer aborto, ela tem o direito de fazer num lugar limpo e com profissionais preparados, sem correr riscos de vida, ao invés de fazer num lugar clandestino e com uma agulha de tricô.

E antes que venha algum teórico da conspiração surtado, em casos de anencefalia, como o que está sendo votada, a mãe passará a ter o DIREITO de escolher fazer o aborto ou não. Não quer dizer que ela será obrigada a fazer nestes casos.
Luan Cunha disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Luan Cunha disse…
Analista cometeu uma falácia grave, que se chama "Falácia da falsa dicotomia".

Você sabe o significado da palavra "neutro", né? Em termos mais chulos, é mais ou menos o mesmo que "em cima do muro".

Já o anônimo acima, sem comentários. Apenas que cometeu a "Falácia da generalização apressada".
Israel Chaves disse…
É isso aí, disse tudo... É tão simples.
Rodrigo Dias disse…
Quer dizer que o mar, em que pese ser feito de agua e sal, não é um biscoitão?
Luan Cunha disse…
Como sempre, o troll sem identidade falando coisa com coisa, só querendo aparecer. E ainda se acha na posição de me dá lição.

Quem deve se tratar é você, seu lunático! Vai logo pro Egito e suma daqui! Espero que morra lá mesmo!
Luan Cunha disse…
Mesmo assim tem gente que insiste em não querer entender e se fazer de idiotas.
Anônimo disse…
...incrível como crentes adoram Capetas e Gays,....só pensam nisso!!!
Isabel Heliodora disse…
Rodrigo Dias, cara, virei tua fã. Adorei a do biscoitão.
Isabel Heliodora disse…
Fantástico os comentários daqui. Shiroyasha, amei a coment " my preciousss".
Israel Chaves disse…
Talvez não se façam, só sejam idiotas de verdade.
Luan Cunha disse…
É, provavelmente são apenas idiotas, no melhor das hipóteses.
Anônimo disse…
The amount of Marijuana in the up comments is too damn high.
Nomad disse…
Nosce te ipsum
-Na Inglaterra o sexo do feto (feminino) já é motivo de aborto.

Não, não é.

Abortion Act (de 1967)

Subject to the provisions of this section, a person shall not be guilty of an offence under the law relating to abortion when a pregnancy is terminated by a registered medical practitioner if two registered medical practitioners are of the opinion, formed in good faith -

(a) that the pregnancy has not exceeded its twenty-fourth week and that the continuance of the pregnancy would involve risk, greater than if the pregnancy were terminated, of injury to the physical or mental health of the pregnant woman or any existing children of her family; or
(b) that the termination of the pregnancy is necessary to prevent grave permanent injury to the physical or mental health of the pregnant woman; or
(c) that the continuance of the pregnancy would involve risk to the life of the pregnant woman, greater than if the pregnancy were terminated
(d) that there is a substantial risk that if the child were born it would suffer from such physical or mental abnormalities as to be seriously handicapped.

Em resumo, só é permitido se houver risco para a mãe. Se acontece de forma clandestina, ai é outra história, mas pela lei, que está acima, só quando há risco mesmo.

[]´s

LHDias
Wickedman disse…
Eu sou um pouquinho mais restritivo em relação a esse tema. Concordo totalmente quando feito em casos de feto com anencefalia.

No caso do estupro, não sei nem se eu poderia caracterizar a interrupção da gravidez como aborto se for feita antes da segunda semana, porque é a partir daí que se tem um embrião. Depois disso, eu acho que a situação fica mais complicada.

Nos casos de risco de vida para a mãe, sinceramente não sei o que dizer. Só sei que é um assunto muito complicado e eu gostaria que não houvesse necessidade de se recorrer a isso.

Mas, como você mesmo disse, Luan, mesmo não concordando tenho que admitir que a mulher deve ter o direito de tomar a decisão dela e de ter a assistência adequada, desde que nos casos especificamente previstos em lei.
Nomad disse…
“my... preciousssss.”

Ri litros aqui...

E esse é o problema de não querer pesquisar um pouco. O cara leu a besteira que o "Nosce te ipsum" colocou ali em cima sobre a Inglaterra liberar o aborto quando o feto for do sexo feminino (o que é mentira) e já saiu comentando o fato. Vai saber se já não espalhou entre alguns conhecidos, já que hj o assunto está em pauta... E assim começa mais uma lenda da internet. Pqp

Numa procura rápida sobre o assunto:
London: Women are being granted illegal abortions by doctors in Britain based on the sex of their unborn baby, an undercover investigation by The Daily Telegraph can disclose.
Anônimo disse…
E que a questão vá para as mãos dos médicos, psicólogos e assistentes sociais, e não na mão de políticos, advogados, juízes, polícia, padres e pastores -- para piorar, essa corja toda sequer tem xoxota.
Nomad disse…
Wickedman
Eu penso que no caso de estupro deve-se continuar sendo liberado. Nem consigo imaginar como fica a mente de uma mulher obrigada a carregar por nove meses o fruto de uma violência tão grande. Sem contar aqueles velhos estigmas da sociedade, caso for virar uma mãe solteira, ou tiver que parar os estudos para cuidar do filho. Ainda acho que a mulher deve decidir.

[]´s

LHDias
D(ex)crente disse…
Ótima observação.
Nomad disse…
Baphomet
It´s over 9000!!!

=D

[]´s

LHDias

P.S.: 9gag rules...
Luan Cunha disse…
Nos casos de estupro, você deixaria um filho do seu algoz crescer dentro de você por 9 meses, sentir as dores imensuráveis do parto para dá a luz pra depois jogá-lo fora?

A mulher odiaria essa criança, e no "melhor" das hipóteses, a colocaria num saco plástico e jogava fora.
D(ex)crente disse…
Eu gostaria de saber de você, WillPapp (vc vai ser papai?), por que criminalizar o aborto de anencéfalos e por que seria importante postergar a morte de um feto que está fadado a morrer assim que nasce, prolongando desnecessariamente o sofrimento de todos os envolvidos com ele (principalmente o da mãe)? Quais seriam as vantagens de impôr essa obrigação a toda sociedade (moralmente, socialmente, biológicamente, filosóficamente, religiosamente etc)?
Luan Cunha disse…
Sem falar que a mulher não pediu pra engravidar do agressor.
Anônimo disse…
Olog-Hai maldito;

>>"È assim que essa "gente ?" age ,vão aos poucos pondo sua agenda de valores deturpados em ação. Como aceitação do homosexualismo,aborto,liberação de drogas,Eutanásia, libertinagem sexual,ateismo,materialismo,comunismo,ditadura,etc,etc."

-Acho que eu entendi seu ponto, e seu ponto é:
.não devemos ser livres, devemos ser submissos;
.não devemos questionar, apenas aceitar.

>>"Estes senhores imaginão que defendendo aborto,casamento gay,etc ,estão fazendo um SERVIÇÂO.
Não estão ! Por isto o povo padece com tanta criminalidade,violência,drogas,sofrimentos,corrupção.
"

-Você já ouviu falar na Suécia? Pois é. Pesquise sobre esse país.
D(ex)crente disse…
sem comentários :(
Anônimo disse…
Falou tudo, concordo com os requisitos abordados por você Luan, penso da mesma forma.
Anônimo disse…
The amazing moment when you found a 9gager in a blog... hehehehehehehe

In fact, 9gag rulles!!!
D(ex)crente disse…
Na verdade percebo que você está mais preocupado com o fato de que o STF está defendendendo uma posição contrárias às suas crenças e convicções pessoais (e retrógradas, individualistas e que talvez não lhe digam respeito, porque eu tenho certeza de que se você for um anônimo homem nunca irá precisar se submeter a um aborto, legal ou ilegal) quando deveria (de acordo com meu ponto de vista) defender posições mais coletivistas, necessárias e urgentes, questionando, por exemplo, por qual motivo essa mesma corte máxima de nosso país, que agora está sendo elogiada por muitos cidadãos de bem, permite o desaparecimento de provas de irregularidades contra importantes agentes políticos de nossos estados membro.

Para finalizae esse "prontofalei", eu gostaria de entender por que raios que nos partam faz diferença para VOCÊ (anônimo Apr 11, 2012 06:18 PM) se um cidadão A, B ou C faz é homossexual, usa drogas ou faz aborto!

Você se sente obrigado a agir da mesma maneira caso essas ações venham a ser legalmente amparadas?
Igor disse…
Não estou acompanhando o julgamento no STF por falta de tempo, mas creio que em se adotando as duas correntes – verdadeiramente – jurídicas sobre o início do direito à vida – natalista e concepcionista –, a interrupção de gravidez em caso de anencefalia será perfeitamente cabível – ainda mais na teoria natalista, que a meu ver é a correta.

Há total ausência de lesividade e tipicidade, visto que o crime de aborto visa proteger à potencialidade do direito à vida, se adotado a teoria natalista, ou o próprio direito à vida, se adotado a teoria concepcionista. Como é certo que o feto anencéfalo não formará uma vida, então não há que se falar em direito à vida ou da potencialidade desse direito – que não é um direito adquirido do feto, mas uma expectativa de direito. Não há lesão à bem jurídico tutelado, e por consequência não há tutela do direito penal.

A questão é baseada estritamente na dignidade da pessoa humana, tanto da gestante, quanto do pai e da família. É mais uma questão, a meu ver, que não deveria tomar tanto tempo do STF.

Quanto à colocação do Ministro Marco Aurélio, eu discordo da distinção entre laicidade e laicismo que ele fez. Esse falsa dicotomia foi criada pela Igreja Católica no passado para falsificar o verdadeiro conceito da laicidade, taxando-o de laicismo, e assim disseminando um falso conceito de laicidade criado por eles – que de nada tem de laicidade. Laicismo não pressupõe “hostilidade”, pois etimologicamente tem o significado semelhante ao da laicidade. A única coisa que tanto a laicidade quanto o laicismo pressupõe é a separação entre as igrejas, religiões, crenças e descrenças e o Estado neutro, remetendo aqueles ao sentimento privado de cada pessoa ou religião!

Em tempo: é o segundo ministro do STF a fazer uma defesa forte da laicidade brasileira. E existe um terceiro com uma visão bem formada disso – o Ministro Carlos Ayres Brito –, ou seja, estamos tendo uma composição una do STF na história do judiciário brasileiro.
Yuri disse…
Os crentes devem achar muito lindo carregar algo que nem humano é dentro do ventre pra quando fazer o parto saber que vai morrer em instantes.
Sadismo level máximo.
Anônimo disse…
Mandei meu elogio também!

http://www.stf.jus.br/portal/atendimentoStf/enviarDadoPessoal.asp

Pensador Livre
Wickedman disse…
Em caso de estupro, a interrupção deve ser feita logo no início.
AlyneS2 disse…
Luan você falou tudo mesmo^^
Mas como você disse tem pessoas que não entendem.
Você mencionou o fato de que na "melhor" das hipóteses a mulher colocaria o bebê num saco plástico, o pior é que já aconteceu isso ><
E teve pelos menos uns três casos de bebês jogados no lixo. E em um desses casos eu não me lembro se a mãe foi vitima de estupro. Ela só disse que não teria como criá-lo.
AlyneS2 disse…
Eu iria admirar mesmo alguma mulher que decidisse ter o bebê gerado de um estupro. Mas elas não podem ser forçadas.
Analista Man disse…
Luan Cunha, já modifiquei meu conceito para em vez de estátua, não querer se religar a Deus. Neutro é se o Estado ficasse calado, não desse palpite.
Anônimo disse…
Alguns espíritas dizem que se o aborto for aprovado, o Brasil vai entrar em guerra com vários países. O que os leitores deste blog tem a dizer sobre isto?
D(ex)crente disse…
"Há total ausência de lesividade e tipicidade, visto que o crime de aborto visa proteger à potencialidade do direito à vida"

Eu suprimiria a palavra "ABORTO" e escreveria "...visto que o ATO do aborto..."

"É mais uma questão, a meu ver, que não deveria tomar tanto tempo do STF": ótimo comentário.
D(ex)crente disse…
Digo,
Eu suprimiria a palavra "CRIME" e escreveria "...visto que o ATO do aborto...".
Analista Man disse…
Rodrigo Dias,

Não é um biscoitão, pois ainda falta a farinha, leite e no lugar do sal, açucar.
D(ex)crente disse…
Eu nunca ouvi essa hipótese. Juro que é a primeira vez. Parece mais uma falácia alarmista, vazia e irresponsável do que propriamente uma hipótese.

Quem são "alguns espíritas"? São autoridades desta corrente religiosa comcredenciais para falar em nome dela? Ou seriam meros curiosos e simpatizantes? Quais são exatamente seus argumentos? Eles tentam apresentar alguma fundamentação mais ou menos lógica?

As respostas a essas perguntas podem fazer muita diferença sobre o que nós leitores deste blog temos a dizer e se vale ou não nosso empenho para investir tempo neste assunto.
WillPapp disse…
D(ex)crenteApr 11, 2012 09:31 PM

O aborto é crime e eu apoio as leis do meu país; acho isso importante. Sabemos que o aborto deixa de ser punido em dois casos: quando o feto representa risco de morte à gestante e em caso de gravidez fruto de estupro. Agora, parece que haverá uma terceira exceção, que é os anencéfalos.

Eu estava em dúvida em relação a essa nova exceção. Quanto às outras exceções eu já havia refletido sobre elas e encontrada a razão delas existirem. Como uma pessoa racional que sou, encontrar a razão das coisas existirem é algo importante para mim. Após ter assistido a reprise da argumentação do ministro Marco Aurélio Mello, que serviu para fundamentar o seu voto a favor da descriminalização do aborto dos anencéfalos, minhas dúvidas fora dissipadas.

O detalhe a ser observado foi o de haver consenso em relação ao fato do anencéfalo estar morto, ou seja, não ser uma vida. Segundo eles não há vida sem atividade cerebral. Mesmo havendo atividade nos outros órgãos, sem atividade cerebral não há vida. Para dirimir as dúvidas a respeito da questão sobre o que está vivo ou morto foi estipulado, justamente, a existência de atividade cerebral. Sem atividade cerebral não há vida e anencéfalos não possuem atividade cerebral.

O ministro Marco Aurélio Mello foi muito feliz em sua argumentação. Ele apresentou todas as possíveis dúvidas envolvendo o tema. Cercou-se com argumentos de vários especialistas na área que provavam que o anencéfalo não está vivo e esse quadro nunca seria revertido. Abordou, também, polêmicas que procuravam colocar no mesmo saco anencéfalos e bebês portadores de algum defeito físico ou mental. Demonstrou que isso era um equívoco.

Não tenho mais dúvidas em relação a essa questão. Apoio a idéia da descriminalização do aborto em casos de fetos com anencefalia.
Anônimo disse…
Cream Cracker tem sal e não açucar....
Anônimo disse…
Sou espirita e nunca disse isso...e se ouvisse isso em algum centro não ia mais frequenta-lo
Analista Man disse…
Com sal, eu conheço pelo nome bolacha.
Anônimo disse…
Eu tenho a dizer que você é maluco ou mentiroso, ou as duas coisas.
Anônimo disse…
Ouvi da médica espírita Marlene Nobre, que alega ser de Chico Xavier esta afirmação.
Anônimo disse…
Ouvi da médica espírita Marlene Nobre, que alega ser de Chico Xavier esta afirmação.
Anônimo disse…
Localizei esta entrevista da doutora Marlene Nobre, presidente da AME Brasil, concedida ao jornal Diário do Nordeste em 02/04/2009:

"Certa vez, Chico Xavier teria dito que se o aborto fosse aprovado legalmente no Brasil, o país entraria em um ciclo de guerras. Qual sua opinião sobre isso?


Ele disse isso a mim, diretamente, e estou certa de que isto poderá mesmo ocorrer. Como já me referi o país que pratica esse tipo de violência não consegue sair da cadeia de ódio que gerou para si mesmo. Vivemos em uma grande rede - a teia da vida - o que se faz em um dado ponto desta imensa malha, faz-se a todo o conjunto, com natural repercussão sobre os responsáveis pela ação. Nossa bandeira é imaculada, não tem nenhuma nódoa de violência na sua tessitura, vamos rogar a Deus que continue assim."

Pode ser conferida neste link:

http://www.usepiracicaba.com.br/Conteudo/Paginas/VisDetalhes.aspx?ch_top=1&ch_use=863

Certamente nem todos os espíritas concordam com isto, mas é um tipo de informação que anda circulando por aí...
Livio Luna disse…
Não posso negar estar surpreso com o voto dado pelo Marco Aurélio Mello, que destaca-se na Corte desde sua indicação por seu primo Fernando Collor de Mello por defesa intransigente da manutenção do status co institucional e da magistratura como categoria diferenciada no bojo da sociedade brasileira. Surpreendo me ainda mais por concordar integralmente com o que ele disse, pois como ateu que combate o estado evangelista também não posso concordar com o estado laicista, pois não é função do estado meter-se em questões de foro íntimo. O que devemos é lutar pelo estado 100% laico, ou seja, sem a interferência da fé - ou falta dela - nas tomadas de decisão.
No que disse o Sr Marco Aurélio vejo esperança quanto a algumas conquistas que nossa combalida laicidade estatal precisa, como em relação ao DEUS SEJA LOUVADO estampado nas cédulas de real, em clara referência ao IN GOD WE TRUST das notas de dólar estadunidense. E vou mais além, acredito que é preciso algum parlamentar com visão laicista defenda que os feriados religiosos sejam todos "comemorados" aos domingos e que não haja verba estatal para tais, aqui no Rio é feriado em 20 de janeiro - dia de são Sebastião e 23 de abril - dia de são Jorge, e em ambos há verba pública.
É preciso que se faça a defesa de que sexta-feira "santa", a quarta de cinzas, corpus christi, e demais "feriados" religiosos sejam tratados como dias comuns, já que não são oficialmente feriados. Pior é que na magistratura é oficialmente feriado a partir da quarta-feira "santa”, como se os quarenta e cinco dias de férias anuais já não fossem suficientes.
Nosso estado laico ainda tem muito o que caminhar, e fico feliz em saber que temos um apoiador inesperado.
Quanto aos que dizem que isso é apenas o começo da liberação total do aborto só posso lamentar que em pleno século XXI ainda haja pessoas que pensam em tutelar a vontade alheia. Sou liberal ao extremo, ninguém pode ser forçado a nada, nem proibido de fazer coisa alguma. Quer casar com 10 pessoas ao mesmo tempo? Que faça. Quer crer em ETs? Que creia. Quer abortar? Que aborte. Quer se matar? Que se mate. Quer se casar com alguém do mesmo sexo? Que case. Quer usar drogas? Que use. E quer viver sua breve existência castrando-se por dogmas religiosos ou morais dos mais diversos? Que viva. Só não é certo alguém ser obrigado a fazer o que não quer ou ser proibido de viver sua vida como melhor lhe convém. Temos que entender que o seu direito termina quando começa o do outro.
Mas aí com certeza virão os defensores da moral religiosa com sua visão obtusa da vida dizendo que então as pessoas podem sair pelas ruas matando, roubando, estuprando e espancando as outras. É óbvio que não, por isso é sempre bom ressaltar que o seu direito termina quando começa o do outro, ou seja, se a pessoa preza por poder viver ela tem esse direito, e matar a outrem continua sendo equivoco. Se a pessoa compra um bem ela tem direito sobre ele, e rouba-lo continua sendo um erro. O que temos que aprender é a respeitar a vontade do outro de fazer com sua vida o que melhor lhe convém. Se o cara quer passar a vida bebendo e usando drogas e trabalha para sustentar seu vício que direito tenho eu de crucifica-lo? O máximo que posso fazer é lamentar que ele desperdice sua breve existência de forma tão torpe, mas se ele é feliz assim que direito eu tenho de julgá-lo?
Saudações Ateístas e Libertárias a todos.
Anônimo disse…
Eu resumo isso em uma palavra: Bullshit
paulo roberto disse…
Muito engraçado, analista, você pensa quando escreve, HHHAAAA taaaaaaaaaaaaa
Luan Cunha disse…
"Alguns espíritas dizem que se o aborto for aprovado, o Brasil vai entrar em guerra com vários países. O que os leitores deste blog tem a dizer sobre isto?"

Falácia do declive escorregadio. Nada mais.
Anônimo disse…
Ives Gandra nédico nutricionista? Será familiar do jurista?
Anônimo disse…
Bem, faz um certo sentido...o aborto já é ha bastante tempo praticado no Brasil por pessoas com posses.Não é legal mas é praticado.Guerras? Não vivemos uma guerra civil, hoje? Brinquei...
Michelle disse…
Analista Man,

Ateísmo = ausência de crença em deuses; quem é ateu não crê em divindades.

Agnosticismo = tem a ver com conhecimento - ou melhor dizendo - falta de conhecimento. Um agnóstico não sabe com certeza se deuses existem ou não.

Crença/descrença =/= conhecimento/falta de conhecimento.

Embora agnosticismo e ateísmo possam ser relacionados (eu me considero atéia agnóstica: não sei se deuses existem, mas por falta de evidências da existência dos mesmos, eu não acredito que eles existam), eles não são a mesma coisa.
Luan Cunha disse…
Pois é, eu não sei se nestes casos foram casos de estupro, mas com absoluta certeza que se elas pudessem fazer o aborto num lugar adequado elas teriam feito.
Analista Man disse…
Michele,
Crer na existência de divindade ou no que a dinvidade disse?
Analista Man disse…
Michele,
Não saber com certeza é ter dúvida, ter dúvida é não crer.
Anônimo disse…
Falou o "brilhante" e falastrão ministro do STF, para quem os dogmas abortistas, feministas, esquerdistas, ateístas, gayzistas e assemelhados podem e devem influenciar decisões de Estado.
Gustavo disse…
"Argumentos de organizações religiosas podem e devem ser considerados pelo Estado porque também se referem a razões públicas." - Gilmar Mendes

É triste ter um ministro do STF que defende que não há problemas que se imponham os dogmas de uns a outros que não compartilham deles.

"É preciso ter muito cuidado com esse tipo de delírio desses faniquitos anticlericais." - Gilmar Mendes

Estou envergonhado...
Anônimo disse…
"O que querem é usar o grave caso dos bebês anencéfalos para iniciar a descriminalização do aborto no Brasil. Depois eles vão aumentando os casos em que o aborto é permitido."

Exato.
Michelle disse…
Analista Man

>> "Crer na existência de divindade ou no que a dinvidade disse?"

Eu não creio na existência de divindades, portanto para mim elas não disseram nada. Quem disse foi o homem.

Vamos tomar como exemplo a bíblia. Para os teístas, a bíblia é a palavra de deus. Para os ateus, a bíblia é a palavra do homem já que ela foi escrita pelo homem e pelo homem apenas, sem influência divina alguma. Na hora de escrever a bíblia, o único guia que o homem teve foi sua própria cabeça.

>> "Não saber com certeza é ter dúvida, ter dúvida é não crer."

Há uma diferença entre crer e saber.

Só pq vc acredita em algo não significa que vc sabe que esse algo existe. Só pq vc não crê em algo não significa que vc sabe que esse algo não existe.

Simplificando: o agnóstico é estar "em cima do muro". Ele não acredita nem desacredita em deuses, mas ele tb não tem certeza se deuses existem ou não. Pode ser que um dia esse agnóstico se torne ateu (como aconteceu comigo), mas isso não é uma regra. Pode ser que um dia esse agnóstico se torne teísta, deísta ou seja agnóstico pro resto da vida.

Agnosticismo e ateísmo não são a mesma coisa e não são mutuamente exclusivos.
Felipe... disse…
E dai? dane-se esse gilmar mendes, 7x1 votos a favor, ou seja o tal do deus não fez nada enquanto isso os religiosos perdem tempo fazendo vigília e rezando contra
Anônimo disse…
Ahhh como sempre os chiquistas esculhambando a codificaçao de Kardec....
Anônimo disse…
- O ministro disse que não se pode confundir laicidade, que é uma atitude de neutralidade, com laicismo, que pressupõe hostilidade. “O Estado não é religioso, tampouco é ateu”, afirmou. “O Estado é neutro.” -

Problemas de interpretação de texto?
Analista Man disse…
Então, o agnóstico estaria numa fase tentando saber e não conseguindo saber, só lhe resta crer ou não crer.
Anônimo disse…
"O Estado é neutro", disse o falastrão mentiroso.

Que nada, o ministro picareta já provou, como no caso da "união homoafetiva" atropelando a Constituição, que, para ele, o Estado deve estar a serviço das demandas da ideologia politicamente correta e dos dogmas modernóides.

E a Constituição e a neutralidade que se f*dam.
Anônimo disse…
Em que a união de casais do mesmo sexo fere a neutralidade do estado, senhor anônimo?
Bruno Nigro disse…
'E a Constituição e a neutralidade que se f*dam.'

Já entendi porque do comentário anônimo. Só um covarde fala uma merda dessas e não assume com medo de responder judicialmente. É só mais um EVANJEGUE!
Anônimo disse…
A "neutralidade" do Estado ficou submissa a um DOGMA modernóide e politicamente correto. Além do que, o STF estuprou a Constituição, determinando o que ela não prevê, usurpando a função do Legislativo e atentando contra a separação dos poderes.
Israel Chaves disse…
A falta de conhecimento e discurso tendencioso desse anônimo quase me espanta...
Anônimo disse…
Você ainda não explicou em que a união de pessoas do mesmo sexo fere a neutralidade do estado.È tão dificil fazer isso?
Anônimo disse…
Repetindo:

A "neutralidade" do Estado ficou submissa a um DOGMA modernóide e politicamente correto.
Israel Chaves disse…
E a sua "neutralidade" não é submissa a um DOGMA antiquado e abusivo?
Anônimo disse…
Um estado neutro tem que prezar pelo bem de todos os seus cidadãos e garantir direitos e deveres iguais para todos, pessoas que querem se casar com outras do mesmo sexo são cidadãos e, portanto merecem e devem cumprir os mesmos direitos e deveres dos outros, e se casar no civil com todas as vantagens que esse casamento traz é um desses direitos. Capiche?
Nosce te ipsum disse…
NomadApr 11, 2012 08:33 PM
Exatamente mulheres grávidas que após saberem que estavam gestando meninas, solicitavam o aborto.

Eu nunca disse que a lei permitia isto, alias o direito ao aborto, foi dado pela lei a pedido das mulheres certo? Quem garante que os limites da lei n podem afrouxar?

Tem gente dizendo que a condição de um recém nascido é a mesma de um feto, então n haveria problema em cometer uma eutanásia.

http://jme.bmj.com/content/early/2012/03/01/medethics-2011-100411.full
Nomad disse…
Nosce te ipsum
A gente está falando sobre a legalização de alguma coisa. Vc fala que por causa dessa legalização outras legalizações podem ocorrer no futuro.
E cita um fato que "já está" ocorrendo de outro pais.

Seguindo a linha de raciocínio da argumentação vc está sim dando a entender que o fato do outro pais seria legal.

Mas vou entender que não fez essa ligação na argumentação de forma pensada. Digamos que saiu sem querer... De boa.

Entramos então no caso dos abortos ilegais. Realmente, se formos por essa idéia, daí até os outros motivos seriam liberados.
Devemos ser realistas. O aborto sempre existiu e sempre vai existir. A diferença hoje é se a pessoa tem ou não dinheiro para fazer isso de forma correta. Mas realmente não quero entrar nessa, pois eu mesmo sou contra a interrupção da gravidez sem motivos específicos. Não estamos tratando de abortos ilegais aqui.

Alias, seguindo uma das falas de um dos ministros que votou hoje (não me lembro qual foi), todo aborto é uma interrupção da gravidez, mas nem toda interrupção da gravidez é um aborto.

[]´s

LHDias
Nomad disse…
Nosce te ipsum
E só pra constar, eu sou totalmente contra eutanásia de recém nascidos, como descrito no artigo que você colocou. E mesmo lá na austrália, onde foi publicado, pelo que vi, não foi bem recebido.

E deve-se lembrar que o artigo, da forma que está, é um questionamento ético. Da ética da medicina. Não se fala ali em mudar leis para que isso seja possível.

[]´s

LHDias
Michelle disse…
Analista Man

O agnóstico - em relação à crenças em deuses - ele fica em cima do muro; ele não acredita e nem desacredita justamente por não ter certeza da existência/inexistência de deuses.
Analista Man disse…
E ele vai ficar o tempo todo em cima do muro? Alguma hora ele vai ter que sair.
Anônimo disse…
"Ahhh como sempre os chiquistas esculhambando a codificaçao de Kardec...."

Chiquistas? Então está explicado.
Michelle disse…
Luan Cunha,

A Síndrome de Down pode ser diagnosticada antes do nascimento:

"Como a SD é uma alteração cromossômica, é possível realizar um diagnóstico pré natal utilizando diversos exames clínicos como, por exemplo, a amniocentese (pulsão transabdominal do liquido amniótico entre as semanas 14 e 18 de gestação) ou a biópsia do vilo corial (coleta de um fragmento da placenta). Ambos os exames diagnosticam a SD e outras cromossopatias.

Recentemente a prática médica tem incorporado métodos para a determinação do risco de ter um filho com SD, como por exemplo, o exame bioquímico, que se realiza mediante a avaliação dos níveis de substâncias químicas no sangue materno alteradas no caso da SD. Este exame se realiza entre a semana 14 e 17. A ultrassonografia também pode colaborar para detectar a SD, através dos marcadores ecográficos, principalmente da prega nucal, que pode ser medida a partir da décima semana de gestação. Estas últimas intervenções não são consideradas diagnósticas, para isso é necessário realizar os exames mencionados em primeiro lugar. "
(http://www.fsdown.org.br/site/pasta_116_0__o-que-e-sindrome-de-down-.html)

Mas - obviamente - não é necessário abortar um feto com SD nem hj nem no futuro como o Nosce quis dizer pq essa síndrome não é fatal. O bebê com SD sobrevive fora do útero e - apesar de algumas dificuldades de cognição - a pessoa com essa síndrome pode ter uma vida normal, pode ter um emprego, ter relacionamentos, etc.
Michelle disse…
Analista Man,

Não necessariamente. Continuar sendo agnóstico ou não é uma escolha pessoal. Uma pessoa agnóstica não tem que sair de cima do muro se ela não vê razão pra deixar de ser agnóstica e virar teísta ou atéia.

Eu fui agnóstica por anos antes de virar atéia agnóstica. Foi uma escolha minha sair de cima do muro. Eu continuo não sabendo se deuses existem ou não (por isso sou parcialmente agnóstica), mas um dia eu percebi que não há evidências em lugar nenhum que indique com toda certeza que deuses são reais, portanto não vi razão para acreditar em divindades e virei atéia.

Só pq isso acontece com alguns agnósticos virarem ateus ou teístas, não significa que todos os agnósticos tem que decidir entre crer e não crer. Isso não é uma obrigação, é uma escolha individual.
Michelle disse…
D(ex)crente

O aborto de anencéfalos não seria uma obrigação e sim um direito.

Se a gestante descobrir que o feto é anencéfalo, ela não será obrigada por lei a interromper a gravidez. Interromper a gestação ou levá-la até o fim será uma escolha da mãe.
Analista Man disse…
É, mas se houver o saber, não é preciso crer.
Michelle disse…
Analista Man

Mas aí é que está: ninguém sabe se deuses existem ou não.

Uma pessoa crê em deus por fé apenas (que não é evidência de que o deus que essa pessoa acredita existe) ou por wishful thinking ou os dois.

Eu acredito (não no sentido de ter fé) naquilo que eu sei que existe. Aquilo que eu não sei, eu não acredito. Posso passar acreditar em algo que antes não acreditava se evidências concretas e verificáveis dessa existência me forem apresentadas e mesmo assim depois de muita análise, investigação, etc.
Analista Man disse…
Você acredita naquilo que você sabe que existe? Como é acreditar, sem ser no sentido de ter fé?
D(ex)crente disse…
Michelle,

Talvez eu não tenha me expressado bem e por isso acredito que você não tenha entendido a minha pergunta ao sr. WillPapp.

Eu só quero saber qual é a vantagem que ele vê na obrigatoriedade da gestação completa de anencéfalos. Ou, por outro lado, qual seria a desvantagem de descriminalizar a prática do parto terapêutico, como o nominou a Dep. Marta Suplicy.

É ele que está em dúvida, não eu!
Michelle disse…
D(ex)crente

Ah tá...entendi. Desculpa pelo mal entendido
Michelle disse…
Analista Man,

Sim. Acreditar no sentido de não te fé permite questionamentos. Fé não permite questionamentos e não dá espço pra dúvidas. Por exemplo: eu acredito na Teoria da Evolução pq ela é a explicação plausível de como as espécies evoluem e pq tem várias evidências que provam que essa teoria procede.

Mas eu posso ler algo a respeito da evolução que eu não sabia antes, ter dúvidas a respeito daquilo e pesquisar pra tirar minhas dúvidas, procurar me informar mais, etc.

Se - pelo bem do argumento - aparecer uma outra teoria que depois de testada, analisada várias vezes - pôr a teoria da evolução abaixo, aí eu vou acreditar nessa nova teoria.

O meu acreditar nas coisas que eu sei que existem não é um crer dogmático que não permite questionamentos e não cede espaço para dúvidas e obtenção de conhecimento (como é no caso da fé) e sim um acreditar aberto à novas experiências, novas evidências, conhecimento, etc.
D(ex)crente disse…
Exato (2), Anônimo Apr 12, 2012 12:11 PM.

Democracia é isso: o que é o paraíso para uns é o inferno para outros e vice-versa.

Assim, lutamos cada um ou cada grupo pelo paraíso que desejamos, concedendo aos nossos concidadãos, vez ou outra, uma parte do paraíso que lhes cabe.

Então, quando isso acontece, resignadamente experimentamos nosso próprio inferno, esperançosos de que o entendimento sobre a vida convirja em algum momento para a possibilidade de que os paraísos se tornem desejos comuns e que a superação dos infernos seja um trabalho universal, pacífico, harmonioso e permanente.

(desculpe a minha "literatura" piegas)
D(ex)crente disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
D(ex)crente disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
D(ex)crente disse…
Anônimo espírita (Apr 12, 2012 07:37 AM),

Certamente o Sr. Chico Xavier e a Sra. Marlene Nobre, presidente da "AME Brasil", não são as fontes mais seguras sobre política externa brasileira nem sobre política internacional.

Por isso, podemos ficar tranquilos.
D(ex)crente disse…
Parabéns! Na minha modesta opinião, pelo quinto e antepenúltimo parágrafo o texto acima mereceria um destaque específico neste blog.
Igor disse…
Eu me referi ao tipo penal do aborto. Poderia ter substituído para "tipo penal", mas crime dá o mesmo sentido na minha participação!
D(ex)crente disse…
Nõ se envergonhe nem desanime. Já, já ele se aposenta!
Nosce te ipsum disse…
NomadApr 12, 2012 03:38 PM

Danos a saúde física ou mental... a mulher vai lá e diz estou com depressão e meu outro filho esta com ciúmes, já é o bastante para o aborto ser legal e suprime a proibição do aborto até a 24ª semana.

Quanto a legalidade do ato, pergunto :o que é preciso para que o ilegal se torne legal?

Todas a leis polemicas antes de serem implantadas mundialmente já foi feito um balão de ensaio em algum lugar.

Vide a lei anti-tabaco dos EUA, o que começou com uma propaganda nos cigarros, foi aumentando hoje é proibido até fumar na rua. Isto se chama engenharia social, depois que o negocio esta implantado ninguém lembra como começou.

Ps:
n Fumo mas sou contra proibir o comércio de ter lugares reservado a pessoas que fumam
Anônimo disse…
Caro D(ex)crente

Sou o Anônimo da postagem Apr 12 07:37AM, mas não espírita. Coloquei estas informações apenas para mostrar até onde vai, digamos, a "argumentação" daqueles que são contrários ao aborto. De fato, estas duas pessoas não são referência para questões de política externa brasileira e assuntos militares.
Anônimo disse…
Quero um pouco do q vcs andam fumando...
Ashtar Sheirando disse…
Pega uma flor e cheira.
WillPapp disse…
D(ex)crente

O aborto é crime e eu apoio as leis do meu país; acho isso importante. Sabemos que o aborto deixa de ser punido em dois casos: quando o feto representa risco de morte à gestante e em caso de gravidez fruto de estupro. Agora, parece que haverá uma terceira exceção, que é os anencéfalos.

Eu estava em dúvida em relação a essa nova exceção. Quanto às outras exceções eu já havia refletido sobre elas e encontrada a razão delas existirem. Como uma pessoa racional que sou, encontrar a razão das coisas existirem é algo importante para mim. Após ter assistido a reprise da argumentação do ministro Marco Aurélio Mello, que serviu para fundamentar o seu voto a favor da descriminalização do aborto dos anencéfalos, minhas dúvidas fora dissipadas.

O detalhe a ser observado foi o de haver consenso em relação ao fato do anencéfalo estar morto, ou seja, não ser uma vida. Segundo eles não há vida sem atividade cerebral. Mesmo havendo atividade nos outros órgãos, sem atividade cerebral não há vida. Para dirimir as dúvidas a respeito da questão sobre o que está vivo ou morto foi estipulado, justamente, a existência de atividade cerebral. Sem atividade cerebral não há vida e anencéfalos não possuem atividade cerebral.

O ministro Marco Aurélio Mello foi muito feliz em sua argumentação. Ele apresentou todas as possíveis dúvidas envolvendo o tema. Cercou-se com argumentos de vários especialistas na área que provavam que o anencéfalo não está vivo e esse quadro nunca seria revertido. Abordou, também, polêmicas que procuravam colocar no mesmo saco anencéfalos e bebês portadores de algum defeito físico ou mental. Demonstrou que isso era um equívoco.

Não tenho mais dúvidas em relação a essa questão. Apoio a idéia da descriminalização do aborto em casos de fetos com anencefalia.
D(ex)crente disse…
Posso publicar no meu facebbok?
Livio Luna disse…
Sim, com certeza.
Não tenho facebook, então peço que mande o link por aqui.
Abs,
Livio.
cético disse…
"ninguém sabe se deuses existem ou não."

Como você sabe que ninguém sabe?
Michelle disse…
Cético

Ninguém sabe com certeza de deuses existem ou não.

Da mesma forma que ter fé em deuses não diz nada sobre a existência dos mesmos, não ter fé em deuses tb não diz nada sobre a não-existência deles.

Só pq teístas acreditam em deus, não significa que esse deus exista.

Só pq ateus não acreditam em deuses, não significa que eles não existam.

Por exemplo: que evidências concretas vc tem que provam sem sombras de dúvida que deuses existem?

Que evidências concretas vc tem que provam sem sombras de dúvida que deuses não existem? (pelo bem do argumento, vamos supôr que seja possível provar uma negativa,rsrs)
Anônimo disse…
É bom os religiosas irem se acostumando com um mundo mais secular. No mundo ocidental, a religião esta perdendo a sua importância. Cada vez mais o Estado irá se afastar dos religiosos. O STF não interfere nos cultos, portanto, seria bom os fanáticos seguidos de vários deuses, se acostumarem com um mundo menos religioso.
marcosrusso17@hotmail.com