Mãe quer que escola dê manual de bruxaria, e não só a Bíblia

A bruxa Ginger e a sua filha Sybilsue
Ginger Strivelli (foto) ficou chateada com a escola de sua filha, Sybilsue (foto), de 12 anos, por ter dado aos alunos exemplares da Bíblia fornecidos por um grupo internacional de missionários, os Gideões.

Para Ginger, a escola não deveria permitir a distribuição de textos de proselitismo religioso, mas, já que tinha autorizado nesse caso, ela reivindicou tratamento igualitário, com a oferta também de manual e livros de bruxaria.

Ela é seguidora da denominação pagã Wicca e se apresenta como bruxa. Mora em North Windy Ridge, na Carolina do Sul, Estados Unidos.

Quando Ginger foi à escola para reclamar, a direção disse que tinha por critério colocar à disposição dos alunos os livros doados por quaisquer entidades religiosas, e não só, portanto, as cristãs.

Ela voltou com livros de feitiços e encantos da Wicca, e a escola recuou – informou que não poderia aceitá-los com a desculpa de que tinha havido uma mudança do tal critério. O encontro foi tenso.

O caso repercutiu na imprensa, e o Conselho Escolar se reuniu às pressas para examinar o impasse. Em uma nota aos pais informou que tinha suspendido “as doações [aos alunos] de materiais que defendem religiões ou crenças”.


O Conselho prometeu anunciar em fevereiro uma decisão definitiva. Enquanto isso, uma pessoa de Nova Iorque disse que ia mandar para escola 500 Alcorões.

Os Gideões pediram desculpas e retiraram as Bíblias estocadas na escola em menos de 48 horas após o entrevero.

Com informação da Fox News, entre outras fontes.

Comentários

Anônimo disse…
EURI. Mas falando sério, proselitismo religioso, principalmente no campo educacional está errado. Realmente a bruxa está certa e rodou a baiana...Quero dizer, abruxa.
Anônimo disse…
Hum. Interessante. (Como diria o Pequeno Urso.)

Eu ganhei quando criança uma biblinha de Gideões. Pequenina, só com o Novo Testamento, bem bonitinha. Acho que ainda a tenho guardada por aqui.

Lembro-me de ter lido com entusiasmo o primeiro evangelho (torcendo para que o final não fosse o que costuma-se contar). Jesus era o meu super-herói naqueles dias... Quando li os outros evangelhos percebi que a Bíblia não podia ser "A Palavra de Deus": encontrei várias incoerências entre os relatos dos evangelistas.

Pelo menos a biblinha gideônica me tirou a má imagem que eu tinha do pavoroso livro "Bíblia SANGRADA", de quando eu era ainda mais novo.

Devo agradecer aos gideões por ser ateu.
José Agustoni disse…
Ou a internet está facilitando o acesso a este tipo de notícia, ou este tipo de notícia está sendo facilitado pela internet.

No sentido de que está havendo mais "transgressões" ao regime estabelecido. As pessoas estão começando a se rebelar contra um "status quo" e exigindo seus direitos.
Anônimo disse…
PS.: Será que os gideões agora distribuem também Gênesis, Levítico, Deuteronômio, Oséias e outros livros de pornochanchada religiosa?
Anônimo disse…
Essa foi ótima.
Cresus Jisto disse…
E porque não distribuem Lílbias tb??????????????????????????? A Lílbia é o que tem de mais coerente aqui no mundo do contra.
Anônimo disse…
Já era sem tempo né!?
Anônimo disse…
a eu queria os livros de bruxaria dela
Anônimo disse…
Claro que a garotada toda ia querer, ainda mais na era Rréruy Póterre! :-D

Ia deixar os gideões no chinelo!
Israel Chaves disse…
Bem que ela fez. Religiosos sempre agem como se fossem aceitar uma "inversão de papéis", como quando é proposto que visitem um terreiro de macumba quando eles convidam para a igreja, ou como nesse caso, quando a bruxa sugeriu a distribuição de seus livros, mas só quando está no campo da hipótese. Quando a coisa avança para a prática, num instante eles voltam com o que disseram.
Ótima a atitude dela, mostrou a esses hipócritas o lugar deles.
Anônimo disse…
O manual do escoteiro mirim dos sobrinhos do Pato Donald seria mais educativo e interessante.
Anônimo disse…
A história começou no final do ano passado e é contada em mais detalhes neste texto (e nos links internos).

http://www.au.org/blogs/wall-of-separation/bunk-in-buncombe-north-carolina-school-allowed-bible-handout-but-balks-at
Luciano Cequinel disse…
Eu acho que essa tática de exigir os direitos iguais seria bem eficaz aqui no Brasil. Já que a bancada evangélica vem, cada vez mais, criando leis que destoam com o estado laico, e sempre falam que estão defendendo a liberdade religiosa, acho que deveríamos começar a pedir para, por exemplo, que em vez de tirar os crucifixos das repartições públicas, que sejam colocados outros símbolos que representem as religiões menos "favorecidas", como uma estrela de Davi. E nas escolas, exigir que se ensine o alcorão, por exemplo. Assim, eles vão perceber que o que o estado laico pede é o simples respeito a todas as religiões, e a melhor maneira de respeitar todas as religiões, é não dando espaço em lugares públicos a nenhuma delas.
Anônimo disse…
Nenhum nem outro! Um bom exemplo, fiz concurso público duas vezes, entre conteúdos estava legislação pública de uso de recursos matériais, tudo bem todos que fazem sabem disso, mas um certo dia entrando na delegacia encontrei apenas um crucifixo, fazendo meses depois o crucifixo foi tirado, achei estranho quando entre vi vários papeis pregados na parede adivinha! Salmos, deus te ama, jesus é o salvador...haja paciência esses evangélicos são hipocritas, além de critica outras crenças usam indevidamente recursos públicos e o pior fiquei esperando e de repente um doida passa na minha frente, adivinha "um irmã de igreja tem a preferência no atendimento" haja saaaaaaaaacooooooooooo! Eu hein!
yami karasu disse…
Só bíblia? Só bruxaria? E os Jedis?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Anônimo disse…
Eu acho é pouco.KKKKK!
Anônimo disse…
Fatão
Anônimo disse…
Concordo 100% !
Edmilson JrK disse…
Se o critério mudou então tem de recolher as bíblias e dizer que estavam errados em entrega-las, se não continua sendo proselitismo.
Seria um aluno feliz recebendo os DVDs de Star Wars na escola.
Anônimo disse…
Distribuir dinheiro ninguém quer!
Luna Cristalis disse…
'[Ela voltou com livros de feitiços e encantos da Wicca]' - nessa parte eu RI MTO ALTO kkkk, afinal eu como wiccana e professora tbem luto como ela fez para que se seja falado, lido ou divulgado a respeito da Wicca, mas, por que nao informar, falar a historia desmitificar a religiao??? Ela foi logo levando livros de feitiços, de abracadabra?? Como se a Wicca fosse simples e somente isso: feitiço e encantos?? Fala serio né gente!!! É por essas e outras que os bruxos perdem credibilidade e depois nao sabem o porque!
Zoe Assi disse…
Na boa, a idade dessa filha não esta errada não? Ela parece ter pelo menos uns 16 anos.
Anônimo disse…
Harry Potter não são livros de bruxaria, simplesmente literatura. Por livros de bruxaria, ela pretendia doar livros com ensinamentos da religião Wicca.
Gerson B disse…
Adorei! A mãe fez a coisa certa. Cristãos não apreciam muito debates e confrontações em igualdade de condições.