Paciente procura em farmácia água benta receitada por médica

Médica deu a paciente um
remédio para "cura da alma"
A médica Marisa Judith Bordin, do Hospital Manoel Francisco Guerreiro, de Guaporé (RS), receitou água benta e ajuda espiritual a M.M.R. que tinha tentado o suicídio naquele dia, 7 de abril de 2009.

Abalada, a paciente tinha procurado o atendimento de emergência do hospital na expectativa de receber a aplicação de Dolantina, que é um remédio usado para dores fortes. Mas a médica teria dito que a paciente precisava de "cura de alma".

O caso teve desdobramento judicial, porque, na ocasião, M. pediu a seu namorado que fosse comprar água benta em uma farmácia, onde ele foi motivo de deboche dos atendentes.

Por isso, a paciente entrou na Justiça contra a médica pedindo uma indenização por danos morais.

A juíza Andreia da Silveira Machado, de primeira instância, negou o pedido porque, para ela, não ficou comprovado que M. tivesse sofrido qualquer danos por causa da prescrição de Marisa.

A juíza avaliou que talvez a médica tenha “pecado” ao receitar a água benta, mas não foi um “agir ilícito”.

M. recorreu ao TJ (Tribunal de Justiça) do Rio Grande do Sul, que confirmou a decisão de Andreia, negando a indenização.

No entendimento da desembargadora Íris Helena Medeiros Nogueira, relatora do caso no TJ, Marisa ofereceu uma alternativa de tratamento psiquiátrico a M., mesmo a prescrição de água benta  não ser um procedimento médico.

Com informação do TJ-RS.





Médico é advertido por prescrever fé em Jesus aos pacientes
maio de 2011

Ciência versus religião.   Bizarro.   Ceticismo e crendice


Comentários

Anônimo disse…
Ridículo a médica "receitar" água benta, mas também muito suspeito a mulher ter ido com a expectativa de receber receita para dolantina, que é um dos analgésicos mais fortes que existem no mercado (é um opióide).
Vai ver, a médica logo sacou se tratar de uma viciada querendo drogas e quis fazer piada.
Alenônimo disse…
Clara violação de laicismo por parte da médica, só pra começar.

Lembro de uma vez que fiz um eletro-encefalograma e a biscate vagabunda da operadora ficava falando que eu precisava de ajuda espiritual. Como era quase sete da manhã, eu não tava no pique pra discutir. Faz muito tempo isso e eu não era barraqueiro naquela época. Rolaria processo se fosse hoje.

Pra mim pouco importa se a vítima era drogada ou se viu seu problema na Internet e inferiu o remédio de lá. Não se manda um paciente rezar nem de brincadeira.
Tina Aragão disse…
INTERESSANTE..MUITO INTERESSANTE....
a Mithiele,uma vez necessitando de medicamentos por tentar o suicídio...não pensou 2 vezes quando o negócio é dinheiro....rapidinho ela se acha em sua perfeita faculdade mental ,entrando na justiça para cobrar uma idenização,faça-me um favor...é doença de esperteza!o MELHOR REMÉDIO É LIMPAR A CASA TODOS OS DIAS,LAVAR MUITA ROUPA,PASSÁ-LAS COZINHAR DE MANHÃ A TARDE E A NOITE...E SÓ DEPOIS PROCURAR O QUE FAZER PARA OCUPAR ESSA MENTE GANANCIOSA...
Tina Aragão disse…
SABE O QUE ISSO ME LEMBRA??.
Preguicite aguda..com sintomas de esperteza,taí uma boa candidata para entrar na política.
funcionários públicos ,como tenho visto na Globo,recebem sem trabalhar...dá muito certo o perfil da DOENTINHA!
Anônimo disse…
É absurdamente ultrajante, para qualquer tipo de paciente psiquiátrico, no presente caso agravado por tratar-se de suicida em potencial, que um médico profissional (ou médica...) tenha o disparate de prescrever 'água benta' e mais apoio espiritual, ou qualquer outra paraterapia (=alienação) que seja.
O MÉDICO (=profissional graduado, capacitado e que honra o seu registro) tem a obrigação legal de tomar as providências clínicas e medicamentosas cabíveis a qualquer paciente que se consulte com ele (ou ela...).
Com todo o respeito à religião, 'água benta' e qualquer outra indicação que extrapole a rigorosa prática clínica deve ser PUNIDA COM RIGOR, não só pelo Conselho de Medicina, mas também pelo Poder Judiciário do Brasil.
O indivíduo que assina o receituário sob a epígrafe de "MÉDICO", e que cometeu tamanha abominação ao precrever 'água benta' e outras práticas estranhas à Medicina deve, obrigatoriamente, ser irremediavelmente BANIDO da profissão e ainda ser condenado a PAGAR UMA INDENIZAÇÃO EM DINHEIRO para as pessoas que humilhou e ofendeu com sua arrogância e suposta precedência intelectual concedida pelo diploma.
Protesto. disse…
Uma pessoa procura um médico, para atendimento,e é tratado com deboche com uma receita desta é o fim...E esta médica ainda tem coragem de dar uma receita e assinar...sem noção achou que ia ficar por isso mesmo, tinha que processar mesmo pra não tratar os pacientes com descascaso, pois se a menina precitasava de ajuda esta conduta médica não pode ser aceita.
E como podemos saber se é verdadeira esta história de que ela pediu dolantina.
Depois desta conduta médica dificil acreditar nesta profissional.
Os médicos tem que aprender a respeitar os pacientes.Estudaram para isso não pra debochar...
Se a menina tinha tentado suicidio tinha que encaminhar pra tratamento.
Fica aqui minha indigação contra esta médica que mancha a classe...
Robson disse…
As duas são incompetentes... Primeiro a suicida que não conseguiu nem se matar e segundo uma médica (?) receitar água benta !!!!!!!!
É muita merda em uma notícia só !!!!!!!!!!!

Eu de novo: Robson Kvalo
LEGIÃO disse…
Por que a "Médica" não receitou uns goles de marafo?

Deve ser cristã!
Anônimo disse…
Anne:
Quisera eu ser advogado desta moça, foi negado a ela um serviço a altura de suas necessidades. Que tentativa de suicidio ou não ela estava pedindo por socorro, e ao inves de um encaminhamento psiquiatrico que uma profissional deveria ter feito, negligencia receitando agua benta, como se estivessemos na idade media ou caças as bruxas. Quando esta consciente se sente negligenciada, provocada, menosprezada inpinge-lhe falso testemuho de que estavas a procura de Dolantina, o que em nenhum momento aparece em seu prontuario médico. Como esses advogados deixam passar, como esses juizes dão ganho de causa, me admira o CREMERS não cassar o registro dessa médica. Quem deveria ser processado são advogados incompetentes como esses, e não pessoas que sao penalizadas e ridicularizadas pelo erro dos outros.
Anônimo disse…
Como médico, aposto que foi isso que aconteceu. Essa é uma situação muito comum em prontos socorros. Viciados em dolantina e opióides em geral querendo dar uma de espertos em cima do médico de plantão. Reconheço estes pacientes de longe e dou apenas um encaminhamento para a psiquiatria.
Anônimo disse…
Se a médica desconfiou que fosse esse o caso, deveria ter encaminhado a paciente para a psiquiatria e não ter "receitado" água benta.
Não se faz piada com a saúde de uma pessoa e, muitos dos "viciados", se tornaram dependentes devido à tratamento, na maior parte das vezes, o médico não fornece ao paciente nenhuma orientação a esse respeito. Portanto, é responsabilidade do hospital oferecer tratamento a dependência do paciente.
Valdo.
Anônimo disse…
Não me admira que ela tenha perdido o processo. O CRM é muito corporativista. E a justiça brasileira ta uma merda mesmo.
Essa médica deveria ser cassada, tem muito médico fazendo merda e o pior é que o CRM apoia e da cobertura.
Valdo.
José Agustoni disse…
Concordo com o "Anônimo 7 de maio de 2012 20:28". Receitar "água benta" para um suicida ou é brincadeira de muito mau gosto, ou é incompetência grossa. O encaminhamento para um psiquiatra é mandatório.
Anônimo disse…
Suicídio? Dores fortes? Dolantina? Essa pessoa é bem espertinha!
Anônimo disse…
Provavelmente a mulher era viciada no remédio. Acho que cada um tem sua fé, algumas pessoas com problemas psicológicos melhoram qdo rezam e estão com Deus.
Marcelo Ribeiro disse…
O Conselho de Medicina que devia expulsar uma médica ignorante destas.
Tb Acho que o que aconteceu foi que a médica notou que se tratava de uma viciada (tá meio na cara isso) e acho até que se saiu bem da situação, indicou pra ela algo que talvez ajudasse pois a paciente poderia se sentir melhor (efeito placebo) se achasse que aquilo que ela ingeria estava ajudando.