Pular para o conteúdo principal

Universidade católica apoia alunos muçulmanos, mas não os ateus

A Universidade de Notre Dame, na Indiana (EUA), recusou a proposta de um grupo de estudantes ateus e agnósticos para reconhecer como oficial a formação de clube secular de debates.

Para os estudantes, esse reconhecimento seria importante porque passariam a ter o apoio financeiro da universidade para, por exemplo, remunerar palestrantes convidados. Em universidades americanas é comum esse tipo de agremiação.

A Notre Dame é uma conceituada universidade católica que fica em South Bend. Ela pertence à Congregação de Santa Cruz.

Campus em South Bend
O estudante Stephen Love, líder dos descrentes, admitiu que a decisão da universidade é legítima porque se trata de um estabelecimento privado. Acrescentou, contudo, que tinha a expectativa de que o clube dos céticos fosse aceito porque, afinal, a universidade chancelou a mesma iniciativa de estudantes muçulmanos e judeus.

A justificativa oficial da universidade para não reconhecer o clube foi de que no campus há poucos descrentes. Love discordou. “Eu acho que a universidade subestima o número de descrentes”, disse. “Ela ficaria surpresa se soubesse quantas pessoas estão interessadas [no clube].”

A proposta, negada no ano passado, repercute até agora porque envolve pelo menos dois pontos polêmicos. Primeiro: os ateus deveriam ter procurado outra universidade para estudar, não uma católica. Segundo: a Notre Dame deveria apoiar a iniciativa porque uma universidade, por sua natureza, deve ser receptiva a todas correntes de pensamento.

Love afirmou que o grupo tem se reunido informalmente para discutir o secularismo. “No começo, eram apenas eu e um casal [nas reuniões]”, disse. “Três semanas depois, já somos 40 pessoas.”

Ele entrou com novo pedido de reconhecimento do grupo de céticos, ressaltando que o propósito é proporcionar um fórum aos alunos para discutir filosofia, temas científicos, religiosos e políticos. Além da intolerância.

Com informação do The Observer, entre outras fontes.

Bento 16 convida ateus para encontro inter-religioso de oração pela paz.
outubro de 2011

Filósofo britânico lança universidade secular com professores ateus.
setembro de 2011

Ateísmo.

Comentários

Avelino Bego disse…
Bem, sendo privada, a Universidade pode decidir como usar o dinheiro dela.

Não há problemas aqui.

Aliás, bastante coerente com a origem da mesma.
J.M. disse…
Também não vejo problema, nesse caso.
Anônimo disse…
É aquele velho papo . Quando os religiosos não conseguem formar grupos,eles chiam dizendo que estão sofrendo discriminação por professarem tal religião,mas eles não se incomodam de tratar de forma diferenciada aqueles que preferem admitir que estão unidos pela falta de religião(eufemismo para discriminação) .Com essa decisão,ela só tem a perder com a geração de conteudo,já que os futuros formandos que são descrentes vão preferir ir pra outra universidade.
Questão interessante essa do anônimo, os religiosos se fazem de coitadinhos injustiçados, que não discriminam ninguém, mas são os piores.

Quanto ao caso, acho triste a universidade privar seus alunos ateus e agnósticos desse direito, mas são as diretrizes da instituição, então, paciência. É uma universidade católica, afinal de contas. Pior seria se eles expulsassem seus alunos por serem descrentes, aí sim seria grave.

Mas, verdade seja dita: Que beleza de campus, hein! WOW!
Nada demais, Tudo conforme o figurino.
Gustavo M. Gomes disse…
Se os ateus deveriam escolher outra universidade que não a católica, os muçulmanos idem e os judeus ibidem.
Não existe justificativa.
Avelino Bego disse…
Mas....

Concordo que, se fosse uma entidade cética/atéia que não permitisse religiosos de atuarem, ah, seria um "mimimi" danado!
Anônimo disse…
http://pt.indymedia.org/conteudo/newswire/5804
Israel Chaves disse…
Bem, é como foi dito... A universidade é privada e pode estabelecer suas regras. Quem não concorda, não é obrigado a ficar. Então, não há nada de errado.
Mas que é hipocrisia eles autorizarem a criação do clube muçulmano e judeu e não o ateu, isso é.
Aleatório disse…
@Avelino Bego eles não apoiaram o grupo, isso é diferente de não permitir a atuação.

Quanto ao caso, não existe nada de mais em uma instituição particular decidir se dedica o seu dinheiro para religiosos ou não, ao contrário do que nós vemos na nossa política =x
Avelino Bego disse…
Aleatório disse...
@Avelino Bego eles não apoiaram o grupo, isso é diferente de não permitir a atuação.

Quanto ao caso, não existe nada de mais em uma instituição particular decidir se dedica o seu dinheiro para religiosos ou não, ao contrário do que nós vemos na nossa política =x
----------

Obrigado pela correção.
Anônimo disse…
Que bom que existem milhares de universidades, opção é o que não falta, falta aceitação por parte da reitoria e da chancelaria daquela IES que pelos comentários aqui vistos, sabemos o quanto ainda está com sua mentalidade coletiva na idade média.
AlyneS2 disse…
Que lugar lindo^^

*Só estou sonhando*^^
Leandro disse…
Igreja católica preconceituosa, ridículo! Com ctz não é oq Jesus pregou.
Bruno disse…
Só vi um problema com o texto (e digo isso como aluno de letras que tem esse tipo de "crítica" dos professores). O modo como a palavras"céticos" foi usada, pode soar de um modo negativo. Em primeiro lugar, cético e ateu estão bem longe de serem sinônimos (há muitos ateus perfeitamente ingênuos por aí, e cristãos céticos quanto a tudo mais). Além disso, a palavra, em geral, é entendida apenas pela acepção "disposição para duvidar de tudo", o que pode ser verdade para alguns, mas costuma ser considerado como excessivo.

O significado "Descrente", pra palavra cético, além de ser figurado e em geral depender do contexto, muitas vezes não significa descrente da religião, mas também de outras coisas.

Ainda que a ideia não seja ser politicamente correto com os termos, continua não tendo o significado adequado...

Fora isso, muito bom o texto. Concordo com os que dizem que isso não é nada surpreendente, mas discordo dos que acham que por isso devemos simplesmente ficar parados e pensar "é assim mesmo que as coisas são", como a maioria das pessoas...
Anônimo disse…
Como é uma entidade privada ela pode fazer oque quiser com o seu dinheiro, mas que são dois pesos e duas medidas isso são, e bem direcionadas afinal eles apoiam quem tem um pensamento totalmente contrário ao deles mas quem simplesmente não crê, mesmo tendo todos os outros quesitos, não é apoiado.
Unknown disse…
Assim seria, não fosse o fato de que a mesma universidade deu os benefícios que o grupo de ateus procura para muçulmanos e judeus.

Ela passa LONGE de ser coerente.

Posts + acessados hoje

Desmascarador de curandeiros e paranormais, James Randi morre aos 92 anos

Pastor de Manaus é acusado de ejacular ‘esperma de Deus’ em obreiras

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade