Menino foge da 1ª comunhão por causa de assédio de padre


No dia 28 de abril, um menino de 10 anos de Ipanguaçu (RN) disse que teve de sair correndo da preparação de sua primeira comunhão porque o padre José Irineu da Silva, 31, começou a apalpar sua bunda. 

A mãe do garoto registrou um Boletim de Ocorrência. A polícia informou nesta sexta-feira (6) que vai pedir à Justiça a decretação da prisão preventiva do sacerdote. Há suspeita de que ele tenha atacado outras crianças.

Ipanguaçu tem cerca de 14 mil habitantes e fica a 210 km de Natal, capital do Rio Grande do Norte. É o delegado Caetano Baumam, da cidade vizinha de Assú, que está cuidando do caso.

A mãe procurou o padre para exigir uma explicação, e ele teria dito que “a carne é fraca”.

Silva, que é o pároco de Ipanguaçu, negou as acusações. Na sua versão, o menino passou mal, e ele [o padre] tentou segurá-lo. “[Foi quando] minha mão tocou nas nádegas [do menino] sem querer.”



O menino, em seu relato à polícia, não menciona o mal-estar. Ele disse que o padre o colocou de costas e começou a apalpá-lo e que teve de fugir para que não ocorressem outras coisas. 

A Arquidiocese de Natal afastou o padre de suas atividades.

Com informação da Tribuna do Norte.

Comentários

  1. Ele nega as acusações e diz que a carne é fraca...Isso é um pilantra!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem disse que ele teria dito isso foi a mãe do garoto. Aprenda a ler!

      Ademais, com tanta propaganda anti-pedofilia, fica fácil surgir tanto os oportunistas quanto os vitimistas paranóicos, sejam pais ou mesmo as crianças e adolescentes, e daí qualquer um pode se tornar vítima de algum delírio dessa gente!

      Imagina se realmente aconteceu o que o padre disse, ou seja, o garoto passou mal, o padre foi socorrê-lo, mas como o garoto estava passando mal houve o delírio, e somado a paranóia anti-pedofilia a este delírio no garoto, ele acredita que o padre realmente teria o molestado.

      É preciso muita cautela antes de sair condenando as pessoas! É fácil se deixar levar pelo julgamento que a maioria faz, mas muitas injustiças são cometidas dessa forma!

      Excluir
    2. É mesmo, é só mais uma coincidência o garoto passou mal, o padre pegou na bunda do moleque sem querer e ele ter falado pra mãe que a carne é fraca foi só um delírio paranoico. =)

      E claro, ele ter sido só afastado (e não ter ido pra cadeia) foi uma atitude muito justa da igreja, assim como os mais de 250mil casos de pedofilia registrados no mundo (desde 84) envolvendo padres e que a igreja fez, literalmente, a mesma coisa.

      Excluir
  2. Ainda bem que o moleque correu. Agora resta ao padre rezar forte para o mais novo santo do pedaço, são karol, protetor dos pedófilos.

    ResponderExcluir
  3. Alguém já parou pra pensar que talvez o padre nao tenha cometido esse crime do que esta sendo acusado? vamos ter cuidado pra cometer uma injustiça com ja aconteçeu muitas vezes neste país e no mundo.

    ResponderExcluir
  4. Eu já fui moleque e fiz primeira comunhão e sei muito bem que tudo que a maioria quer é uma desculpa para sair correndo e não ter que voltar. Crianças e padres têm uma relação conturbadíssima, mesmo que o padre não seja pedófilo. A maioria das crianças tem medo de padres como têm de palhaços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então me diga, pra que isso?
      É pra torturar? Se sabe que a criança tem problemas ou medo do padre pra que fazer essa porcaria de 1ª comunhão? Depois quando a criança for mais velha pode escolher se quer fazer ou não, ou os católicos tem medo que quando ela crescer, comece a fazer perguntas demais e não siga a igreja perfeita que não responde perguntas?

      Excluir
  5. Essa padrecada desavergonhada e taradona vive passarinhando a molecada.É muita bolinagem na indefesa meninada praticada por esses doentes!!

    ResponderExcluir
  6. Tanto tempo perdido, falando dos gays que se esquece que tem padre pedofiio....
    isto é muito engraçado...
    ja fui molestado por um homem qdo tinha 5 anos e depois de 31 anos sofro os tormentos daquele dia.... somente quem passou por isto é que sabe quantos anos de terapia vai ter que fazer.... e para mim os gays nao passam de otimos cabelereiros...
    Sandra

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Sandra foi "abusado"...

      Tenha a santa paciência com esses paranóicos anti-pedofilia tentando se passar por abusados para dar falsos testemunhos de que ficaram "traumatizados".

      Excluir
    2. *Ela foi "molestado"...

      Excluir
  7. SANDRA

    abuso sexual infantil causa marcas indelévis na mente do abusado...


    Esse tipo de crime tinha que ter penas durissimas

    ResponderExcluir
  8. Este vaticano com esta porra de celibato que é uma zona na verdade e esconderijo de gayzaiada,só acumula sujeirass.

    ResponderExcluir
  9. Amigo, o caso é de pedofilia e não de homossexualidade.Se o padre é gay que o seja com adultos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheço pessoalmente vários que são gays. Não são pedófilos, acham nojento quanto todos nós.

      Excluir
  10. SANDRA, você foi "abusado"?
    Fake detectado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. talvez o sandro tenha virado sandra

      Excluir
  11. O que mais me deixa chateado são fiéis querendo defender esses canalhas sejam padres,pastores ou bispos e outros.

    ResponderExcluir
  12. estes católicos são um bando de pessoas cabeças de vento,ficam limpando o nome da igrejinha deles,q já esta toda fudengada de corrupção e o pior é q a mídia mostra e eles defendem estes padres safados.

    Punk

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  14. O blog deleta comentários escritos só com letras maiúsculas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, desde que tais comentários contrariem de forma muito contundente a opinião do dono do blog.

      Excluir
  15. Defendem a igrja como se esse fosse um caso isolado, quando na verdade é um em milhares. Já estamos cansados de ouvir histórias de membros da ICAR envolvidos com pedofilia e abusos. Apenas os católicos FINGEM que não acontece.

    ResponderExcluir

Postar um comentário