'Moralidade não vem da fé no Cristo ou em quem quer que seja'

do leitor Pablo Lana a propósito de
da leitora Ju

Não quero um mundo livre de Deus para liberar minhas taras mais sórdidas, nem meus desejos mais inconfessáveis. Quero ser bom apenas porque é de minha natureza e não para evitar ser questionado depois por algum ser onisciente. Porque acredito que isso é o certo, independentemente de quem tenha morrido antes para salvar minha alma. Não creio que a moralidade venha da fé no Cristo ou em quem quer que seja.

Na verdade, quero apenas poder entrar em uma instituição do Estado e não ser confrontado com a figura do Cristo ou qualquer forma de manifestação de fé individual. A Constituição garante que o governo não pode privilegiar uma religião em detrimento de outras, algo que seria absurdo num país culturalmente rico como o Brasil. É lei, e como tal, deve ser cumprida.

Parece algo simples. Mas esbarra na má vontade das autoridades, que temem represálias de grupos religiosos fanáticos e endinheirados.

Esses mesmos grupos que tentam esmagar as medidas defendendo os direitos dos homossexuais, demonizando-os ou esquecendo-os, o que for mais conveniente.

Essas pessoas querem uma ditadura na qual Deus estará em cada prefeitura, em cada hospital, em cada escola. 

O sonho de Roma é ser Teerã... Cabe a nós, cidadãos de bem, dizer não.

Ninguém precisa de Deus para amar, diz anúncio; religiosos contestam
março de 2011

Ateísmo é radical demais; agnosticismo é melhor
por Marcelo Gleiser em abril de 2011

Comentários

  1. Realmente.Texto perfeitamente coerente.
    Eles desejam uma ditadura religiosa.

    ResponderExcluir
  2. Penso da mesma forma. A moralidade e a etica realmente nao tem nada a ver com religiao ou religioes. Sao independentes.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Paulo. Gostaria de apenas fazer um comentário. Há algum tempo venho querendo comentar este e outros textos que foram publicados aqui, mas gostaria de saber quais os critérios para que eles sejam publicados, assim como este e outros que leitores do blog escreveram e tiveram sua publicação promulgada. Somente isso que eu gostaria de saber.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. O critério é que o texto seja conciso, fundamentado e bem escrito.

    ResponderExcluir
  5. Acredito que estamos caminhando a passos cada vez mais largos rumo a essa ditadura religiosa.

    ResponderExcluir

Postar um comentário


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato