Pular para o conteúdo principal

Governo Lula deu ao bispo da Iurd Panceiro passaporte diplomático

Ao final do Governo Lula, o bispo Romualdo Panceiro Filho (foto), 50, o segundo na hierarquia da Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus), recebeu um presente do então ministro Celso Amorim, das Relações Exteriores: um passaporte diplomático.

Os portadores dessa identificação recebem tratamento diferenciado nos aeroportos e alfândegas no exterior, como dispensa de revista e eliminação da burocracia.

A pedido do senador e pastor licenciado Marcelo Crivella (PRB-RJ), Panceiro fez parte do seleto grupo de parentes de Lula que foram agraciados com o mimo de Amorim: Luís Cláudio, 25, e Marcos Cláudio, 39, filhos, e o neto de 14 anos.

Além dos diplomatas, o passaporte especial só pode ser concedido a autoridades governamentais, como presidente da República e parlamentares e a algumas poucas pessoas que representam os interesses do Brasil.

O bispo Edir Macedo, 66, o chefão da Universal, tem passaporte diplomático desde 2007 porque existiria uma lei que concede o benefício a líderes de igreja, mas não há informação de que haja outros religiosos que o têm.

Edir Macedo, por intermédio de suas empresas de comunicação, tendo à frente a Rede Record, deu amplo apoio do Governo Lula e à candidatura de Dilma Rousseff.

Na posse da Dilma, Macedo e diretores da Record entraram no fim da fila das autoridades estrangeiras para cumprimentá-la. Foram os únicos empresários-religiosos que participaram da cerimônia.

Com informação da Veja.com.

MP diz que Iurd usa jatinhos para tirar do país dinheiro do dízimo
agosto de 2009

Edir pede dispensa de vistoria em aeroporto por ser ‘enviado de Deus’
março de 2009

Líder da Universal orienta bispos como arrecadar na crise
abril de 2010

 Religião na política. 

Comentários

Anônimo disse…
A caixa preta do desmando da corrupção do governo Lula vai aos poco se abrindo.
juliano disse…
companheiros!! - como diz o lula
Patrícia Pizzolato de Souza disse…
Imagino o que esses gangsters estão carregando nas malas.uem tem passaport diplomático não sofre revista nos aeroportos de todo o mundo. Podem trazer e levar, dinheiro,documentos,ações,pedras preciosas,ouro,jóias,drogas,armas,munição.Se cobrar 10% sobre o valor transportado, fará fila para contratar o serviço da mula:políticos,criminosos,sonegadores,funcionários corruptos,doleiros e muitos outros bandidos.
Quanto ao envolvimento no governo, sabe-se que os políticos da quadrilha universal,ex-PL,atual PR e infiltrados em outros partidos, trocam apoio aos projetos do governo por propaganda na Record.Quando esses bandidos vão depor nas diversas ações em que são reús?
Anônimo disse…
E aí panceiro?
Esta é a nova gíria para vagabundo brasileiro que circula pelo globo terrestre transportando orações e doações dos fracassados tupiniquins.
Anônimo disse…
Caros Amigos,quem é o responçavel pela existencia da prostituta:
-A Mulher que vende o corpo?
-O Homem que compra o sexo?
Politicos e religiosos "mau-carater",
quem realmente é o culpado por essa
espécie de individuos existir?
Alem de darmos nossa opinião,o que estamos
fazendo de fácto p/ mudar alguma coisa em
nossas simples vidas,em casa,no bairro,ou em
nossa perturbada cidade?...
PENSEMOS BEM!
Anônimo disse…
nunca antes na história desse país!!!! ele não foi o "presidente" mais popular!!!!! taí aos poucos a caixa preta......
Ana García Freitas disse…
Como já foi dito aquí essa é a quadrilha universal, ou o Brasil acaba com ela ou ela acaba com o Brasil.Que saudade da ditadura, naquele tempo esse tipo de bandido não se criava.Na cleptocracia,ganhamos mais impostos,mais ladrões,mais violência e o direito de pagar idenização aos ditos perseguidos.Socorro militares do Barsil!
Anônimo disse…
Equanto eu não ganhar um passaporte desses vou falar mal do Lula, mas voto nele em 2014
Anônimo disse…
DIZEM AS MÁS LINGUAS QUE :

Romualdo Panceiro já mandou matar dezenas de pessoas que o contrariaram....denotando o quão bom é o ambiente da seita crente IURD

Uma das seitas mais 171 do planeta !!!
Izabel Galhardo disse…
Romualdo Panceiro é um marginal,acredito que use o passaport para trazer obreiras de outros países, aquí ele já casou com seis,mas, tudo pela obra e em nome do jesus deles.
SERGIO VIULA disse…
A corrupção é coisa que a igreja não combate, porque dela vive. Agora, os direitos humanos são questionados sempre que promovem a autonomia do indivíduo, porque compromete o projeto opressor desses manipuladores de mentes.

Sergio Viula
www.foradoarmario.net

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Evangélico, chefão do tráfico no Rio manda fechar igrejas católicas

Escola Estadual Igreja Evangélica muda de nome e deixa de afrontar o Estado laico

Milagrento Valdemiro Santiago radicaliza na exploração da fé

Lei anti-ciência de Ohio permite que alunos deem resposta com base na religião

Pai de vocalista dos Mamonas processa Feliciano por dizer que morte foi por ordem de Deus

Ministro do STF critica a frase ‘Deus seja louvado’ do real

Marco Aurélio lembrou  que somente no  império  a religião era obrigatória  O ministro Marco Aurélio (foto), 65, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que não consegue conceber “que nas notas de moedas do real nós tenhamos ‘Deus seja louvado’”, porque isso fere a laicidade do Estado. Em uma entrevista ao UOL, lembrou que na argumentação de seu voto favorável à descriminalização do aborto de fetos anencéfalos, em abril, ressaltou que o Brasil não está mais no império, “quando a religião católica era obrigatória e o imperador era obrigado a observá-la”. “ Como outro exemplo de incompatibilidade com o Estado laico ele citou o crucifixo do plenário do STF. “Devíamos ter só o brasão da República.” Aurélio elogiou a decisão do Tribunal de Justiça gaúcho pela retirada do crucifixo de todas as suas dependências, o que demonstra, segundo ele, que o Rio Grande do Sul é um Estado que “está sempre à frente em questões políticas”. Celso de Mello, outro ministro do Supremo, já

Intel deixa de ajudar escoteiros que discriminam gays e ateus

PSC radicaliza ao dar apoio a Feliciano, afirma Wyllys

por Ivan Richard da Agência Brasil Deputado disse que resposta também será a radicalização O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), na foto, criticou a decisão do PSC de manter o pastor Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorais da Câmara. Para Wyllys, o acirramento dos ânimos por parte do PSC pode provocar ainda mais confusão nas sessões da comissão. Feliciano é acusado por de ter feito afirmações homofóbicas, como a de que a "Aids é câncer gay", e racistas. “Não falo em nome do movimento [LGBT], mas, se um lado radicaliza, o outro tende a radicalizar. Se o PSC radicaliza e não ouve a voz dos movimentos socais, das redes sociais, o pedido para que esse homem saia da presidência, se a tendência é radicalizar e não dar ouvidos, é lógico que o movimento radicalize do outro. Isso não é bom para a Câmara, para o Legislativo, para o PSC, nem para o país”, disse Wyllys. Wyllys afirmou que as lideranças do PSC estão “confundindo” as criticas ao

Estudante expulsa acusa escola adventista de homofobia

Arianne disse ter pedido outra com chance, mas a escola negou com atualização Arianne Pacheco Rodrigues (foto), 19, está acusando o Instituto Adventista Brasil Central — uma escola interna em Planalmira (GO) — de tê-la expulsada em novembro de 2010 por motivo homofóbico. Marilda Pacheco, a mãe da estudante, está processando a escola com o pedido de indenização de R$ 50 mil por danos morais. A primeira audiência na Justiça ocorreu na semana passada. A jovem contou que a punição foi decidida por uma comissão disciplinar que analisou a troca de cartas entre ela e outra garota, sua namorada na época. Na ata da reunião da comissão consta que a causa da expulsão das duas alunas foi “postura homossexual reincidente”. O pastor  Weslei Zukowski (na foto abaixo), diretor da escola, negou ter havido homofobia e disse que a expulsão ocorreu em consequência de “intimidade sexual” (contato físico), o que, disse, é expressamente proibido pelo regulamento do estabelecimento. Consel