Diretor de prisão obriga detentos a assistir TV evangélica

Só o diretor, que é evangélico, pode mudar o canal
Desde 3 de outubro, Luís Fernando de Souza, diretor de uma prisão em Belo Horizonte (MG), obriga os detentos a assistir a emissora Rede Super, da Igreja Batista da Lagoinha. Ele é presbiteriano.

Os aparelhos de TVs LCD de 32 polegadas – doados pela igreja – instalados nas dez celas ficam ligados 24 horas por dia. Os detentos só podem abaixar o som ou alterar o brilho e o contraste das imagens. O controle de mudança do canal fica na sala do diretor. 

Souza disse que também exibe a programação das emissoras católicas Rede Vida e Canção Nova e da TV Justiça, mas um detento afirmou que isso ocorre só de vez em quando.

Para o juiz Márcio Fraga, do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), a iniciativa de Souza é “imprópria e absurda”, ainda que o objetivo dele tenha sido tranquilizar os detentos, porque ninguém em um estabelecimento público pode ser forçado a assistir uma programação de tv religiosa. “O Estado brasileiro é laico.”

A prisão chama-se Centro de Remanejamento do Sistema Prisional São Cristóvão. Ali, os detentos ficam poucas semanas, até que sejam enviados para as penitenciárias onde cumprirão pena.

A iniciativa tem o apoio das autoridades mineiras, que pretendem adotá-la em outras prisões do Estado. A experiência do Centro de Remanejamento está sendo considerada como um programa piloto.

Souza informou que os detentos estão agora mais contidos por causa do “amparo espiritual”. "Você chega na cela e está todo mundo quietinho, de olho na TV. Mudam a forma de conversar, falam "bom dia, senhor diretor, tudo bem?" É gratificante."

Ele também usa a rede de TVs para passar filmes com “mensagem boa”, geralmente religiosa, como “À espera de um milagre”, cuja história ocorre em uma prisão.

Afirmou que a escolha da Rede Super foi “natural” por não apresentar pornografia nem apologia ao crime. "Eles [os detentos] não estão preparados para escolher o que é bom porque não têm instrução. Vão querer ver programa com mulher nua e o do Gugu", disse. Além disso, "a religião é um fator de refreio social".

Os presos gostam de passar o dia vendo a tv evangélica, de acordo com o diretor. Mas não é bem assim.  “Eu queria ver o que acontece no mundo”, disse Marcelo Corrêa.

Com informação da Folha de S.Paulo.





Decisão provisória de juiz do Piauí mantém santos em órgãos públicos
novembro de 2010


Comentários

  1. Isso sim é castigo. Desumano.

    ResponderExcluir
  2. Rs... boa idéia, se todos os diretores de penitenciárias tiverem a mesma idéia, talvez possamos diminuir o índice de criminalidade, rs, nínguém vai querer ser preso....rsrsrs

    ResponderExcluir
  3. Segue e-mail de Luíz Fernando de Souza:

    Graças à parceria firmada entre a Unidade Prisional Ceresp São Cristóvão, em Minas Gerais, e a Rede Super de Televisão, nasceu o Projeto TV CELA , que disponibilizou televisores com finalidade de viabilizar aos presos acesso a filmes educativos, que transmitam uma mensagem de vida, que enalteçam a moral, a virtude, o caráter, que falem sobre honestidade, enfim , que façam bem à psiquê daqueles indivíduos que se encontram à disposição do Estado. É importante frisar que a única finalidade é a recuperação e a preparação para que eles voltem à liberdade um pouco, ou quem sabe, muito melhores do que lá entraram.

    Não existe discriminação pois o acesso é permitido a outros cleros. Existe também uma câmera com um microfone para que o Padre, Pastor, Psicólogo, Assistente Social, profissionais da área de saúde, etc…, falem diretamente com os detentos através dos televisores. Através desta câmera, os reeducandos têm acesso à palestras sobre doenças sexualmente transmissíveis e orientações jurídicas por parte da Defensoria Pública.

    Na última quarta feira, dia 22/12/2010 , recebemos a visita do Padre José Geraldo e o mesmo trouxe uma palavra de vida para os reeducandos. Estamos aguardando a visita do Bispo para que fale diretamente com nossos reclusos, conforme nos informou a Dona Alice da Pastoral da Igreja Católica.

    Exibimos semanalmente videos do Padre Léo, e já liberamos outros canais (de cunho educativo) para eles. Não podemos permitir canais de televisão que mostrem pornografia, filmes violentos, apologia ao crime, e coisas desse gênero.

    Não existe, portanto proselitismo, como foi divulgado pela Folha, existe, sim, orientação e assistência religiosa através dos voluntários da Pastoral Carcerária, seja evangélica ou católica.

    Vale a pena lembrar que quem patrocinou os televisores foi a Rede Super de Televisão, porém não ficou condicionada a exibição apenas desta emissora, e tenho certeza de que qualquer outra Igreja, Emissora de TV, Empresas da Rede Privada, que quiserem doar Televisores para outras Unidade Prisionais aqui em Minas Gerais, com intuito de promover a ressocialização do preso, serão bem vindos.

    Creio que a responsabilidade de proporcionar oportunidade de recuperação para aqueles que cumprem pena privativa de liberdade é de todos nos, não somente das Igrejas e do Estado.

    Um grande abraço a todos e um excelente Ano Novo, repleto de realizações e paz.”

    Luís Fernando de Sousa
    Diretor Geral do Ceresp São Cristóvão – MG
    luisfdesousa@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Anônimo12/27/2010

    Isso é tortura. Um crime contra os direitos humanos. E conversão religiosa forçada.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo12/27/2010

    isso que é crime, tenho dó dos presos!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Anônimo12/27/2010

    Só podia ser coisa de evangélico babaca mesmo!

    ResponderExcluir
  7. Maria Helena Ferreira Seleme12/28/2010

    Esse tal Luís Fernando, ainda escreve justificando essa idiotice, será que não existe um promotor para processa-lo por tortura, já que para muitos, assistir a programas evangélicos é um sofrimento e é isto que ele faz,causa sofrimento para muitos.Na tal TV são apresentados os padres pedófilos?Ou a vida de ostentação e riqueza dos autodenominados bispos evangélicos?Justificar é uma qualidade de muitos funcionários públicos,se não vejamos:os aeroportos estão sem problemas, as estradas a educação estão ótimas e a segurança então, os dados e as autoridades provam que o número de homicídios foi muito menor que na gestão anterior e blá,blá,blá. Se amanhã aparecer um doido obrigando todo mundo a assistir filmes pornôs, vão aparecer dados que comprovam que ele está certo.Demitam esse louco ele não tem condições de ser diretor nem da casa dele.Se não existem verbas,como foram comprados os aparelhos de TV e a obra para instalação.Luiz Fernando o esquema das quentinhas continua nos presídios de Minas ou com a graça de Deus o esquema acabou, foi você cristão quem denunciou, ou continua o esquemão e todos ficam caladinhos para não perder a boquinha? Luiz fernando, você usa o seu carro para trabalhar ou continua usando carro e motorista do sistema, pagos com o sangue dos contribuintes? Hipocrisia,fanatismo e administração temerária é o nome dessa palhaçada.

    ResponderExcluir
  8. Que eu saiba, torturar pessoas no Brasil é CRIME.

    ResponderExcluir
  9. Anônimo12/30/2010

    Muito louvável a iniciativa, merece todo apoio.
    Desde que seja um propósito de humanização, não de proselitismo. Todas as igrejas cristãs não podem furtar-se a este MANDAMENTO do próprio Jesus Cristo: "eu estava na prisão e você foi ver-me". Este senhor diretor, SE MUNIDO DOS REAIS PRINCÍPIOS, realmente pode-se considerar um seguidor pragmático do Evangelho, não um religioso teórico, sem compromisso... Seria um ouvinte da boa-nova, que realmente tornou-se discípulo do Mestre? Poderia ser católico, ou da seicho-no-ie, um espírita kardecista, que importa? Se fosse muçulmano, judeu , seria menos digno, menos honroso seu trabalho, e sua iniciativa menos eficaz e benquista? Claro que será perseguido, todos que promovem a justiça o serão, mas receberá, com certeza, SE FIZER O QUE É CORRETO, a recompensa dos justos. Sou evangélico, mas assisto a TV Canção Nova, e conheço os DVDs do Padre Léo; o fato de que eu tenha rejeição ao catolicismo romano, por divergências teológicas quanto à hierarquia, e ao que eu considero (embora reconheço que eles não reconhecem assim) idolatria, (pela Igreja é entendida como veneração)...Autorizar-me-ia a difamar, a denegrir inteiramente o catolicismo? Acusaria a Igreja Católica de escola de pedofilia, porque alguns de seus clérigos são criminosos sociopatas? Da mesma maneira o fato de haver maus pastores, vendilhões da palavra de Deus, como Macedo, Soares, Valdomiro, Ana Paula Valadão, Estevam e Sonia, Malafaia; anularia totalmente os esforços sobrehumanos dos verdadeiros pregadores, teólogos, pela justiça e pela liberdade; soçobraria a moralidade inquestionável de incontáveis missionários, pastores, sacerdotes e outras pessoas; que se doam, que FAZEM algo, que renunciam a tudo e se sacrificam, pelo social? Igrejas sérias, como a Anglicana, A Luterana, a Presbiteriana, a Católica Romana, serão extintas; pelo desejo dos que não concordam, intolerantes, com nenhuma forma de expressão religiosa? Quanto ao estado laico, ele não quer dizer necessariamente anticristão. A questão é, público, e privado, quais os limites de cada um. O presídio pode analisar melhor quando e onde, adotar a exibição de programação religiosa, expressão do âmbito privado, questão do foro individual de cada um, DESDE QUE NÃO FIRA O DIREITO COLETIVO, e a ambiência pública. Pode-se aproveitar a crítica, sempre bem-vinda numa sociedade democrática, tentar resolver a questão, definindo sala especial para a exibição da programação e o comparecimento facultativo para a assistência. Fica mais ético e condizente com a necessidade ou a norma, e a liberdade, que sempre deverá respeitar-se e sobretudo ser respeitada, mesmo onde é cerceada, em benefício dos demais. No caso do presídio, ali estão presos, mas são ainda cidadãos e a pena é um direito, ao mesmo tempo que um dever. O diretor saberá reconduzir a questão com mais prudência, e reorganizar espaço e horário, de modo a não errar por excesso, o que seria tão danoso quanto a deficiência.

    ResponderExcluir
  10. GG Allin9/13/2012

    Por que não colocar o History Channel ou o Discovery Channel, se quer ser educativo? Ou colocar a CNN ou a BBC para os presos verem o que acontece no mundo? Lobotomia também pode ser considerado controle social.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Nobel 2019 de Física afirma que 'não há lugar para Deus no universo'

Robinho: de jogador promissor a evangélico fanático e a estuprador

Com fechamento de 400 templos em uma década, Igreja da Inglaterra ruma para o fim