Bíblia não condena aborto nem a poligamia, afirma estudioso


Livro se baseou no original bíblico

Não há nenhuma menção na Bíblia, em seu original, em hebreu, contra o aborto e a poligamia. A constação é do estudioso Michael Coogan, que acaba de lançar nos Estados Unidos o livro God and Sex – What the Bible Really Says (Deus e Sexo – O que realmente a Bíblia diz).

Em entrevista à Times, Coogan, que é professor de religiões do Museu Semítico de Harvard e que fez pós-doutorado em Literatura na mesma universidade, disse: “É curioso que, no debate sobre o aborto, ambos os lados [os prós e os contra] se apoiam na Bíblia. Mas não há na Bíblia nenhuma referência direta ao aborto, nada”.

Afirmou que os escritos bíblicos no idioma hebreu não há sequer uma indicação de que as pessoas devem ser monogâmicas.  O que a Bíblia relata, disse, é que os homens podem ter quantas mulheres quiser, desde que tenham condições de sustentá-las. Ele citou o caso do rei Salomão, que teve 300 esposas.


Observou que, com base no caso do rei Salomão e de outros personagens bíblicos, como Abraão, Jacó e Davi, os fundamentalistas mórmons que defendem a poligamia estão certos.

O estudioso afirmou que os tradutores do hebreu para outras línguas acabaram introduzindo na Bíblia seus valores morais e preconceitos, tanto quanto o fizeram os escritores bíblicos.

Ele deu outro exemplo de uma possível distorção que a Bíblia contém por conta dos tradutores.

No texto hebreu, não fica claro que Adão tenha se casado (ou seja, assumido um compromisso formal) com Eva, porque a palavra para fêmea tanto pode significar 'mulher' como 'esposa'.
Os tradutores preferiram a palavra ‘esposa’ porque era de seu interesse valorizar o casamento. E no entanto não há na Bíblia nenhuma descrição do casamento entre Adão e Eva.


Ele disse que, de uma forma em geral, a Bíblia apresenta o sexo como algo positivo, porque dele depende a reprodução humana. “A ideia de se abster de sexo por razões religiosas era raro no judaísmo, na maioria dos períodos históricos.” Não há na Bíblia um trecho, nem sequer poucas palavras, que dê respaldo ao celibato dos padres.

Coogan disse que na época em que o cristianismo surgiu, sob a forte influência da cultura greco-romana, a sociedade não era tão puritana como é a de hoje. Admitia-se, por exemplo, a ideia de que os deuses, incluindo o dos cristãos, pudessem descer à Terra para ter relação sexual com os mortais.

Ele falou que a Bíblia comporta inúmeras interpretações e contradições, e as religiões fazem uso somente do que lhes interessa.

Com informação da revista Time.


Textos bíblicos sempre foram referências de perversão e culpa

Comentários

  1. O aborto não é comentado na Bíblia, mas em Jeremias, Deus diz que escolhe alguém ainda no ventre de sua mãe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas a gravidez dura 9 meses, em que período é essa escolha?
      Tanto que para a religião judaica o aborto até 40 dias de gravidez é totalmente moral.

      Excluir
  2. Beleza! Diga para a esposa que ela pode trazer quantos homens ela quiser para morar em sua casa.

    Por que somente o homem pode ter várias mulheres? É um pensamento machista né?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é sim, pq foi um HOMEM que escreveu a bíblia... um homem querendo mudar o mundo inventando uma historia e regras... deu certo!

      Excluir
    2. um homem querendo mudar o mundo, para impor neste os seus valores morais, ainda ganhando alguma grana de quebra. ótimo negócio.

      Excluir
    3. É um pensamento machista pois a Bíblia é machista.

      Excluir
    4. O homem é beneficiado dessa forma por fatores biológicos. A mulher pode suportar uma gestação a cada 9 meses (normalmente). O homem pode fazer isso com quantas mulheres ele suportar, pois ele não tem essa limitação. Isso não deixa de ser machista, mas não deixa de ser verdade.

      Excluir
    5. Então mulheres só possuem fins reprodutivos? Não possuem sentimentos e como não podem suportar mais de uma gestação por vez o homem tem o direito de ficar com outras? Não há verdade baseada em um livro pútrido de mentiras, que não ensina amor e sim ódio.

      Excluir
  3. "Estudioso" será??? e de religião?? o mundo está cheio de Teologos que ensinam como seu bem entender e os descrentes aceitam e se tornam céticos. Tenhamos discernimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele nã é um teólogo, é um tradutor e historiador, caso você não tenha percebido.

      Excluir
    2. me chupa seu viado

      Excluir
  4. Não matarás.
    Não adulterarás.
    Honra a teu pai e a tua mãe.

    Não é preciso escrever sobre tudo que existe para que tudo tenha uma lógica interpretativa da bíblia. Se a religião quisesse colocar um povo aos teus pés primeiro destruiria a família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério?

      Não tem nada melhor do que este conceito de "família" para você tornar homens em cordeirinhos, os "valores familiares" que a religião defende servem justamente para a dominação mais fácil de uma população...

      Tente dominar um grupo de solteiros sem filhos e um grupo de pessoas casadas com filhos, apenas um imbecil acharia que o primeiro grupo seria mais fácil.

      Excluir
  5. "Não adulterarás."

    É no mínimo um indicio...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na verdade o adulterio não existiria se ele fosse CASADO com mais que uma, não é? Espertão...

      Excluir
    2. Não há indícios de que Adão era casado com Eva. Portanto, se ele saísse com outras, não seria considerado adultério.

      Poligamia é uma coisa, adultério é outra! ;)

      Excluir
  6. escultar asneira de um anafabeto é comum,agora de um que se dis escritor e estudioso é lamentavel. ele leu a Bíblia mesno?o ele pensa que adultério é o que.Salomão tinha mais de tresentas mas era contra a vontade de Deus,a biblía manda que o homem se case.e que não se afaste de sua mulher.que não seja incostante no telacionamento.m,anda q ue os bispos se casem, mas que tenha uma só mulher. vai ler a bíblia estudioso...........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ANALFABETO
      DIZ
      MESMO
      TREZENTAS


      QUEM PRECISA ESTUDAR AQUI É VC!
      É MELHOR LER MENOS A BÍBLIA E UM POUCO MAIS DE GRAMATICA!

      Excluir
    2. Que típico evangélico, crente...inculto e mal alfabetizado. Além de ignorante sobre todos os assuntos. Notem uma coisa também: em um certo trecho do antigo testamento (não me recordo agora qual), Jeová diz que vai fazer com que "a espada rasgue os ventres de mulheres grávidas cortando seus filhos em pedaços". É um tipo de aborto divino. Sem anestesia. Bem ao gosto do sadismo de um deus masculino, machista, homofóbico e cruel.

      Excluir
    3. tima resposta a desse cara ali em cima! sou a favor do aborto! melhor tirar um feto hoje, que deixa-lo nascer e abandona-lo amanha! se tirar um feto é aborto, bater punheta é abandono de incapaz! existem métodos de prevenção, mas nenhum é 100% seguro. acidentes acontecem...quem é contra o aborto, que NÃO ABORTE! o corpo é meu e eu tenho o direito de fazer o que quiser com ele!

      Excluir
  7. "escultar" e "dis"? volta pra escola!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kk' você leu minha mente! "Tresentas" também é foda, viu ¬¬

      Excluir
  8. O sangue de Jesus tem poder...

    ResponderExcluir
  9. Por acaso o evangelho não conta ou só 1º testamento?

    ResponderExcluir
  10. Os Evangelhos são obras ficticias...kkkkk

    ResponderExcluir
  11. como eu sempre pensei..........

    ResponderExcluir
  12. Menção bíblica ao aborto:

    Se o homem gerar cem filhos, e viver muitos anos, e os dias dos seus anos forem muitos, e se a sua alma não se fartar do bem, e além disso não tiver sepultura, digo que um aborto É MELHOR do que ele. Eclesiastes 6:3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um homem pode ter cem filhos e viver muitos anos. No entanto, se não desfrutar as coisas boas da vida, digo que uma criança que nasce morta e nem ao menos recebe um enterro digno tem melhor sorte que ele.

      Excluir
  13. O autor é um estudioso e pegou os textos em hebraico ou seja quase o original. É certo
    que cada tradutor em sua época colocou o que achou conveniente de acordo com o in-
    teresse da classe que dominava determinava sociedade.
    Para mim é muito claro que ele pode estar muito certo.
    A bíblia é um livro maravilhoso e tem muitos ensinamentos, mas há também muitas distorções.
    O importante é ter Deus no coração e o bem como nosso maior balizador.



    ResponderExcluir

Postar um comentário

EDITOR DESTE SITE



Paulo Lopes é jornalista profissional diplomado.
Trabalhou no jornal centenário abolicionista
Diário Popular, Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras publicações.