Talibã envenena 50 alunas para que desistam da escola

Muçulmanas
Quando governaram o Afeganistão,
talibãs vetaram o estudo às mulheres
Fundamentalistas islâmicos do movimento talibã jogaram no sábado (12) gás tóxico em cerca de 50 alunos de uma escola do sudoeste do Afeganistão para fazê-las parar de estudar. As estudantes tiveram de ser internadas. A informação é das agências internacionais.

Quando governaram o Afeganistão, de 1996 a 2001, os talibãs proibiram as mulheres de frequentar a escola.

Pelo credo desses fundamentalistas, as mulheres não podem também  sair sozinhas de casa, mostrar alguma parte do corpo (exceto a faixa do rosto onde estão os olhos) e comer com homens, mesmo que sejam da família. Na época em que os talibãs mandavam no país, as mulheres tinham de usar a burca (foto).

Os talibãs chegaram ao poder com o apoio dos Estados Unidos. Mas foram derrubados com a ajuda norte-americana porque eles teriam dado refúgio a Bin Laden, líder da Al Qaeda, a organização que promoveu o ataque às torres gêmeas em Nova York, em 11 de setembro de 2001.

Hoje, os talibãs atuam na clandestinidade, com forte presença em algumas regiões rurais do país. Nos últimos anos, eles têm ameaçado professores e alunas, além de queimar escolas femininas.

Muitas famílias dessas regiões continuam impondo às mulheres as leis dos talibãs ou por convicção ou por medo de sofrer represália.

Esse seria o motivo de estar aumentando no Afeganistão o suicídio de mulheres, embora seja proibido pelo islã. São frequentes os casos de mulheres que põem fogo em si próprias, numa demonstração de repúdio à tirania da família e da religião.





Mulher do Sudão leva 50 chibatadas por usar calça. (vídeo)
dezembro de 2010

Fanatismo islâmico.    Outros casos.    Intolerância religiosa.