'Vítima de abuso adquire a pecha de comida de padre’, diz desembargador

Antonio Santos, presidente do TJ-SP
Santos disse que as
vítimas são discriminadas
Ao comentar o Fórum Internacional de Justiça que vai discutir este mês em São Paulo o crime de pedofilia, o desembargador Antônio Carlos Viana Santos (foto), presidente do TJ-SP, disse ontem que as vítimas de abuso são discriminadas em pequenas cidades.

“Desculpe o termo, são todos maiores, mas já imaginou [uma vítima] numa cidade de 100 mil habitantes: “Ah, aquela lá é comida de padre”.

Lideranças da Igreja Católica não gostaram do termo “comida de padre”.

Antônio Aparecido Pereira, vigário da Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de São Paulo, disse nesta sexta que “a igreja precisa ser tratada com mais respeito”.

Ele também considerou que o desembargador foi inadequado quando ressaltou que não estava “dizendo que o papa é pedófilo”.

Para o vigário, Santos foi grosseiro e preconceituoso, o “que não fica bem para um magistrado que está à frente de um Tribunal de Justiça”.

Em nota, Santos reconheceu que o termo que usou é grosseiro quando retirado do contexto em que foi citado. "[A frase] foi dita quando fui indagado sobre as indenizações hoje pagas pela Igreja Católica às vítimas de pedofilia em casos ocorridos há 30, 40 anos, especialmente em Boston [EUA]."

Hoje, a polícia de Alagoas indiciou os monsenhores Luiz Marques Barbosa e Raimundo Gomes do Nascimento e o padre Edilson Duarte, de Arapiraca, sob a acusação de exploração sexual de adolescentes (hoje ex-coroinhas).

Em Arapiraca, cidade de 209 mil habitantes, a palavra “coroinha” se tornou pejorativa.

Lá, quem quer ofender alguém chama-o de coroinha.

É a descriminação à qual o desembargador Santos se referiu.

Com informações da Folha Online e do iG.

Padres pedófilos de Arapiraca.      Outros padres pedófilos.

Comentários

  1. Anônimo4/30/2010

    Antônio Aparecido Pereira, vigário da Pastoral da Comunicação da Arquidiocese de São Paulo, disse nesta sexta que “a igreja precisa ser tratada com mais respeito”


    E desde quando merece respeito ???

    ResponderExcluir
  2. Anônimo5/01/2010

    Vigarista Católico

    Antônio Aparecido Pereira, vigário paulista, NÃO DISSE que os coroinhas precisam ser tratados com mais respeito.

    A igreja não gosta da camisinha por isso as LASCIVAS HIENAS DE BATINA atacam garotinhos indefesos que não procriam e, consequentemente, não podem pedir eventual pensão alimentícia e parte da herança maldita da instituição dabólica.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo5/01/2010

    o coroinha foi "abusado" dos 11 aos 18 anos? Vai gostar de ser abusado assim lá em Arapiraca.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo5/01/2010

    Apesar de toda campanha odiosa contra a minha igreja, COMO SE NÃO EXISTISSEM PADRES, RELIGIOSOS, FREIRAS, AGENTES DE PASTORAL SÉRIOS E RESPEITÁVEIS, continuarei acreditando na santa e católica, apostólica e romana igreja.
    Sagrado Coração de Jesus tende piedade destes inimigos da fé, e da santidade do vosso nome.
    Teresa Cristina M. Magalhães

    ResponderExcluir
  5. Anônimo5/01/2010

    Você pode continuar acreditando no que quiser...aliás, você sabe donde surgiu a lenda da "mula-sem-cabeça"? Pois foi exatamente para afastar as suspeitas que recaíam sobre as bem-pagas amantes e mães solteiras, companheiras dos padres...Correm os sertões até hoje as crendices que no dia do juízo final, essas pobres parceiras dos celibatários e castos sacerdotes ressuscitarão, sob forma de éguas ou fumentas decapitadas, cuspindo fogo pelos pescoços abrasados, como "punição" pelos seus (?) pecados.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo5/01/2010

    que nome??? que santidade??? só se for...nome de vítimas silenciadas e deixadas ao léu...ou santidade da imunidade e da impunidade.

    ResponderExcluir
  7. Anônimo5/01/2010

    que santidade? e que nome? santidade, só se for a da imunidade e impunidade, e nome...das vítimas silenciadas.

    ResponderExcluir
  8. Anônimo5/17/2010

    “a igreja precisa ser tratada com mais respeito”.
    Quem quer respeito, se dá respeito... A Igreja - independente de ser Católica, Evangélica ou seja lá o que for já perdeu a nocao de respeito aos fiéis e de ética. Quem nao se dá respeito nao será respeitado... Padres, Bispos, Pastores, Apóstolos sao os últimos que podem pedir respeito a si. Eles nao têm respeito por ninguém, nao têm escrúpulos...

    ResponderExcluir
  9. Anônimo5/17/2010

    “que não fica bem para um magistrado que está à frente de um Tribunal de Justiça”.

    Sao cara de pau... Têm coragem de dizer o que nao fica bem para os outros, mas certamente fica muito bem para um padre sair estuprando criancas... Só é pecado quando os outros fazem, quando é a Igreja,com certeza, arrumam alguma desculpa... Igrejas deveriam ser extingüidas...

    ResponderExcluir
  10. Anônimo6/02/2010

    O certo é extinguidas, ou extintas...Ou os dois.
    Minha raiva é que ainda tem gente que defende uma corja safada como desses crentes de Gzuiz, sejam pederastas, pedófilos, ou simples estelionatários como edimais macedo, rouba rouba sonares, voldmortmiro, crava-lhevellla, hernannezclodovil e sua modelo sonja da morrer-renascer...

    ResponderExcluir
  11. Anônimo9/22/2010

    Gostei da lenda sobre a mula-sem-cabeça.

    Igrejas não se dão ao respeito, então como que se pode respeitar entidades fundadas em bases sem alicerces e sustentadas por um coletivo fanático de alienados: OS INIMIGOS DA RAZÃO, A RAIZ DE TODO O MAL...

    ResponderExcluir
  12. Anônimo5/30/2011

    Que o senhor tenha piedade de todos...
    Pois religião, não salva ninguém, o que salva são os atos de cada um e o que o traz no coração.As religiões são rótulos,o importante, é,o que o ser humano tenha caráter e ética e seja digno sempre.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Pastor afirma que 'mendigos têm dever bíblico de passar fome'

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Nos EUA, críticos da pseudociência processam fabricante de homeopatia