Juíza mantém o médico Roger Abdelmasih na prisão

Roger-grades A juíza Kenarik Felippe, da 16ª Vara Criminal de São Paulo, rejeitou hoje o pedido de reconsideração da ordem de prisão do Roger Abdelmassih (foto), 65, o que significa que ele vai continuar preso.

Os advogados Márcio Thomas Bastos e José Luís Oliveira Lima argumentaram no pedido que, com a suspensão (provisória) do especialista em reprodução humana de suas atividades pelo Conselho de Medicina, deixa de existir o motivo da prisão preventiva, a de que o médico representa um perigo para suas pacientes.

Kenarik discordou desse argumento. Ela sentenciou: "Indefiro o pedido de relaxamento da prisão preventiva. De fato, o documento juntado pela Defesa indica que o acusado sofreu interdição cautelar do exercício profissional, entretanto esta sanção é de caráter administrativo e as demais razões apontadas pela decisão, que se encontra em fase recursal, não foram alteradas, razão pela qual fica mantida."

Embora os advogados de defesa tenham recorrido à sanção cautelar do Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) para tirar o médico o médico da prisão, relatório de uma sindicância ético-profissional do órgão conclui que “os danos causados pela prática do profissional são graves e irreparáveis. No caso, não existem garantias de que, uma vez denunciado, venha a cessar suas práticas reprováveis”.

O relatório aponta também que Abdelmassih, além de estar sendo denunciado por abuso sexual, afrontou a ética médica em ‘interação’ com farmácia e laboratórios, com destino incerto de óvulos e espermatozóides e abortos seletivos.

O médico se diz inocente.

O pedido de reconsideração da ordem de prisão foi a quarta tentativa dos advogados para livrá-lo das grades.

> Íntegra da decisão da juíza. (16 de novembro de 2009)

Caso Roger Abdelmassih.

Comentários

Vítima disse…
Yeessss!! Devo admitir que a justiça neste país está me surpreendendo. Nem o Dr.Thomaz Bastos conseguiu brecar este processo. Que sensação mais gratificante de justiça e alma lavada. Que exemplo para a sociedade toda. Não basta ser famoso e ter dinheiro para ficar impune.
Anônimo disse…
Sr. Paulo,
Desculpe-me. No segundo parágrafo da sua nota, acima, onde se lê: "deixa de existir o movido da prisão preventiva", não seria: ""deixa de existir o motivo da prisão preventiva"?
O telejornal da TV Globo, SPTV informou: "A Justiça de São Paulo negou mais um pedido de liberdade do médico Roger Abdelmassih. Segundo a decisão da juíza Kenarick Felippe, da 16ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, Abdelmassih será ainda processado.As 175 testemunhas de defesa e 80 de acusação devem começar a ser ouvidas em 13 de outubro.
Nesta quinta-feira, o Tribunal de Justiça, que já negou uma liminar para soltar o médico vai julgar o mérito de pedido de habeas corpus. O advogado Márcio Thomaz Bastos disse que vai continuar lutando pela liberdade do cliente e que considera a prisão injusta. Além do ex-ministro, o médico é defendido por José Luís Oliveira".
Anônimo disse…
Não entendi esse julgamento que será feito pelo TJ amanhã. A própria Juíza não representa o TJ ? Alguém sabe me explicar ?
Anônimo disse…
Nem com Marcio T. Bastos... bem feito, continua preso e mais pobre a cada dia!!!
Nelma disse…
Uauuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!


1 mês preso!!!!!!!!!!!!!!!

Isso é um vitória inédita nesse país!!!!

Nem com o ex-minstro, quáquáquáquá!!!
Anônimo disse…
Respondendo Anônimo das 22:26,

Irei passar um "pano rápido" sobre as estratégias para soltura do acusado.

3 tentativas foram liminares de habeas corpus, ou seja a liminar é uma decisão provisória que pode ser cassada a qualquer tempo.(NEGADAS)

1 tentativa de reconsideração da prisão, diferente do habeas corpus. (NEGADA)

Amanhã 17/09/2009 será julgado o mérito(merecimento) do pedido de habeas corpus, ou seja as liminares são tentavias de liberdade com carater próvisório, com o posterior julgamento do mérito. 0 que ocorrerá nesta quinta-feira e justamente o julgamento deste mérito do pedido de habeas corpus pelo TJ (Tribunal de Justiça), que fatalmente em algum momento haveria de ocorrer.

Portanto após o julgamento do mérito, se o TJ entender que o acusado deve permanecer preso, a defesa deverá a continuar recorrendo emk instância superior na tentativa de obter a soltura do acusado e/ou utilizar outra estratégia.

Os advogado do acusado podem recorrer sobre o pedido de habeas corpus:

Em 1ª Instancia - e quem julga om pedido é o juiz.

Em 2ª Instancia - TJ/SP - e quem julga são os desembargadores.

Em 3ª Instância - STF - e quem julga são os ministros.

A juíza Kenarick Felippe da 16ª vara criminal pertence a 1ª instância.

Os recursos e meandros jurídicos são muitos, todavia esperamos que na decisão desta quinta-feira onde haverá o julgamento pelo TJ/SP do mérito do pedido de habeas corpus, o pedido seja julgado improcedente e/ou indeferido.

Como em bum bum de nenem e cabeça de juíz nunca se sabe o que pode ocorrer. Aguarde-mos!
Vítima disse…
PARA NELMA

Estou tentando falar com você via Orkut. Me mande um e.mail!
Anônimo disse…
Lembro que comentários escritos só com letras maiúsculas não são publicados.
nelma disse…
Nelma Luz

email: nelmaluz@nitmail.com.br
orkut: mae de guilherme = nelma luz