Juíza mantém o médico Roger Abdelmasih na prisão

Roger-grades A juíza Kenarik Felippe, da 16ª Vara Criminal de São Paulo, rejeitou hoje o pedido de reconsideração da ordem de prisão do Roger Abdelmassih (foto), 65, o que significa que ele vai continuar preso.

Os advogados Márcio Thomas Bastos e José Luís Oliveira Lima argumentaram no pedido que, com a suspensão (provisória) do especialista em reprodução humana de suas atividades pelo Conselho de Medicina, deixa de existir o motivo da prisão preventiva, a de que o médico representa um perigo para suas pacientes.

Kenarik discordou desse argumento. Ela sentenciou: "Indefiro o pedido de relaxamento da prisão preventiva. De fato, o documento juntado pela Defesa indica que o acusado sofreu interdição cautelar do exercício profissional, entretanto esta sanção é de caráter administrativo e as demais razões apontadas pela decisão, que se encontra em fase recursal, não foram alteradas, razão pela qual fica mantida."

Embora os advogados de defesa tenham recorrido à sanção cautelar do Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) para tirar o médico o médico da prisão, relatório de uma sindicância ético-profissional do órgão conclui que “os danos causados pela prática do profissional são graves e irreparáveis. No caso, não existem garantias de que, uma vez denunciado, venha a cessar suas práticas reprováveis”.

O relatório aponta também que Abdelmassih, além de estar sendo denunciado por abuso sexual, afrontou a ética médica em ‘interação’ com farmácia e laboratórios, com destino incerto de óvulos e espermatozóides e abortos seletivos.

O médico se diz inocente.

O pedido de reconsideração da ordem de prisão foi a quarta tentativa dos advogados para livrá-lo das grades.

> Íntegra da decisão da juíza. (16 de novembro de 2009)

Caso Roger Abdelmassih.

Comentários

  1. Vítima9/16/2009

    Yeessss!! Devo admitir que a justiça neste país está me surpreendendo. Nem o Dr.Thomaz Bastos conseguiu brecar este processo. Que sensação mais gratificante de justiça e alma lavada. Que exemplo para a sociedade toda. Não basta ser famoso e ter dinheiro para ficar impune.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo9/16/2009

    Sr. Paulo,
    Desculpe-me. No segundo parágrafo da sua nota, acima, onde se lê: "deixa de existir o movido da prisão preventiva", não seria: ""deixa de existir o motivo da prisão preventiva"?
    O telejornal da TV Globo, SPTV informou: "A Justiça de São Paulo negou mais um pedido de liberdade do médico Roger Abdelmassih. Segundo a decisão da juíza Kenarick Felippe, da 16ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, Abdelmassih será ainda processado.As 175 testemunhas de defesa e 80 de acusação devem começar a ser ouvidas em 13 de outubro.
    Nesta quinta-feira, o Tribunal de Justiça, que já negou uma liminar para soltar o médico vai julgar o mérito de pedido de habeas corpus. O advogado Márcio Thomaz Bastos disse que vai continuar lutando pela liberdade do cliente e que considera a prisão injusta. Além do ex-ministro, o médico é defendido por José Luís Oliveira".

    ResponderExcluir
  3. Anônimo9/16/2009

    Não entendi esse julgamento que será feito pelo TJ amanhã. A própria Juíza não representa o TJ ? Alguém sabe me explicar ?

    ResponderExcluir
  4. Anônimo9/16/2009

    Nem com Marcio T. Bastos... bem feito, continua preso e mais pobre a cada dia!!!

    ResponderExcluir
  5. Uauuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!!!!!!!!


    1 mês preso!!!!!!!!!!!!!!!

    Isso é um vitória inédita nesse país!!!!

    Nem com o ex-minstro, quáquáquáquá!!!

    ResponderExcluir
  6. Anônimo9/17/2009

    Respondendo Anônimo das 22:26,

    Irei passar um "pano rápido" sobre as estratégias para soltura do acusado.

    3 tentativas foram liminares de habeas corpus, ou seja a liminar é uma decisão provisória que pode ser cassada a qualquer tempo.(NEGADAS)

    1 tentativa de reconsideração da prisão, diferente do habeas corpus. (NEGADA)

    Amanhã 17/09/2009 será julgado o mérito(merecimento) do pedido de habeas corpus, ou seja as liminares são tentavias de liberdade com carater próvisório, com o posterior julgamento do mérito. 0 que ocorrerá nesta quinta-feira e justamente o julgamento deste mérito do pedido de habeas corpus pelo TJ (Tribunal de Justiça), que fatalmente em algum momento haveria de ocorrer.

    Portanto após o julgamento do mérito, se o TJ entender que o acusado deve permanecer preso, a defesa deverá a continuar recorrendo emk instância superior na tentativa de obter a soltura do acusado e/ou utilizar outra estratégia.

    Os advogado do acusado podem recorrer sobre o pedido de habeas corpus:

    Em 1ª Instancia - e quem julga om pedido é o juiz.

    Em 2ª Instancia - TJ/SP - e quem julga são os desembargadores.

    Em 3ª Instância - STF - e quem julga são os ministros.

    A juíza Kenarick Felippe da 16ª vara criminal pertence a 1ª instância.

    Os recursos e meandros jurídicos são muitos, todavia esperamos que na decisão desta quinta-feira onde haverá o julgamento pelo TJ/SP do mérito do pedido de habeas corpus, o pedido seja julgado improcedente e/ou indeferido.

    Como em bum bum de nenem e cabeça de juíz nunca se sabe o que pode ocorrer. Aguarde-mos!

    ResponderExcluir
  7. Vítima9/17/2009

    PARA NELMA

    Estou tentando falar com você via Orkut. Me mande um e.mail!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo9/17/2009

    Lembro que comentários escritos só com letras maiúsculas não são publicados.

    ResponderExcluir
  9. Nelma Luz

    email: nelmaluz@nitmail.com.br
    orkut: mae de guilherme = nelma luz

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Gloria Perez defende a novela 'Salve Jorge' de críticas de religiosos