Juiz mantém na cadeia médico acusado de estuprar pacientes

polícia-Abdelmassih

Abdelmassih na segunda, quando saia do IML para um exame de praxe

O desembargador José Raul Gavião de Almeida, da 6ª Câmara Criminal de São Paulo, indeferiu na tarde desta quarta-feira (19) o pedido de habeas corpus apresentado ontem pela defesa do médico Roger Abdelmassih, acusado de estuprar mais de 50 pacientes.  A informação é da Globo News.

Portanto, ele vai permanecer preso no 40º Distrito Policial, em Vila Santa Maria, São Paulo, durante a tramitação do seu processo.

Além de argumentar que Abdelmassih não oferece perigo à sociedade – ele é réu primário e tem endereço e trabalho fixos –, José Luís de Oliveira Lima, advogado do médico, alegou a prisão foi transformada em um “espetáculo circense” pela imprensa.

Também defendem o  médico os advogados Rodrigo Dall’Acqua, Jacqueline Furrier e Ana Carolina de Oliveira Piovesa.

Os advogados do médico vão apresentar novo pedido de liberdade, agora ao STJ (Superior Tribunal de Justiça). 

O especialista em reprodução humana in vitro mais conhecido do país foi preso de surpresa na segunda por volta das 15h, quando chegava a sua clínica em um bairro nobre de São Paulo. Ele se trancou no banheiro e teve de ser convencido pelos policiais para sair de lá.

A denúncia contra o médico foi apresentada pelo MPE (Ministério Público Estadual) de São Paulo e recebida pela Justiça, que instaurou processo criminal.

O médico já tinha sido indiciado em junho pela Polícia Civil sob a suspeita de estupro e atentado violento ao pudor. No inquérito policial, 61 ex-pacientes acusam-no de abuso sexual. Há casos de bolinação e de penetração vaginal.

De acordo com as acusações das supostas vítimas, Abdelmassih se aproveitava delas principalmente quando estavam atordoadas pela anestesia. 

No dia 7, uma sexta, o Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo) abriu 51 processos ético-profissionais contra o médico.

Mas na reunião daquela dia a maioria dos conselheiros do órgão decidiu não acatar a proposta de afastar o médico de suas atividades enquanto durar a tramitação da ação criminal.

Renato Renato Azevedo Júnior, vice-presidente do Cremesp, disse na época não haver “prova inequívoca” contra o médico nem evidência de “dano irreparável” a alguma paciente. Falou que o órgão podia rever sua decisão diante de um “fato novo”.

Com a prisão do médico, Azevedo mudou de tom em suas entrevistas à imprensa. Horas depois de o juiz Almeida ter indeferido o pedido de habeas corpus, o Cremesp anunciou a suspensão provisória do registro profissional do médico.

> Íntegra do indeferimento do pedido de habeas corpus. (em pdf)

> Caso Roger Abdelmassih.

Comentários

  1. Anônimo8/19/2009

    Uma decisão prudente e, que vem de encontro ao anseio das vítimas e sociedade.

    Esperamos que o entendimento das Instâncias Superiores da Justiça seja o mesmo.

    É isso que se espera da verdadeira Justiça!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo8/19/2009

    Eu fiquei pensando: será que o Dr. José Raul Gavião de Almeida, em sã consciência, lendo o relato das vítimas, vai ter coragem de soltar este homem?
    Li seu curriculo lattes, vi algumas de suas decisões e comecei a acreditar que poderia haver justiça, que talvez ele julgasse com bom senso.
    Assim ele fez. Mais um que honra o cargo que tem.
    Parabéns desembargador!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo8/19/2009

    Os conselheiros do Cremesp que inicialmente apoiaram o (se Deus quiser ex) Dr. Roger Abdelmassih também deveriam ter seus registros cassados por conluio ou no mínimo assentimento para com os crimes daquele "médico". Para quem tem acompanhado todo o caso desde o início, está na cara que eles mudaram de posição só e somente porque as denúncias tomaram proporções maiores com a Globo noticiando o caso!!! É uma vergonha para o país e para a classe médica.

    ResponderExcluir
  4. Roberto Santini8/19/2009

    Neste País, onde a falta de vergonha na cara, malversação de recursos públicos , a violência contra a criança e adolescentes, assumiu proporções epidêmidas; está na hora do nosso Congresso trabalhar para as causas sociais . A violência física e moral grassa no nosso País e as Instituições tem a obrigação de zelar pela Família, que é o baluarte da nossa Sociedade. Decisões como a do digno Desembargador José Raul Gavião de Almeida, nos dá uma esperança! Nâo podemos deixar que a indignação, faça com que o Povo faça Justiça, que é o que vai acontecer se as nossas Instituções, não darem ouvidos ao clamor Popular. Basta de violência, de mentiras, de engodos , de acordos políticos partidários e de qualquer tipo de impunidade. O "Caldeirão vai ferver e entrar em ebulição"! A Sociedade Brasileira não aguenta mais! Este caso Roger Abdelmassih, enoja a todos! O Doutor Gilmar Ferreira Mendes, Presidente do Supremo Tribunal Federal-STJ, precisa tomar a responsabilidade para si e o seu Colegiado; a nossa Nação nunca esteve tão frágil em termos Democráticos!

    ResponderExcluir
  5. Anônimo8/19/2009

    SEGUNDO RELATOS um novo habeas corpus so pode ser deferido daqui 30 dias no minimo....

    DR roger já ta começando a pagar cada segundo que fez as vitimas passarem ....

    Quero ver ele dar uma de DEUS em meio a policiais marombados e presos malandros....

    ResponderExcluir
  6. Anônimo8/19/2009

    parabéns ao desembargagor, é isso q esperamos da justiça, igualdade para todos.

    ResponderExcluir
  7. Anônimo8/19/2009

    Parabens desembargador!
    Nossos pesames as "celebridades'q o defendiam com tanta enfase. tais como D.LUISA THOME E RAUL GAZOLLA, q na ansia de defender o monstro, ofenderam as mulheres atacadas.
    se cuidem, seus bebes, podem literalmente ser filho deste louco. Alguem duvida q ele usasse seu propio esperma??!!

    Ca pra nos, estas duas estrelas, mereciam passar por uma desta, para aprenderem a dobrar a lingua e teer mais respeito ao ser humano!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo8/19/2009

    PARABÉNS A TODOS , ISSO PARA AS VÍTIMAS SIGNIFICA MUITO ... MAIS NÃO HAVERÁ TRÉGUA ...
    ESTAMOS NA PONTA DO PODRE MAIOR QUE IRÁ A TONA , GRAÇAS A DEUS QUE COLOCOU AS PESSOAS QUE ESTÃO NO CASO E NA LUTA PELA VERDADE !

    ResponderExcluir
  9. Anônimo8/20/2009

    Graças a Deus! Voltei a acreditar na Justiça!!

    ResponderExcluir
  10. Anônimo8/20/2009

    MARIDOS e MULHERES, dêm preferência às MÉDICAS, é mais SEGURO!

    ResponderExcluir
  11. Anônimo8/20/2009

    Eu e minha mulher, por não poder ter filhos, na época, dez anos
    atraz, nos consultamos com essa pessoa, desconfiamos imediatamente dele, pelos exames que ele pediu e, por querer
    ficar sózinho para conversar com minha mulher, saimos rapidinho do consultório pois tava meio na cara que esse médico é picareta. Tivemos nossa filha no Centro de Reprodução Humana, em Ribeirão Preto, lugar de gente séria e dedicada a esse tipo de trabalho.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo8/20/2009

    Já sabia desta história,através de pessoas que já conheciam sua conduta criminosa e antiética, bem antes de vir à tona. Mas o 'doutor Roger' muitas vezes comprou o silêncio de suas vítimas com quantias vultosas. É por isso que esse TARADO deve continuar preso, para que não venha a subornar pessoas nem obstruir a justiça atravé de ameaças à testemunhas. Esse CRIMINOSO Já devia está preso há muito tempo.Parabéns ao desembargagor, é isso que esperamos da justiça, igualdade para todos.

    ResponderExcluir
  13. Do site do STF

    Chega ao STJ pedido de habeas corpus de Abdelmassih


    Pedido de habeas corpus para que o médico Roger Abdelmassih espere julgamento em liberdade chegou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) na manhã desta quinta-feira (20) e ainda não teve relator designado.

    O Ministério Público de São Paulo, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) – Núcleo São Paulo, denunciou o médico pelos crimes de estupro praticados contra 56 mulheres, a maioria ex-pacientes, baseando-se nas provas colhidas em inquérito policial instaurado no ano passado.

    A denúncia foi aceita na última semana pelo juiz Bruno Paes Stranforini, da 16ª Vara Criminal da Capital, ocasião em que também decretou a prisão preventiva do médico, que se encontra preso no 40º Distrito Policial, em Vila Santa Maria, na capital paulista, desde 17 de agosto.

    Como o relator do habeas corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo indeferiu o pedido de liminar, a defesa tenta no STJ obter a liberdade de Abdelmassih.

    ResponderExcluir
  14. jejé- mb8/20/2009

    Na verdade, embora o Advogado seja qual for a circunstancia em que fundamenta a opiniao pública, por dever de oficio deve defender o cliente, mesmo que isto repugne a maioria das pessoas, quer lesadas ou não.

    ResponderExcluir
  15. Anônimo8/20/2009

    A Advocacia é também conhecida como um sacerdócio, logo, não me parece util que o mesmo se retire ou seja induzido a se retirar por causa da repercussao do caso na opinião pública.
    Alias, o segmento a que o Roger está investido, ou faz o seu negócio, é alvo de disputas por causa de taxas de sucesso que normalmente lhe sao atribuidos.

    ResponderExcluir
  16. Anônimo8/25/2009

    Parabens Desembargador José Raul Gavião de Almeida pela sua condução. Graças a Deus ainda existem pessoas dignas nesse país. Vc ficara na historia por ter mantido preso esse monstro
    tarado. Justiça seja feita.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Gloria Perez defende a novela 'Salve Jorge' de críticas de religiosos