Ensino confessional enfraquece Estado laico, afirma Karnal


"Religião é de foro íntimo"

Em uma entrevista, o historiador Leandro Karnal (foto) se posicionou contra a decisão do Supremo Tribunal Federal de institucionalizar o ensino religioso confessional. Segue uma síntese do que disse:

Se não tiver nenhuma proposta ilegal, a religião é essencial para a definição de uma sociedade. A religião é essencial para a definição de uma sociedade, mas é ao mesmo tempo de foro íntimo.

No Brasil, o Estado laico vem se enfraquecendo bastante, porque não é função do Estado ensinar religião. 


O modelo que apoio surgiu no Estado de São Paulo. Sou autor dos livros de ensino religioso em São Paulo. São estudos históricos e antropológicos das religiões.

Isso que eu acredito, isso é bom. 

Agora ensinar religiões, vamos começar pensando: como ficam todas as demais religiões?

Quem ensinará candomblé onde houver um aluno adepto do candomblé?

Quem ensinará, por exemplo, a um aluno ateu! 

Quem ensinará o aluno espírita? 

Teríamos 70 professores de religiões em cada escola?

É por isso que não cabe ao Estado particularizar e tornar individual o ensino de religião. 

Assim como não cabe ao Estado ensinar valores. Os valores devem ser familiares. Não se deve atribuir à escola o ensino de valores familiares.






5 contestações ao que Karnal afirma sobre religião e ateísmo

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.