Paulopes

Religião, ateísmo, teoria da evolução e astronomia

......................................................................................

terça-feira, 10 de julho de 2012

Pressão faz Apucarana recuar do pai-nosso nas escolas

Estudantes de Apucarana
Estudantes pediram a derrubada do projeto de lei
Por 7 votos contra 2, os vereadores de Apucarana, no norte do Paraná, decidiram rejeitar em segunda discussão o projeto de lei que, se fosse aprovado, obrigaria os 58 mil estudantes da rede municipal de ensino a rezarem o pai-nosso antes da primeira aula. 

Trata-se do resultado da pressão de setores da sociedade pelo cumprimento da laicidade do Estado. A Constituição veta que qualquer instância de governo tome decisão ou legisle sobre atividades religiosas. Em primeira discussão, tinha havido aprovação por unanimidade.

O autor do projeto de lei é o vereador evangélico José Airton Araújo (PR), o Deco do Cachorro Quente. Para ele, o pai-nosso iria diminuir as atitudes agressivas dos estudantes, inclusive para com os professores.

Ele afirmou ter levado "um susto" com a mudança de voto de seus colegas. “Eu achava que a aprovação ia ser tranquila", disse. "Agora pretendo achar outra maneira [de fazer a oração virar lei].”

Na noite de ontem (9), durante a votação, um grupo de estudante fez um protesto exigindo a derrubada do projeto de lei. O vereador Aldivino Marques (PSC) disse: “Podemos errar, mas não podemos insistir no erro”.

No final do mês passado, a Atea (Associação Brasileira dos Ateus e Agnósticos) enviou representação ao Ministério Público do Paraná para que tomasse as providências contra o desrespeito ao Estado laico que estava prestes a ocorrer em Apucarana.

Sottomaior espera que
recuo sirva de exemplo
O promotor André Luis Bortolini advertiu os vereadores de que, caso o projeto fosse aprovado, o MP encaminharia à Justiça uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade).

Daniel Sottomaior (foto), presidente da Atea, espera que o recuo dos vereadores de Apucarana signifique que eles tenham aprendido a respeitar a laicidade do Estado, não sendo, portanto, apenas uma decisão “por mero cálculo político”.

“Tenho a esperança de que esse evento e o de Ilhéus tenham efeito didático sobre os parlamentares do país inteiro”, afirmou. “E que também sirva de exemplo aos professores e diretores de escolas públicas que insistem nessa prática discriminatória e sectária.”





Tribunal suspende lei que impôs pai-nosso nas escolas de Ilhéus
abril de 2012

Religião no Estado laico.


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...