Médicos católicos alemães dizem curar gay com homeopatia

Uma associação de médicos católicos da Bavaria, na Alemanha, oferece a “terapia de opções para homossexualidade”, que prevê cura de gays e lésbicas com o uso de homeopatia e aconselhamento espiritual.

Provavelmente para não ter problemas com as autoridades, inclusive médicas, a associação ressaltou  em seu site que “a homossexualidade não é doença” e que a terapia foi desenvolvida para quem  desejar conter a sua “inclinação” por essa forma de sexo.

"Sabemos que existem muitas pessoas que sofrem muito por causa de seus sentimentos homossexuais e o que oferecemos é um amparo espiritual e psicológico de emergência", disse o médico Gero Winkelmann, responsável pela associação que se denomina como “a voz da comunidade católica da medicina”.

Winkelmann conseguiu despertar as críticas não só do movimento gay, como também dos céticos, que, além de obviamente não acreditarem em “espírito”, nos últimos anos têm feito manifestações contra medicamentos homeopáticos, que são uma enganação, segundo eles.

A Federação de Gays e Lésbicas da Alemanha acusou a associação de desrespeitar a opção sexual das pessoas. Renate Rampf, porta-voz da entidade, disse que Winkelmann se aproveita da insegurança de homossexuais e de seus familiares para impor uma mistificação.

Na América Latina, entidades religiosas dão cursos sobre como curar a homossexualidade. Uma delas é a Exodus, com matriz nos Estados Unidos.

No Brasil, em meados de 2009, o CFP (Conselho Federal de Psicologia) censurou a psicóloga e evangélica  Rozângela Alves Justino por oferecer tratamento de cura da homossexualidade.

Com informação do Spiegel.

janeiro de 2011