Pular para o conteúdo principal

Tribunal na Espanha inocenta médica que fez transfusão em Testemunha de Jeová

Pela sentença judicial, o tratamento do hospital ocorreu conforme a boa prática profissional 


O Tribunal Penal de Lleida, cidade no nordeste da Espanha, inocentou a médica que em 2016 administrou uma transfusão de sangue em um paciente adepto das Testemunhas de Jeová, para salvá-lo.

Interpretando alguns trechos da Bíblia, essa religião fundamentalista prega que Deus proíbe esse procedimento e quem o fizer não irá para o Paraíso. Em Atos 15:20, Deus afirma: “Abstenham-se do sangue.”


Doação de sangue é ato de
apreço à vida de uma pessoa
muitas vezes desconhecida.
Como é possível uma
religião ser contra isso?

Nenhuma outra crença tem o mesmo entendendo, e isso reforça a pregação das Testemunhas de Jeová de que elas são a verdadeira Igreja de Deus.

Quem se submete à transfusão, mesmo inconsciente, é discriminado nas congregações, colocado no ostracismo, rejeitado até por parentes.

O tribunal espanhol sentenciou que a médica agiu corretamente, conforme a “lex artis”, expressão do latim que significa “atos, decisões ou procedimentos consagrados em dado momento pela boa e diligente prática profissional”.

Os autos registram que, no hospital, o paciente se recusou a receber a transfusão quando estava acompanhado de membros da sua congregação, mas depois, com a piora de seu estado de saúde, ele delegou a decisão a seu irmão, que optou pelo procedimento da ciência médica.

Durante a transfusão de quatro bolsas de sangue, o paciente estava consciente, não se opondo aos médicos.

> Com informação do El Diario e de outras fontes.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios

Só metade dos americanos que dizem 'não acredito em Deus' seleciona 'ateu' em pesquisa