Pular para o conteúdo principal

"O termo 'islamofobia' foi inventado por teocratas iranianos para blindar o Islã de críticas e considerar o secularismo como intolerância" (Sam Harris)

Leia o artigo do neurocientista, filósofo e militante ateu Sam Harris onde ele trata do conflito Israel-Hamas. Judeu que não poupa de críticas o sionismo, ele atribuiu a atual violência no Oriente Médio a movimentos extremistas islâmicos, como o Hamas, que, autorizados por uma crença, espalham o terror acreditando que serão compensados no Paraíso. LINK DO ARTIGO  



'O problema nem é
o ódio, embora haja
em abundância, mas
a certeza religiosa'

Comentários

betoquintas disse…
A miopia do Sam continua impressionante. Pessoas estão presas em Guantanamo apenas por serem muçulmanas.
Revista Banksia disse…
Ora, betoquintas, se esses muçulmanos presos em Guantánamo são inocentes, como você sugere, aceitaria recebê-los em sua própria casa?

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Só metade dos americanos que dizem 'não acredito em Deus' seleciona 'ateu' em pesquisa

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios