Pular para o conteúdo principal

Discurso de Michelle Bolsonaro aponta para a supremacia cristã, afirma teólogo

O regime político que se ajusta às palavras da ex-primeira dama é o da teocracia, como o do Irã, onde o governo está submetido à religião


Com pretensão de obter uma cadeira no Senado, ou até mesmo chegar à Presidência da República, Michelle, mulher do ex-presidente Jair Bolsonaro, tem um discurso político sem nenhuma substância, mas as palavras dela apontam para uma supremacia cristã — um regime governo que se compara ao do Irã, uma teocracia islâmica.

Ao se referir ao que a ex-primeira dama disse na manifestação de apoio a Bolsonaro, em 25 de fevereiro, o teólogo Ronilso Pacheco, do Instituto de Estudos da Religião, afirmou que ela prega um governo que se submeta a normas do cristianismo.

“Ela diz, em outras palavras, que durante muito tempo abriu-se mão de reconhecer e militar por uma supremacia cristã conservadora no Brasil.”

"O Brasil é do Senhor"
FOTO: REPRODUÇÃO DA REDE SOCIAL

Na avenida Paulista, em São Paulo, no carro de som da manifestação, Michelle se dirigiu à multidão como se estivesse em um culto pentecostal. Chorou dizendo que “o Brasil é do Senhor”, defendendo “os valores e princípios cristãos”.

Acrescentou: “Por um bom tempo fomos negligentes ao ponto de falarmos que não poderia misturar política com religião, e o mal ocupou o espaço. Chegou o momento da libertação. Eu creio em um Deus todo poderoso capaz de restaurar e curar nossa nação”

O teólogo afirmou que Michelle está equivocada porque, no Brasil, “política e religião já estão profundamente misturadas”.

O que é preciso, segundo ele, é garantir que essa “relação seja democrática”.

Vinicius do Valle, do Observatório Evangélico, afirmou que o discurso de Michelle pressupõe a destruição da laicidade de Estado, impondo, inclusive, o cristianismo sobre as outras religiões.

“Ela faz isso de uma forma muito sagaz, dizendo que a religião cristã representa o bem. Quem vai ser a favor do mal? Isso é muito populista e muito popular. Ainda mais em uma sociedade religiosa como a brasileira.”

> Com informação da Folha de S.Paulo e rede social.

Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Morre o americano Daniel C. Dennett, filósofo e referência contemporânea do ateísmo

Entre os 10 autores mais influentes de posts da extrema-direita, 8 são evangélicos

Ignorância, fé religiosa e "ciência" cristã se voltam contra o conhecimento

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Oriente Médio não precisa de mais Deus. Precisa de mais ateus

Vídeo mostra adolescente 'endemoninhado' no chão. É um culto em escola pública de Caxias

Ateu, Chico Anysio teve de enfrentar a ira de crentes