Pular para o conteúdo principal

A cada dois fumantes, um morre de doenças causadas pelo vício

O pneumologista Ubiratan de Paula Santos alerta que os cigarros eletrônicos também causam vários danos à saúde

SANDRA CAPOMACCIO
jornalista
Jornal da USP

Relatório de especialistas em saúde pública, apresentado em seminário internacional de pesquisa em Estocolmo, aponta que a Suécia está próxima de se tornar o primeiro país na Europa a ficar livre do tabagismo.

Os autores do relatório explicam que a estratégia é a redução da oferta do tabaco combinada com a proibição do fumo em determinados espaços, porém indicando que é possível aceitar produtos sem fumaça – como os cigarros eletrônicos – como alternativa menos prejudicial à saúde.

No entanto, o pneumologista Ubiratan de Paula Santos, responsável pelo Ambulatório de Cessação de Tabagismo da Divisão de Pneumologia do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, alerta que essa informação está longe de ser real. 

Para o médico, a notícia tem vários pontos que precisam ser esclarecidos, como a presença de um pesquisador que é consultor da indústria do tabaco.

Fumante vive dez anos
a menos em relação a
quem não é viciado
em tabaco

Santos destaca que a indústria do tabaco é responsável pela fabricação dos cigarros eletrônicos e aquecidos, os chamados cigarros sem fumaça, que causam diversos danos a curto prazo e não são permitidos no Brasil. 

O médico avalia este fato como positivo e lembra que 30% da população de países como Estados Unidos, Canadá e Inglaterra são adeptas desse tipo de fumo.

Política antifumo


O pneumologista explica que o Brasil tem uma política antifumo bem-sucedida desde a década de 1990, com redução continuada em mais de 70% em ambos os sexos. 

Dados publicados em artigo na revista Lancet, em 2021, que avaliou informações de 204 países com estudos globais de diversas doenças, incluindo o tabagismo, aponta que o Brasil tem uma taxa de fumantes de 6,8 para mulheres e 10,9 para homens, resultado bem mais expressivo do que a Suécia, que teve redução de 14% para mulheres e 12,4% para homens.

No entanto, Santos alerta que, apesar dos bons números, o Brasil ainda tem muitos fumantes. Para o pneumologista, as campanhas são de suma importância, conscientizando sobre os riscos que o cigarro causa à saúde e informando como procurar ajuda. 

Ele reforça a necessidade de fiscalização adequada da venda de cigarros avulsos vendidos em bancas de jornal. Além de a venda de maços com menos de 20 cigarros ser proibida por lei, é fundamental que o Estado tenha o controle da fiscalização.

De cada duas pessoas que fumaram por mais de 20 anos, ao longo da vida, uma morre por doenças causadas pelo cigarro. O cigarro possui 73 agentes cancerígenos. Um fumante vive dez anos menos que uma pessoa que nunca fumou. As doenças cardiovasculares e crônicas estão entre as principais causas.

• Setor de tabaco já usou bebê e Papai Noel em propaganda

• Cigarro light é invenção de bandidos profissionais

• Campanha mostra fumante no fundo de um poço em forma de cigarro



Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Terraplanista vai a Noruega, vê o sol da meia-noite e admite que a Terra é redonda

Bíblia tem mais de 2,5 milhões de mortes em nome de Deus

Ministro 'terrivelmente' evangélico decide que financiar monumento religioso é constitucional

Contar o número de deuses é difícil porque são muitos, dezenas de milhares, milhões

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Igrejas católicas alemãs estão sendo derrubadas. É a demolição da própria religião

Padre autor do mosaico de Aparecida é acusado de invocar a Trindade para ter sexo a três