Pastor afirma que 'mendigos têm dever bíblico de passar fome'

Afirmação do religioso repercutiu na rede social

PAULO LOPES / opinião
jornalista

O pastor Marcos Granconato escreveu no Facebook que "a maioria dos mendigos tem o dever bíblico de passar fome, pois Paulo diz aos Tessalonicenses [no Novo Testamento]: ‘Se alguém não trabalha, que também não coma’”.

Ele disse essa bobagem no domingo [1º de maio], recebendo muitas críticas, que já chegam a milhares.

Granconato tentou se justificar argumentando ter sido mal interpretado, mas meio que confirmou que escrevera. Disse que não se referiu a "todos" os mendigos, mas à "maioria" deles. Ele se embananou mais.

Uma internauta respondeu: "Então a maioria dos políticos e pastores são vagabundos sanguessugas. Não trabalha e vive com o dinheiro dos pobres trabalhadores que morrem de trabalhar, para bancar os vagabundos. Então [esses políticos e pastores] deveriam passar fome também".

Granconato é, antes de tudo, um mal informado, porque as pessoas se tornam mendigas não porque são preguiçosas, mas por inúmeros fatores: falta de qualificação profissional, alta taxa de desemprego, uso de drogas, oriundas de famílias disfuncionais, problemas mentais, etc.

Em tempos normais, Granconato passaria despercebido, porque ele é irrelevante.

O pastor da Igreja Batista Redenção, em São Paulo, só está obtendo visibilidade porque é gente como ele, de grande ignorância e falta de piedade, que governa o país no momento.

O pastor gosta de armas
porque não confia no
poder de suas orações
para se defender

> Com informação do Facebook.


Pastor de Manaus é acusado de ejacular ‘esperma de Deus’ em obreiras



Comentários

  1. Anônimo5/04/2022

    Até mesmo de forma teológica, esse "pastor" se encontra errado. O contexto em que São Paulo Apóstolo escreveu "quem não trabalha, não coma", era dirigido AOS PRESBÍTEROS, que não poderiam viver às custas da igreja sem ter uma profissão. São Paulo era tecelão, especializado em fazer tendas, e continuou vivendo desse trabalho até o final de sua vida. Quem não tem profissão e vive apenas de pregar, está de propósito sem trabalho, e é quem o Apóstolo disse que não merecia comer. Possivelmente, o Marcos Granconato (não chamo de "pastor" a um inepto) seria um desses, que tira seu sustento dos dízimos e contribuições, que deveriam ser repassadas ao socorro aos necessitados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em relação a denominação pastor, faz sentido pela lógica do POVO GADO, ovelhas, muitas pessoas até se denominam assim. Seres que não pensam por si próprios...
      Quem educa, quer que o educado aprenda a seguir por conta própria, saiba pesquisar, discernir. O doutrinador, não. Quer ter gado, seguidores por situação de ser adorado, "massagear" seu ego.

      Excluir
  2. Anônimo5/04/2022

    Mais um psicopata pró bozo.

    ResponderExcluir
  3. Tinha que ser bolsominion, vamos em outubro tirar essa raça podre do poder, Lula 2022

    ResponderExcluir
  4. Anônimo5/05/2022

    Quando há algo coerente, ainda que seja bem pouco na Bíblia, nunca lembram ou inventam hermenêuticas esdrúxulas p/ justificar preconceitos e tudo de ruim.

    ResponderExcluir
  5. Quando há algo coerente, ainda que seja bem pouco na Bíblia, nunca lembram ou inventam hermenêuticas esdrúxulas p/ justificar preconceitos e tudo de ruim.
    Obs erro no Login Google, "marceloDC Ceticismo" comentando.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo5/10/2022

    Porquê não consigo compartilhar no meu face ou zap?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiz um teste agora e o compartilhamento tá ok.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Artista gospel se recusa a cantar em casamento de amigo gay

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Igreja de 221 anos fecha nos EUA por falta de fiéis; avanço da secularização