Pular para o conteúdo principal

Papa expressa 'vergonha' por abusos da Igreja na França. Mas não fala de indenização

> PAULO LOPES
jornalista

O papa Francisco expressou "vergonha" pela informação de um relatório de que, desde 1950, houve mais de 200 mil abusos sexuais (muitos de crianças) cometidos por padres e funcionários da Igreja Católica da França.

"Desejo expressar às vítimas a minha tristeza e minha dor pelos traumas sofridos, e também minha vergonha, nossa vergonha, pela incapacidade da Igreja durante muito tempo para colocá-las no centro de suas preocupações", disse.

É o mínimo que Francisco pode dizer, diante da gravidade do relatório, feito por uma organização independente.

Outros países europeus, como a Alemanha, já sofreram abalo idêntico, acelerando, na região, a decadência da Igreja Católica e da religião, de uma maneira geral.

A França é onde a secularização da sociedade mais tem avançado, até por motivos históricos, e a revelação desse relatório terá o efeito de se jogar gasolina em fogueira.

A falência moral da Igreja Católica não entra na página das "últimas notícias", porque é coisa antiga. Mas agora, na França, a instituição vai ter de administrar a sua falência financeira, como ocorre nos Estados Unidos. Os pedidos de indenização das vítimas e de seus parentes são consequências óbvias.

E sobre indenização, aliás, Francisco não falou. Talvez porque seria mundano demais.


Comentários

  1. Tem que acabar com o cargo de coroinhas, a confissão não pode ser da criança sozinha com o padre, deve ser obrigatório um acompanhante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade, crianças e adlescentes NEM deveria estar lá. E sim numa escola (de verdade), museu, parque etc. Numa igreja, acompanhada de responsáveis (de fato), só para saber dos fatos, da história e afins da religião / igreja.

      Excluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Colégio adventista expõe réplicas de dinossauros em evento criacionista

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber