Pular para o conteúdo principal

Vítima de violência sexual procura hospital para interromper gravidez. E recebe Bíblia de 'pró-vida'

A lei permite que mulheres engravidadas por estupro se submetam a aborto, e foi por isso que L., 26, procurou o hospital público paulista Pérola Byington, para o procedimento.

Na fila do ultrassom, a moça foi abordada por uma voluntária, que lhe entregou uma caixa de absorvente e uma Bíblia, como quem diz que o "aborto é pecado, condenado por Deus".

O assédio religioso em um hospital de referência em atendimento a mulheres é perversidade que agrava o sofrimento de vítimas de violência sexual. Pérola Byington deveria ficar mais atento para isso.

A estudante L. contou que se sentiu constrangida, mas aceitou a Bíblia, acompanhando as mulheres da fila. Ocorreu no dia 18, quarta-feira. No mesmo dia e hora, ela informou sobre essa militância pró-vida" em local indevido ao projeto Milhas pelas Vidas das Mulheres, que a monitorava.

Juliana Reis, do projeto Milhas, comentou: "Outra mulher poderia ter se sentido pressionada, saído de lá e feito um procedimento (o aborto) clandestino".

Questionado pelo site Universa, o diretor do hospital, Luiz Henrique Gebrim, admitiu a ilegalidade, até porque, disse, só é permitida a presença de líder religioso no Pérola Byington a pedido de um paciente em estágio terminal e com a autorização da administração.

Ele não soube informar há quanto tempo a "pró-vida" estava distribuindo o Novo Testamento no hospital. Disse que, após a denúncia, as voluntárias foram orientadas a não distribuírem textos de proselitismo religioso. Elas já deveriam saber disso.

Rosângela Talib, psicóloga e ativista do Católicas pelo Direito de Decidir, grupo que defende a laicidade do Estado, afirmou que se, se houver a distribuição de um símbolo religioso, o hospital teria de aceitar o de outras crenças.

O pior, acrescentou ela, é que "estamos falando de vidas, principalmente de mulheres negras e pobres que são as maiores vítimas de violência e da falta de acesso aos serviços. A gente tem um serviço de excelência no Pérola, e questões como essas atrapalham o andamento do serviço e os professionais".

'Amor' cristão
traumatiza ainda
mais mulher violentada
  
> Com informação do Universa é de outras fontes e foto de arquivo pessoal.

Negras são as principais vítimas de morte por aborto inseguro, diz especialista



Uma a cada cinco brasileiras já fez aborto, mostra pesquisa


Comentários

"estamos falando de vidas, principalmente de mulheres negras e pobres que são as maiores vítimas de violência..." A cor NADA a ver com o caso, e sim porque são pobres. Negros adoram se podar de vítimas e os nonsense caem nessa.
Esse povinho diz ser "pró-vida", mas é totalmente contra as mulheres. Típico de crédulo. Dissonância cognitiva, hipocrisia etc.

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Morre o americano Daniel C. Dennett, filósofo e referência contemporânea do ateísmo

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Britney Spears entra na lista de famosos que não acreditam em Deus

Oriente Médio não precisa de mais Deus. Precisa de mais ateus

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Vídeo mostra adolescente 'endemoninhado' no chão. É um culto em escola pública em Caxias

Ignorância, fé religiosa e "ciência" cristã se voltam contra o conhecimento

Prefeito de Sorocaba não acata Justiça e mantém Bíblia em escolas

TJs quase conseguiram que Michael Jackson destruísse Thriller antes do lançamento