Sem apoio de evangélicos, Bolsonaro corre o risco de não ir para segundo turno

O slogan “O Brasil acima de tudo, Deus acima de todos" perdeu a validade

PAULO LOPES
jornalista

Entre os dois pré-candidatos a presidente da República nas eleições de 2022 mais fortes no momento, Lula da Silva (PT) teria 41% dos evangélicos e Jair Bolsonaro, 32%.

A pesquisa feita pelo Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria) entre 17 e 21 de junho de 2021 mostra que não se confirma a suposição de que Bolsonaro é o mais forte candidato entre os evangélicos. 

Destaca-se que a vantagem de Lula, na pesquisa, ocorre mesmo com o forte viés evangélico do Governo Bolsonaro. 

Ao que parece, o slogan bolsonarista “O Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” já não convence os eleitores mais religiosos, principalmente os evangélicos.

Mas, com certeza, diante do eleitorado evangélico o maior “pecado” de Bolsonaro é a sua (não) gestão da crise da pandemia, o que contribuiu para que mais de 500 mil brasileiros morressem de Covid-19.  Afinal, todos têm alguém que morreu por causa da contaminação do coronavírus.

Imaginar que Bolsonaro possa ter a preferência do eleitorado, mesmo entre os mais conservadores, os evangélicos, frente a tal morticínio, seria o pior dos mundos, literalmente. Uma nação que glorifica seu algoz não tem futuro.

Até as eleições, o jogo político apresentará muita truculência, incluindo ameaças à democracia, por parte do presidente, mas já possível dizer que Bolsonaro corre o risco de nem sequer ir para o segundo turno.

Por tudo que fez ou deixou de fazer e pelo que ainda fará com sua bic de presidente, Bolsonaro já perdeu as eleições.

A verdade é que Bolsonaro, líder da extrema-direita, se afundou na falsidade de própria retórica de que prometia combate à "velha política". 

Mas não se pode dizer quem vai derrotar Bolsonaro, ainda é cedo. Por enquanto é Lula, mas vai depender do surgimento ou do fortalecimento de um candidato (Doria? Ciro? Moro?) que consiga reunir os anti-bolsonaristas e os anti-lulistas.   

Forte candidato
a perder as eleições




Comentários

  1. E o nariz do nem sempre respeitável blogueiro cresce....

    ResponderExcluir
  2. E as orelhas também....

    ResponderExcluir
  3. Nunca pensei que seria herpes negativo novamente depois de 4 anos de diagnóstico, já tentei de tudo na vida de um médico para outro, de um hospital para outro, série de exames, diferentes tipos de medicamentos, já tinha perdido as esperanças até Eu conheci os testemunhos online do Grande Dr. Riaria, um especialista em medicamentos fitoterápicos da África, entrei em contato com ele através de seu e-mail e número que recebi de um dos muitos testificadores, e ele preparou medicamentos fitoterápicos de herpes para mim que tomei por semanas e agora estou completamente curado. Tenho ido a diferentes hospitais para exames para ter certeza absoluta, e todos os meus resultados são negativos. Quero usar este meio para expressar minha gratidão a ele por salvar minha vida e me curar do vírus do herpes, por tirar todas as minhas dores e tristezas. Estou realmente grato e estou tão feliz que agora sou herpes negativo. Continuarei contando a todos as boas novas de seus grandes trabalhos, se você tiver o vírus do herpes ou outra doença entre em contato agora através de: drriaria@gmail.com ou WhatsApp ele no +2349134987375.
    https://web.facebook.com/Dr-Riaria-Herbal-Home-102467701992890

    ResponderExcluir
  4. Anônimo6/29/2021

    O fim de Benito Mussolini, antes tão cultuado pelo povo, foi o de ficar suspenso num posto de gasolina, cuspido e xingado. O de Muammar al-Gadafi, o tão poderoso ditador, foi um cruel linxamento. Tem vezes que os mitos são derrubados, nunca se sabe. O posto nosso genocida já tem, e é Ipiranga.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Gloria Perez defende a novela 'Salve Jorge' de críticas de religiosos