Pular para o conteúdo principal

Análise de dados do Google revela que evangélicos gostariam de ter pênis maior

Dois pesquisadores americanos descobriram em dados de buscas do Google que há uma "forte relação" entre evangélicos e o desejo de ter um pênis maior.

Eles usaram o Google Trends para apurar as associações nas buscas como "realce masculino", "ExtenZe" [suprimento nutricional que supostamente aumenta o tamanho da genitália] e "bomba peniana". 

Verificou-se que evangélicos de vários Estados dos EUA compõem uma parcela significativa dos que acessam esses termos.

Publicado no Journal for the Scientific Study of Religion, o estudo, que não inclui outros grupos religiosos, foi feito por Samuel L. Perry [samperry@ou.edu], do departamento de sociologia da Universidade de Oklahoma, e Andrew L. Whitehead, do departamento de sociologia de Indiana University.

O título acadêmico do estudo é, em tradução livre, é "Vinculando a subcultura evangélica com a masculinidade fálica insegura usando pesquisas do Google".

Os pesquisadores levaram em conta outras referências, como preferência política, nível de educação, raça e situação conjugal, mas a associação mais expressiva com a preocupação com o tamanho do pênis ocorreu com os evangélicos.

Há uma abundância de pesquisas nos Estados Unidos, mas não sobre o tema escolhido pelos dois estudiosos porque as pessoas — ainda mais as religiosas e conversadorasl — não se sentem à vontade para falar sobre o inconformismo (ou não) com a dimensão de sua genitália.

O estudo concluiu que a insegurança masculina dos evangélicos se reflete na avaliação de que a sua genitália não corresponde ao tamanho ideal ou desejável. Do ponto de vista das mulheres, essa não é uma questão importante.

Perry admite que o estudo tem limitações porque a busca no Google por genitália maior pode ter sido feita, em parte, por mulheres.

Ainda assim, segundo ele, o que ficou evidente se encaixa na realidade social neste momento de radicalização na masculinidade cristã, com a internalização de valores falocêntricos.

Isso decorre do fato de os homens, e os evangélicos em especial, estarem sentindo que a sua hegemonia de macho forte, perigoso e viril está ameaçada pela tomada de espaços cada vez maiores na sociedade pelas mulheres.

Comentários

  1. Se fazer uma pesquisa com bolsominions vai dar no mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bolsominions e evangélicos quase sempre são os mesmo seres.

      Excluir

Postar um comentário

Posts mais acessados na semana

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Angola vai julgar bispo da Universal por lavagem de dinheiro e associação criminosa

Vaticano investiu por mais de 20 anos em indústria de contraceptivo, diz TV