Corte de Direitos Humanos vai julgar Brasil por omissão no caso de médico violentador

A CIDH (Corte Interamericana de Direitos Humanos), da Organização dos Estados Americanos, 
decidiu julgar o Brasil por omissões praticadas no caso do ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 137 anos e preso por ter estuprado de pacientes.

A corte vai apreciar duas possíveis omissões cometidas pelo Brasil. A primeira é a violação dos direitos de sete mulheres cujos casos foram considerados prescritos pela Justiça. A segunda é a ausência de legislação penal para punir médicos que ajam de maneira errada na manipulação e guarda de embriões.

Abdelmassih era dono de uma das maiores clínicas de reprodução assistida da América Latina. Segundo o advogado Martin Sampaio, as vítimas do médico afirmam que ele sumiu com os embriões que estavam sob sua guarda. Ele negou a posse, e o processo foi encerrado em 2014 pela Justiça sem sua condenação.

O médico está preso em regime fechado desde outubro de 2019, quando a Justiça de São Paulo revogou a prisão domiciliar.

Com informação do Estado de S.Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Pastor afirma que 'mendigos têm dever bíblico de passar fome'

Carl Sagan escreve sobre um 'pálido ponto azul' nos cosmos, a Terra

Veja os 10 trechos mais cruéis da Bíblia

Trechos bíblicos cuja existência crente finge não saber

Nos EUA, críticos da pseudociência processam fabricante de homeopatia