Pular para o conteúdo principal

Juiz anula decreto de Crivella que permitia reabertura das igrejas

O juiz Bruno Bodart, da 7ª Vara da Fazenda Pública do Rio, acolheu pedido da Defensoria Pública e do Ministério Público do Estado suspendendo o decreto do prefeito Marcelo Crivella, do Rio, que permitiu a reabertura de igrejas para cultos presenciais.

Pela decisão, a prefeitura fica obrigada a fiscalizar os templos.


Bispo da Igreja Universal, Crivella terá de pagar de R$ 50 mil, em caso de desobediência da decisão judicial.

Para Bodart, a decisão do prefeito não tem nexo em relação às medidas de combate à contaminação do novo coronavírus.

“Observa-se um verdadeiro comportamento contraditório dos poderes públicos municipais: ao passo que consideram imperiosas, para a tutela da saúde pública, medidas graves de restrição às liberdades de locomoção, iniciativa e trabalho, deixam de adotar limitações brandas ao exercício da liberdade religiosa, malgrado também necessárias para evitar a propagação da doença.”

CRIVELLA: MAIS PASTOR
DA UNIVERSAL QUE PREFEITO



Com informação da Justiça do Rio.



Crivella não revela nome das 426 igrejas que obtiveram isenção de IPTU

Delator diz ter pago propina de R$ 450 mil a Marcelo Crivella

Crivella assina contrato com banco de Edir Macedo

Crivella afirma que só o ‘Brasil evangélico é que vai dar jeito nessa pátria’



Comentários

Posts + acessados hoje

Igreja do 'santo' Maradona tem altar, cultos e mandamentos

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Para não pagar imposto, TJs alegam que máquina de passar roupa é essencial à religião