Pular para o conteúdo principal

Supremo fecha suas sessões ao público por causa do coronavírus

Agência Brasil     O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decidiu hoje (12) restringir o acesso à Corte, cujos julgamentos passarão a ser fechados ao público, em decorrência do risco de disseminação do novo coronavírus, o Covid-19.

SÓ ADVOGADOS E PARTES
INTERESSADAS PODERÃO
TER ACESSO AO PLENÁRIO

Estão suspensos também o atendimento presencial para serviços que possam ser prestados de modo virtual, as visitações de turistas e o acesso do público externo ao restaurante que fica no Supremo.


A mesma resolução libera os servidores com mais de 60 anos e portadores de doenças crônicas, grupos considerados de risco, a trabalharem de casa, por meio do teletrabalho. 

Servidores que tenham viajado a países com casos de transmissão de coronavírus nos últimos 14 dias também devem procurar um serviço médico para testar contra a doença.

Entre as justificativas para as medidas, Toffoli menciona a classificação da situação mundial do novo coronavírus como pandemia, o que “significa o risco potencial de a doença infecciosa atingir a população mundial de forma simultânea, não se limitando a locais que já tenham sido identificadas como de transmissão interna”.

Desde o início da semana, ministros do Supremo que costumavam cumprimentar jornalistas com apertos de mão e beijos no rosto passaram a evitar contato.




Holanda inocenta médico que submeteu mulher com demência à eutanásia

Bélgica e Holanda estão na vanguarda da eutanásia

Bélgica multa asilo católico por não atender pedido de eutanásia

Vaticano recusa funeral ao paciente que pediu para morrer




Comentários

Posts mais acessados na semana

Covid-19 mata 16 pastores até agora só da Assembleia de Deus no Mato Grosso

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Angola notifica pastores brasileiros da Igreja Universal para deixarem o país