Pular para o conteúdo principal

Católica, Regina Duarte deverá ‘roubar’ popularidade da evangélica Damares


[texto opinativo] A eterna namoradinha do Brasil, protagonista de dezenas de novelas da Globo, a católica Regina Duarte (foto), a nova secretaria de Cultura, deverá “roubar” parte da visibilidade da pastora Damares Alves (foto), ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, que é uma das mais populares do Governo Bolsonaro. 

A secretária Regina Duarte deverá obter a simpatia inclusive das evangélicas, que hoje estão em alta nas pesquisas do Datafolha.

Antes mesmo de assumir o cargo, Regina cometeu uma gafe, mostrando que ela pode ter muitas coisas em comum com Damares.


Ao comunicar no Instagram um encontro com Bolsonaro para aceitar o convite de ser secretária, Regina Duarte, em vez de falar qual será a sua prioridade, viu um sinal de Deus pelo fato de o dia de hoje ser consagrado a São Sebastião, padroeiro do Rio.

A gafe está na imagem que ela publicou: não é de São Sebastião, mas de Santo Expedito, padroeiro das causas perdidas.

Ao menos, no equívoco da atriz, há algo bom: demonstra que ela não é “terrivelmente católica”.

E talvez a imagem de Santo Expedito faça mais sentido em um governo que tem ojeriza à cultura e até recentemente, cuidando da secretaria, tinha um admirador  de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda de Hitler.


Com informação do Instagram e de outras fontes e fotos de divulgação.





Damares Alves mente ao dizer que tem cursos de mestrado

Damares Alves afirma que mulher deve ser submissa ao marido

Damares Alves diz querer ficar mais 'uns cem anos' no governo

Damares Alves diz querer ficar mais 'uns cem anos' no governo




Comentários

Anônimo disse…
Realmente, melhor pedir para o padroeiro das causas perdidas para cuidar da cultura do Brasil, pois com esse governo que tá ai tudo será considerado de esquerda e será censurado.

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos