Mesmo sob intervenção do papa, Arautos intimidam denunciantes de abuso

Organização católica
 ultraconservadora acha que
a melhor defesa é o ataque

[texto opinativo] Os Arautos do Evangelho estão sob intervenção do papa Francisco, mas mesmo assim eles continuam intimidando com ações judiciais pais e ex-integrantes que acusam a organização de assédio sexual e moral, violência física e psicológica, alienação parenta e lavagem cerebral.

Trata-se do modus operandi da organização de extrema-direita, que, certamente por insuficiência de fé, acreditam, nesse caso, mais na justiça terrena do que na divina.

Por intermédio de recursos judiciais, os Arautos fizeram com que muitos sites deixassem de reproduzir um vídeo bizarro que mostra integrantes da organização fazendo comentários desairosos, para dizer o mínimo, sobre o papa Francisco.




Um arauto diz, no vídeo, que tinha conversado com o próprio Satanás sobre o papa.

A organização dá mais credibilidade ao chifrudo que ao papa, pelo menos na época em que foi gravado o vídeo.

Os Arautos pediram judicialmente a retirada do vídeo da internet alegando que têm direitos autorais sobre as imagens.

Com isso, eles assumem, de certa foram, a ofensa ao papa contida naquelas imagens.

Com informação da Istoé e de outras fontes.





Vaticano mantém intervenção na seita de fanáticos Arautos do Evangelho

Em cerimônia de crisma, Arautos do Evangelho dão tapa no rosto de jovens

OAB-SP vai acompanhar denúncias contra os Arautos do Evangelho

Arautos pedem remoção do vídeo 'Conversa com Satã'




Comentários


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato