Pular para o conteúdo principal

Mesmo sob intervenção do papa, Arautos intimidam denunciantes de abuso

Organização católica
 ultraconservadora acha que
a melhor defesa é o ataque

[texto opinativo] Os Arautos do Evangelho estão sob intervenção do papa Francisco, mas mesmo assim eles continuam intimidando com ações judiciais pais e ex-integrantes que acusam a organização de assédio sexual e moral, violência física e psicológica, alienação parenta e lavagem cerebral.

Trata-se do modus operandi da organização de extrema-direita, que, certamente por insuficiência de fé, acreditam, nesse caso, mais na justiça terrena do que na divina.

Por intermédio de recursos judiciais, os Arautos fizeram com que muitos sites deixassem de reproduzir um vídeo bizarro que mostra integrantes da organização fazendo comentários desairosos, para dizer o mínimo, sobre o papa Francisco.




Um arauto diz, no vídeo, que tinha conversado com o próprio Satanás sobre o papa.

A organização dá mais credibilidade ao chifrudo que ao papa, pelo menos na época em que foi gravado o vídeo.

Os Arautos pediram judicialmente a retirada do vídeo da internet alegando que têm direitos autorais sobre as imagens.

Com isso, eles assumem, de certa foram, a ofensa ao papa contida naquelas imagens.

Com informação da Istoé e de outras fontes.





Vaticano mantém intervenção na seita de fanáticos Arautos do Evangelho

Em cerimônia de crisma, Arautos do Evangelho dão tapa no rosto de jovens

OAB-SP vai acompanhar denúncias contra os Arautos do Evangelho

Arautos pedem remoção do vídeo 'Conversa com Satã'




Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Deputado estadual constrói capela em gabinete. Ele pode?

Ateu manda recado a padre preconceituoso de Nova Andradina: ame o próximo

Mescla da política e religião intimida ateus no Brasil. E defendê-los e defender a razão

Veja 14 proibições das Testemunhas de Jeová a seus seguidores

Como as memórias são armazenadas em nosso cérebro?

No noticiário, casos de pastores pedófilos superam os de padres

Fé de pais TJs não supera direito à vida de um bebê, decide juíza

Marcha para Jesus no Rio contou com verba de R$ 2,48 milhões

A prefeitura do Rio de Janeiro liberou R$ 2,48 milhões para a realização ontem (sábado, 19) da Marcha para Jesus, que reuniu cerca de 300 mil evangélicos de diferentes denominações. Foi a primeira vez que o evento no Rio contou com verba oficial e apoio institucional da Rede Globo. O dinheiro foi aprovado para a montagem de palco, sistema de som e decoração. O pastor Silas Malafaia, um dos responsáveis pela organização da marcha, disse que vai devolver R$ 410 mil porque o encontro teve também o apoio de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo. “O povo de Deus é correto”, disse. “Quero ver a parada gay devolver algum dinheiro de evento.” Pela Constituição, que determina a laicidade do Estado, a prefeitura não pode conceder verba à atividade religiosa. Mas o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que compareceu à abertura da marcha, disse que o seu papel é apoiar todos os eventos, como os evangélicos e católicos e a parada gay. A marcha começou às 14h e contou com sete trios

Só metade dos americanos que dizem 'não acredito em Deus' seleciona 'ateu' em pesquisa