Em cerimônia de crisma, Arautos do Evangelho dão tapa no rosto de jovens

Momento em que o monsenhor
João Clá crisma um jovem com
um tapa no rosto

No altar de uma igreja, a após dizer “recebe, por este sinal, o Espírito Santo em nome de Deus, a paz esteja contigo”, o sacerdote João Clá (foto) deu um tapa no rosto de uma jovem que estava sendo crismada.

O "Fantástico" mostrou na noite de 27 de outubro de 2019 um vídeo dessa agressão, que viola o Estatuto da Criança e do Adolescente.

João Clá é o fundador da organização católica ultraconservadora Arautos do Evangelho, que é uma dissidência da TFP (Tradição, Família e Propriedade).

Os Arautos apresentam características de seita que está incrustada na Igreja Católica. Veneram Maria, João Clá e Plinio Corrêa de Oliveira (1908 — 1995), fundador da TFP.

Não há informação sobre quando o vídeo apresentado pela emissora de TV foi gravado e se tapa no rosto faz parte do ritual de crisma da organização e que sentido bíblico há nisso.

Entrevistada pelo programa da TV Globo, a mãe de uma jovem estapeada se mostrou indignada. 

Ela tirou suas duas filhas de um colégio interno dos Arautos, e as jovens tiveram de ser submetidas a tratamento psicológico.

A seita está se afundando em denúncias bem mais graves que o ritual com a humilhação de jovens.

O Vaticano decretou intervenção nos Arautos por práticas heterodoxas de exorcismo.

O Fantástico daquela noite mostrou trecho de outro vídeo que vazou de dentro da seita mostrando que um sacerdote tinha conversado com Satanás sobre a morte do papa Francisco.

Após a divulgação desse vídeo na internet, Clá deixou formalmente a presidência, mas continuou mandando na seita.

Em um comunicado recente os Arautos rejeitaram a nomeação de um interventor pelo Vaticano, criando um impasse.

Além do enfrentamento ao papa e de sua orientação pastoral, o que está em jogo são as fontes de renda dos Arautos e de seus patrocinadores.

A contabilidade da organização não tem transparência. Seus jovens pedem doação nas ruas, mas há suspeitas de que empresários com ideário conservador abasteçam os cofres desses fanáticos, com a garantia de que seus nomes não sejam revelados.

Um porta-voz dos Arautos se negou a falar à reportagem do "Fantástico" sobre as denúncias de agressão a jovens.

O repórter teve de enfrentar a hostilidade de fiéis. Um deles chegou a bater no carro de reportagem.

Nos últimos dias, o Conselho Estadual de Direitos Humanos de São Paulo recebeu dez novas denúncias contra a organização católica.

Em reação, os Arautos têm postado na internet vídeos de ex-integrantes com elogios à organização.

O Ministério Público de São Paulo está investigando denúncias contra os Arautos por abuso sexual, alienação parental e racismo, além de maus-tratos.

Os Arautos nega todas as denúncias da TV Globo, mas mantém silêncio sobre as investigações do Vaticano.

Para eles, tudo é um complô do Satanás.

A expectativa do Ministério Público é que, após as reportagens do "Fantástico", surjam novas denúncias.



Com informação do Fantástico e de outras fontes, incluindo vídeo do site Metrópoles. 



Organização suíça Infosekta ajuda pessoas a resgatarem parentes de seitas

Ex-fiel acusa seita evangélica de escravizar os devotos

Seita peruana de fanáticos recruta fiéis no Brasil

Autor mostra em 'Lunáticos por Deus' a insanidade das religiões




Comentários

Anônimo disse…
esse arautos do evangelho seria os cavaleiros templários do século 21?. Daqui a pouco saem matando os não cristãos esses fanáticos doentes.
Anônimo disse…
Será que vocês conhecem a religião católica? O tapa na bochecha do que esta sendo crismado, é um costume de sempre na igreja no mundo todo e significa que o bispo esta acordando o crismando a uma vida nova em Cristo! Quem não quer "tapa" no crisma (ninguem morreu até hoje, nem os católicos jujubas) que procure otra religião e não seja crismado. Pronto! Isso é intromissão nos principios religiosos.
Israel disse…
Hoje sou ateu, mas já fui católico, coroinha, RCC, catequista. O tapinha na bochecha é um rito do crisma em todo o catolicismo sim. Tem sentido e lógica dentro da liturgia da igreja. Só que devia ser leve e não um estampido tipo "toma cachorra!".
Anônimo disse…
Isso é uma seita e não uma religião seu anônimo idiota.