Pular para o conteúdo principal

Porchat afirma ser fascinante a ideia de que pessoas acreditam no que não existe

Ateu praticante, comediante
 lê muito sobre religiões

[opinião] Ateu praticante, como se assume, Fábio Porchat (foto) disse achar "fascinante a ideia de que as pessoas acreditam em algo que não existe, de guiarem a vida delas em cima do que acreditam e não pelo que sabem".

Ele fez esse comentário a propósito da reação de religiosos contra o "Primeira Tentação de Cristo", especial do Natal de 2019 do grupo Porta dos Fundos, em cartaz no Netflix.

O comediante foi o roteirista da história que mostra um caso de Jesus com Satanás, o "Orlando", interpretado pelo próprio Porchat.

Jesus é interpretado por Gregório Duvivier, também ateu.

Os demais integrantes da troupe são crentes, como Antônio Tabet, que interpreta Deus.

A petição online criada para que a plataforma de streaming censure a comédia obteve mais de 1 milhão de adesões. Até na Holanda houve protestos de religiosos.



No Brasil, aconteceu algo inesperado: lideranças muçulmanas, normalmente discretas, se uniram a evangélicos e católicos nas críticas ao Porta do Fundos. E Jesus, para eles, nem é considerado um deus, mas apenas um profeta.

No especial, há uma (não) menção a Maomé; quando Jesus, em delírio, se encontra com fundadores de religiões, o líder islâmico não aparece por tinha ido a algum lugar. E isso é muito pouco para qualquer muçulmano fanático se sinta ofendido.

Mas valeu a manifestação da Associação Nacional dos Juristas Islâmicos, porque fica comprovado assim que, ao menos parte dos muçulmanos no Brasil, são tão conservadores quanto os pentecostais.

Voltando a Porchat.

Diferentemente do que se pensa ele leva a sério as religiões — inclusive para fazer piada, mas é o que se espera de um comediante.

Como muitos ateus, Porchat demonstra saber mais de religião do que a maioria dos crentes.

Ele lê muito sobre o assunto. Já frequentou igrejas evangélicas, católicas e terreiros.

Porchat se pronunciou pelo Twitter para acalmar os críticos: 

"Gente, pode deixar que eu me resolvo com Deus, tá de boas, não precisa se preocupar não. Agora pode voltar a se indignar com a desigualdade que destrói nosso país. Mas tem que se indignar com o mesmo fervor, tá?".

Eis a questão: por que implicar com uma historinha de ficção se há no país problemas graves, entre os quais ameaças à liberdade de expressão?

Duvivier interpreta o
Jesus gay e Porchat o
 Orlando (Diabo)


Com foto de divulgação.



Humor de Porchat detona o dogmatismo de religiões cristãs

Não faça nada por deus porque ele é onipotente, afirma Porchat

Religião tem sido um atraso para o Brasil, afirma Porchat

Hitler está no céu porque se arrependeu, escreve Porchat



Comentários

  1. Nao sou contra se uma personalidade publica se torna ateia ... mas um comediante sem a menor graça representar os ateus ??? ... Eh dose ... Eh mais um desserviço do que um ponto a favor ... Para acabar com a ilusão da religião tem que se usar de inteligencia e da emoção ... foi assim que por 2000 anos ...os religiosos tem conseguido manter a ilusão .. Nao eh criticar eh fazer rir .. eh mostrar que eh uma fantasia ... que a coisa eh eliminada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a crença religiosa fosse mera fantasia teria desaparecido a muito tempo.

      Excluir
  2. "Como muitos ateus, Porchat demonstra saber mais de religião do que a maioria dos crentes." Estourei foi tudo, ele parece saber mesmo da fundação do cristianismo com a comédia fracassada dele e uma opinião equivocada deveras burra. Quem sabe ele vai debater com alguém que realmente saiba do assunto do que com tiazinhas que não sabem ler e que ficam entregando papéis na porta de sua casa?

    ResponderExcluir
  3. Assistente Religioso15 de dezembro de 2019 22:17

    Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá." Galatas 6.7

    Lançarás muita semente ao campo; porém colherás pouco, porque o gafanhoto a consumirá.
    Plantarás vinhas, e cultivarás; porém não beberás vinho, nem colherás as uvas; porque o bicho as colherá.

    E plantou o Senhor Deus um jardim no Éden, do lado oriental; e pôs ali o homem que tinha formado.

    Gênesis 2:8

    E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela.

    Gênesis 3:6

    Deuteronômio 28:38,39

    Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
    Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.

    Mateus 6:19,20

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assistente Religioso16 de dezembro de 2019 11:00

      Lançarás muita semente ao campo; porém colherás pouco, porque o gafanhoto a consumirá.
      Plantarás vinhas, e cultivarás; porém não beberás vinho, nem colherás as uvas; porque o bicho as colherá.

      Deuteronômio 28:38,39

      Excluir
  4. Que dia ele vai fazer sobre Muhammad?
    Covarde!

    ResponderExcluir
  5. "Tudo aquilo que o homem ignora, não existe para ele. Por isso o universo de cada um, se resume no tamanho do seu saber." Albert Einstein .

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto

Saiba por que a seita Testemunhas de Jeová é um paraíso para pedófilos