Edir teria trapaceado SS, que vendeu a Record achando que era para Collor, diz livro

Durante a negociação com o
 bispo Edir, Silvio Santos recebeu
 ligação do então presidente eleito

A venda em novembro de 1989 da TV Record, então de Silvio Santos e da família Machado de Carvalho, para o bispo Edir Macedo permanece nebulosa, mas um livro pode ajudar a entender o que ocorreu nos bastidores desse negócio.

“O Reino – A História de Edir Macedo e uma Radiografia da Igreja Universal”, do jornalista Gilberto Nascimento, conta que Macedo pediu ajuda de Fernando Collor, então presidente eleito, porque Silvio Santos não estava disposto a abrandar o parcelamento das parcelas do pagamento, no total de US$ 45 milhões.

Com informação de um ex-bispo da Universal, Nascimento escreve que o próprio Collor ligou para Silvio Santos, dizendo que a TV era para ele.




Fica subentendido, portanto, que Edir Macedo, no negócio, seria um testa de ferro, porque, na época, em nenhum momento se especulou que Collor ou o seu grupo de comunicação estaria interessado em comprar um emissora com cobertura nacional.

Collor teria falado a SS: "Silvio, quem está comprando a TV sou eu. É para mim que o Macedo está comprando”.

Resposta de Silvio Santos: “Presidente, por que o senhor não avisou antes?”

Após essa suposta tratativa, o negócio foi fechado.

Pelo câmbio atual, Edir Macedo desembolsou R$ 186,5 milhões.

Até hoje há dúvidas sobre a origem desse dinheiro, que, se tivesse carimbo, seria o da Igreja Universal.

O capítulo do livro sobre o negócio se chama "A TV que caiu do céu".

Com informação da Folha de S. Paulo e de outras fontes, com foto de divulgação.



PF tem indícios de lavagem de dinheiro na compra da Record

Record tenta obter dinheiro da Caixa para filme sobre Edir

Pastor que acusa Edir de ligação com narcotráfico teme atentado

Em dez anos, Universal enviou R$ 2,3 bilhões para TV Record



Comentários


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato