Pular para o conteúdo principal

Em dez anos, Universal enviou R$ 2,3 bilhões para TV Record



Dízimo para TV Record é ilegal

Nos últimos dez anos, a Igreja Universal transferiu para a TV Record cerca de R$ 2,3 bilhões, a título de compra de um horário de programação que vale pouco, de madrugada, para o programa “Fala que eu te escuto”.

O dono de uma e outra, como se sabe, é o mesmo, o bispo Edir Macedo.

O fluxo de dinheiro da Universal para a Record aumentou 239,58% nos últimos dez anos, de acordo com Ricardo Feltrin, do Uol.

Trata-se de uma taxa que superou em muito a inflação do período, de 96,34%.

Só em 2016, a compra do horário custou em torno de R$ 575 milhões.

Trata-se de uma transferência de dinheiro tão vergonhosa, que é estranho que ela ainda não tenha chamado a atenção da Receita Federal.

O programa de TV da igreja poderia se chamar "Eu engano porque vocês gostam".

A Universal e demais igrejas, afinal, desfrutam de imunidade tributária (dinheiro que deixa de ir para os cofres públicos) e deveriam, por isso, ter um mínimo de transparência em suas contas.

Se o Brasil levasse a sério suas contas públicas e a laicidade do Estado, entre outras coisas, esse escárnio para com a sociedade não chegaria a tanto.

Com informação do Uol.

Envio de correção.

Grupo de discussão no WhatsApp.


Isenção de IPTU às igrejas custa a São Paulo 22 creches por ano

Editor deste site
Paulo Lopes é jornalista
Trabalhou no jornal 
abolicionista Diario Popular, 
Folha de S.Paulo, revistas da
Editora Abril e em outras 
 publicações. 
Contato

POSTS MAIS LIDO EM 7 DIAS

Hospital de campanha de evangélicos em Nova York não aceita voluntários gays

Vídeo: R.R. Soares manda o Covid-19 para o inferno, mas não tira a máscara do rosto

Saiba por que a seita Testemunhas de Jeová é um paraíso para pedófilos