Pular para o conteúdo principal

Um a cada dez padres do Brasil abusa de criança, diz relatório confidencial do Vaticano

Ong britância constata que
 a imprensa brasileira tem
 demonstrado pouco interesse
 em apurar os casos de
 pedofilia sacerdotal


Um relatório interno de 2005 do Vaticano estimou que, naquela época, um em cada dez padres do Brasil estava envolvido com abuso de crianças e adolescente.

No total, os padres pedófilos seriam de 1.700 em todo o Brasil, que ainda é o país com maior número de católicos.

A existência desse relatório foi lembrada pela ong britânica CRIN (Child Rights International Network), que em um documento de 70 páginas apresentou um balanço do casos de pedofilia de sacerdotes católicos em 18 países da América Latina.

No Brasil, como em outros, os casos de pedofilia continuam encobertos porque a imprensa não tem dado uma cobertura ao assunto com a devida profundidade.

De acordo com a CRIN, a atuação da imprensa foi fundamental em países como os Estados Unidos e Alemanha para encorajar as vítimas a denunciarem seus algozes.

O balanço da organização destaca estar havendo na América Latina a terceira onda de denúncias contra padres predadores.

A primeira onda ocorreu em 2022 nos Estados Unidos, seguindo-se a da Europa e Oceania.

Na América Latina, pelo dados que a organização conseguiu levantar, houve rompimento do silêncio das vítimas principalmente no México (com pelo menos 550 casos), Chile (243), Colômbia (137) e Argentina (129).

Os países onde as vítimas permanecem caladas são Cuba, Equador e Honduras, além do Brasil.

Víctor Sande-Aneiros, um dos responsáveis pelo balanço, afirmou que há nesses países uma escassez de dados.

"É preciso criar um ponto de partida para que a Igreja e os governos comecem a investigar. Ainda é um tabu, está havendo menos cobertura da mídia e falta um debate público sobre o assunto.”

Com informação do balanço Child Rights International Network e de El País. A ilustração é do relatório da organização.



Igreja Católica do Brasil tem menos pedófilos do que outras?

Padre diz que a Igreja ainda não entendeu a seriedade dos abusos sexuais

Sucessão de abusos mostra que a Igreja Católica está moralmente falida

Igreja Católica vai acabar se não der reviravolta em cinco anos, diz padre

Abuso em coral alemão desmente narrativa defendida por Bento 16




Comentários

Post mais lidos nos últimos 7 dias

90 trechos da Bíblia que são exemplos de ódio e atrocidade

Nova espécie de ave descoberta na Caatinga tem origem em variações do São Francisco

BC muda cédulas do real, mas mantém 'Deus seja Louvado'

Louvação fere o Estado laico determinado pela Constituição  O Banco Central alterou as cédulas de R$ 10 e R$ 20, “limpou” o visual e acrescentou elementos de segurança, mas manteve a expressão inconstitucional “Deus seja Louvado”.  As novas cédulas, que fazem parte da segunda família do real, começaram a entrar em circulação no dia 23. Desde 2011, o Ministério Público Federal em São Paulo está pedindo ao Banco Central a retirada da frase das cédulas, porque ela é inconstitucional. A laicidade determinada pela Constituição de 1988 impede que o Estado abone qualquer tipo de mensagem religiosa. No governo, quanto à responsabilidade pela manutenção da frase, há um empurra-empurra. O Banco Central afirma que a questão é da alçada do CMN (Conselho Monetário Nacional), e este, composto por um colegiado, não se manifesta. Em junho deste ano, o ministro Marco Aurélio, do STF (Supremo Tribunal Federal), disse que a referência a Deus no dinheiro é inconcebível em um Estado moderno, cuja

Responda cristão: Deus criou as estrelas antes ou depois da Terra?

Evangélicos quebram imagens de umbanda no Rio

por Denise Menchen , da Folha Quatro integrantes da igreja evangélica Nova Geração de Jesus Cristo foram presos, acusados de invadir ontem à noite um centro de umbanda no Catete, zona sul do Rio de Janeiro, e quebrar cerca de 30 imagens religiosas, prateleiras e um ventilador (foto). O caso foi registrado na 9ª DP (Catete). Segundo uma das dirigentes do Centro Espírita Cruz de Oxalá, a advogada Cristina Maria Costa Moreira, 45, cerca de 50 pessoas aguardavam em fila a abertura do atendimento ao público, às 19h, quando Alessandro Brás Cabral dos Santos, Afonso Henrique Alves Lobato, Raimundo Nonato e uma jovem identificada apenas como Dominique chegaram ao local. De acordo com Moreira, eles ofenderam os presentes e forçaram a entrada na casa. "Eles chegaram dizendo que queriam ver onde estava o demônio e foram direto para o terreiro", conta Celso Quadros, 52, outro dirigente do centro espírita. "Quebraram tudo, inclusive imagens que temos há 40 anos". A a

AdSense desmonetiza página do texto 'Ateísmo significa libertação do medo do sobrenatural'

Pastores do Malafaia têm salário de até R$ 20 mil, casa e carro

Pastores mais habilidosos  estão sendo disputados  pelas igrejas Silas Malafaia, 53, informou que o salário dos pastores de sua igreja, a Assembleia de Deus Vitória em Cristo, vai de R$ 3.000, para iniciantes, a R$ 20.000, com benefícios que incluem casa mobiliada, escola para filhos e plano de saúde. Pastores com experiência têm direito a carro do ano. É a primeira vez que um líder religioso neopentecostal revelou o salário dos pastores. Na falta de maiores informações, os valores citados por Malafaia podem ser tomados como referência do mercado de salários dos pregadores da Bíblia. As perspectivas desses profissionais são as melhores possíveis, considerando que não precisam ter formação universitária. Um professor de ensino médio não ganha tanto, nem sequer um médico em início de carreira, por exemplo. “Mas é preciso saber ler a Bíblia, pregar, explicar”, disse Malafaia à jornalista Daniela Pinheiro, que escreveu para a revista Piauí de setembro reportagem sobre o pastor.

A física moderna sugere que o tempo não avança, é apenas uma ilusão

Livro conta em 300 páginas histórias de papas das quais poucos sabem

Padre explica seu vídeo sobre mulher apanha porque quer

O padre cantor Fábio de Melo tem tentado nos últimos dias, nas redes sociais, rebater as acusações de que é machista.