Pular para o conteúdo principal

Justiça cancela prisão domiciliar do estuprador Roger Abdelmassih

Perícia médica conclui
 que o ex-médico tem
 condições de saúde para cumprir
 pena em regime fechado

da Agência Brasil

A Justiça de São Paulo revogou em 17 de outubro de 2019 o benefício de prisão domiciliar humanitária do ex-médico Roger Abdelmassih (foto), condenado a mais de 181 anos de reclusão por estupro de pacientes em sua clínica de reprodução.

A decisão é da juíza Andréa Barreira Brandão, da 3ª Vara de Execuções Criminais da Comarca de São Paulo.

Segundo a magistrada, o resultado de uma perícia médica concluiu que o réu está em condições de fazer seu tratamento de saúde na modalidade ambulatorial e, por isso, ele estaria em condições de cumprir a pena na prisão em regime fechado.

De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), Abdelmassih foi levado para a Penitenciária II de Tremembé, onde chegou hoje por volta das 18h.

Durante o cumprimento de sua condenação, Abdelmassih foi beneficiado com a prisão domiciliar humanitária desde que fossem cumpridas algumas condições, como a de ser submetido a perícia médica trimestral, a fim de se constatar sua condição física, e a possibilidade de retomada do regular cumprimento do restante da pena na prisão.

A reportagem tentou contato com a defesa do ex-médico, mas não obteve sucesso.

Com foto da Agência Lusa.



Caso Roger Abdelmassih

Ex-médico Abdelmassih pede censura a livro que o levou de volta à prisão

Abdelmassih inseminava pacientes com seu sêmen

Avaré vai revogar título de cidadão concedido a Roger Abdelmassih




Comentários

Posts + acessados nos 30 dias mais recentes

Morre de Covid-19 pastor bolsonarista que defendia uso da cloroquina

Angolanos expulsam os pastores brasileiros de 30 templos da Universal

Edir Macedo amaldiçoa angolanos que expulsaram pastores brasileiros de templos

Hackers invadem conta de Malafaia e doam R$ 10 mil à Cruz Vermelha

Bispo Edir Macedo é internado com suspeita de estar com Covid-19