Budistas da Tailândia retiram queixa contra pinturas do Buda Ultraman

Religiosos disseram
 inicialmente que os quadros
ofendem o 'Senhor Buda'

Um grupo de budistas da Tailândia anunciou no dia 16 de setembro de 2019 a retirada da queixa contra cinco pessoas responsáveis pela exposição de pinturas de Buda como o super-herói Ultraman. 

Dias antes os religiosos foram à polícia para registrar que os autores da pintura “mancharam o budismo”.

Jaroon Wannakasinanon, líder do grupo, afirmou então que iria abrir processos judiciais contra todos que submeterem “a imagem do Senhor Buda a sacrilégio”.

A autora das pinturas é a estudante universitária Suparat Chaijungreed, que contou com a supervisão de Veerayut, cujo sobrenome não foi divulgado.

Um anônimo comprou os quadros logo depois da divulgação da queixa. O dinheiro foi enviado a instituições de caridade.

A Tailândia tem grupos do budismo Theravada, que são ultra-radicais e perseguem os muçulmanos. A violência religiosa está se espalhando para países do sudoeste asiático, como Sri Lanka e Birmânia.



Com informação do Bangkok Post e outras fontes.


Mestre de budismo zen é acusado de molestar alunas

Dá para ser budista e ao mesmo tempo terrorista implacável

Em Nyanmar, três pessoas vão para cadeia por postar Buda com fones

Templo na Tailândia põe Buda com Superman e Batman




Comentários