Não há registro histórico da existência de Jesus, afirma Bart Ehrman

Estudioso disse que Jesus
 é o resultado da construção
de uma narrativa de mitos

Bart D. Ehrman (foto), estudioso americano do Novo Testamento, escreveu que não há nenhum registro histórico sobre a existência de Jesus.

Argumentou que na própria Bíblia não há menção da vida de Jesus quando ele teria 12 anos até os 30.

E isso é bastante significativo, disse Ehrman, por Jesus teria vivido somente até os 33 anos.

O historiador romano Tacito fez uma breve menção a Jesus, mas 30 anos depois de sua morte.

Ninguém que viveu no período de existência de Jesus o cita, o que é no mínimo estranho porque quem fizesse milagres, como transformar água em vinho, deveria ter muita fama.

“Que tipos de coisas os autores pagãos da época de Jesus têm a dizer sobre ele? Nada.”

“Não há registro de nascimento, citação dos milagres, atestado de óbito. Não há manifestações de interesse, nem calúnias inflamadas, nem referências passageiras — absolutamente nada”.

Ehrman escreveu os relatos bíblicos sobre a vida de Jesus eram mitos que saíram do controle, com novas informações transmitidas ao longo das gerações.

“No antigo pensamento grego, romano e judaico, uma pessoa que exaltava o reino celestial acaba ela própria divinizada.”

É importante saber disso, argumentou o historiador, porque o “nascimento” de Jesus, do filho de Deus, tem a ver com comportamento desse imaginário popular.

“Com o tempo, um conjunto de forças evolucionárias assumiu o controle da narrativa, na qual os seguidores de Jesus começaram a dizer coisas cada vez mais exaltadas sobre ele.”

Coisas como: “Que Jesus foi feito filho de Deus em sua ressurreição; não, foi no seu batismo; não, foi no nascimento dele; não, foi antes de ele vir ao mundo; não - ele nunca tinha sido feito filho de Deus, ele sempre foi o Filho de Deus; na verdade, ele sempre foi Deus; mais que isso, ele criara o mundo; e ainda mais, ele era um ser eterno igual ao Deus Todo-Poderoso”.





Mais estudiosos questionam a existência de Jesus Cristo

Sete mitos de Jesus Cristo que põem em xeque sua existência

Muito se fala de Jesus, mas quase nada se sabe sobre ele

Existência do mal descarta a existência de Deus, diz filósofo


Comentários

  1. Página sensacionalista ...

    Já foi refutado 1000000000000x esse cara

    O blog intenta ser "científico" quando na verdade, faz a mesma coisa que tanto critica: DESINFORMA! Vociferar e Debochar não é refutar, APRENDA!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então tivemos um ser que andou pelas águas e ressuscitou pessoas. É isso? Transformou água em vinho é isso? Preciso arrancar um pedaço do cérebro pra acreditar nisso.

      Excluir
    2. A verdade dói, não é "seu anônimo"? Seu Jesus é, sempre foi, um mito.

      Excluir
    3. leia 'AS CONTRADIÇÕES DO NOVO TESTAMENTO" do Prof. Evilásio Araújo

      Excluir
  2. Sensacionalistas são os relatos contidos no Novo Testamento!

    ResponderExcluir
  3. QUE AUDÁCIA!!! BART ESCREVEU UM LIVRO CONTENDO MAIS DE 300 PÁGINAS AFIRMANDO JUSTAMENTE O CONTRÁRIO: "A EXISTÊNCIA HISTÓRICA DE JESUS É UM FATO"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como se chama esse livro escrito por Bart?

      Excluir
    2. Teologia. Se liga no que de fato acontece e não na sua vontade.

      https://noticias.gospelmais.com.br/pesquisador-bart-ehrman-jesus-nao-existido-118573.html

      Excluir
    3. Teologia, deixe de ser DESONESTO, seu merda fanático irracional.

      Excluir
  4. kkkkkkkkkkkkkkk Esse tá informado; mal informado, mas "informado". Nem os piores ateus e neo-liberais ousaram afirmar isso.
    Flavius Josefus tá segurando a risada.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Sugiro a leitura do artigo nesse link : https://messiasnojudaismo.blogspot.com/2014/01/existencia-historica-de-jesus.html


    ou aqui https://messiasnojudaismo.blogspot.com/2013/12/yeshua-jesus-no-talmude-historia-nao.html

    ResponderExcluir

Postar um comentário


EDITOR DESTE SITE

Paulo Roberto Lopes é jornalista

profissional diplomado. Trabalhou

no jornal centenário abolicionista

Diario Popular, Folha de S.Paulo,

revistas da Editora Abril e

em outras publicações.

Contato