Toffoli pede à PGR parecer sobre pedido de liberdade a João de Deus

por André Richter
para Agência Brasil

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli (foto), pediu hoje (4 de janeiro de 2019) que a (PGR (Procuradoria-Geral da República) se manifeste sobre o pedido de liberdade feito pela defesa do médium João de Deus.

Advogados alegam
que a saúde do
curandeiro é precária

A PGR terá 48 horas para apresentar um parecer sobre o pedido de prisão domiciliar feito pelos advogados.

 O médium está preso desde16 de dezembro de 2018 sob a acusação de violação sexual mediante fraude e dois crimes de estupro de vulnerável.

A decisão do ministro foi tomada após a juíza Marli de Fátima Naves afirmar não haver, “até a presente data”, qualquer variação no estado de saúde do médium que exija sua transferência para um hospital. 

A magistrada enviou nesta sexta-feira, a pedido do ministro, informações sobre o estado de saúde de João de Deus.

Na última quarta-feira (2), o médium passou mal e recebeu atendimento médico no núcleo de custódia da unidade prisional onde está detido em caráter preventivo. João de Deus foi encaminhado para o Hospital de Urgência de Goiânia, onde foi submetido a uma série de exames clínicos.

João de Deus  submeteu-se em 2015 a uma cirurgia e tratamento por causa de um câncer no estômago.



Aviso de novo post por e-mail

Justiça de Goiás bloqueia R$ 50 milhões de contas pessoais de João de Deus

Ativista colhe provas para desmascarar 13 líderes religiosos que são abusadores

Em vídeo, Drauzio Varella critica João de Deus e diz: 'Milagres não existem'




Entidade orienta como reagir ao assédio de predadores da religião


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site