Entidade teme que o cristianismo seja institucionalizado no Brasil

A IHEU (União Internacional Humanista e Ética) teme que o presidente Jair Bolsonaro dê um golpe no Estado laico, institucionalizando o cristianismo.

O relatório de 2018 da organização ressaltou o pronunciamento do presidente eleito segundo o qual “iremos governar para todos, até para os ateus”, mas apontou que Bolsonaro tem demonstrado que a sua prioridade será atender as demandas de grupos religiosos.

Ressaltou que Bolsonaro tem o apoio da maioria “da crescente e poderosa comunidade evangélica brasileira, que considera a eleição dele com ‘a resposta às suas orações’”.

Organização diz que
 evangélicos consideram
 Bolsonaro como resposta
 'às suas eleições"

“Bolsonaro oferece uma agenda ultraconservadora, com seus discursos cheios de visões misóginas, racistas, anti-LGBT e antidemocráticas. Seu incitamento já é relatado como tendo um impacto, com uma escalada acentuada na violência e ódio contra todos os tipos de grupos minoritários registrados.”

O relatório lista 196 países pelo parâmetro de perseguição aos não religiosos, com pontuações para “constituição e governo”, “educação e direito das crianças”, “família, comunidade, sociedade” e “liberdade de expressão”.

Com 20 pontos no total, o Brasil aparece no 42º do ranking, abaixo, por exemplo, de países como Uruguai, México e Estados Unidos.

Pelo sétimo ano consecutivo, a Arábia Saudita se destaca como o país que mais persegue os ateus.

Com informação do relatório da IHEU e outras fontes.



Aviso de novo post por e-mail

Políticos adotam pregação de pastores, e Estado laico tende a desaparecer

O que pode ocorrer com ateus em um país em que 'Deus está acima de tudo'?

Bancada evangélica sobe de 71 congressistas para 91




Bolsonaro e assessores agem como fundamentalistas religiosos, diz Hatoum


A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site