Stephen Hawking afirma em seu último livro que ‘ninguém dirige o universo’

O último livro de Stephen Hawking (1942-2018) deixa claro que o físico era ateu.

“Ninguém dirige o universo”, escreve. “Deus não existe.”

Até 2014, Hawking nunca disse objetivamente que era ateu e em seus livros mais antigos ele faz referência a “Deus”, mas como figura retórica, como explicou depois.

"A explicação mais
 simples é a não
 existência de Deus"

No livro Brief Answers to the Big Questions (“Breves respostas para grandes questões", em tradução livre), lançado após a morte do físico, Hawking diz que cada pessoa é livre para acreditar no que quiser e que na compreensão dele “a explicação mais simples é a não existência de Deus”.

“Ninguém criou o universo e ninguém direciona nosso destino. Isso me leva a uma profunda compreensão: provavelmente não há céu nem vida após a morte. Eu acho que a crença na vida após a morte é apenas uma ilusão”.

O livro teve a colaboração de amigos de Hawking porque ele morreu antes de terminá-lo.

Ali há respostas para dez perguntas sobre temas de estudo do físico, como viagens no tempo, buracos negros e IA (inteligência artificial).

Mais recentemente, Hawking manifestava pessimismo sobre as consequências do avanço no desenvolvimento da IA e em relação ao esgotamento dos recursos da natureza.

Dizia que nos próximos cem anos a humanidade teria de encontrar outro planeta para morar.

Com informação da Amazon e de outras fontes.


Aviso de novo post por e-mail

Stephen Hawking nega que no passado tenha acreditado em Deus

Site católico divulga o fake news da conversão de Stephen Hawking

Não há como conciliar ciência com religião, afirma Hawking


Hawking reconhece que o 'pai' do Big Bang é o padre Lemaître

A responsabilidade dos comentários é de seus autores.

Comentários

-------- Busca neste site